Tramagal | Vila metalúrgica a festejar dia 1 de maio e “estrada muito comprida” desde 1901 (C/VIDEO e FOTOS)

Tramagal festeja dia 1 de maio e “estrada muito comprida” desde 1901. Foto: Jorge Santiago

As comemorações do 1º de maio, Dia Internacional do Trabalhador, começaram este ano 2019 em Tramagal com a tradicional deposição de uma coroa de flores em homenagem ao Comendador Eduardo Duarte Ferreira, no Miradouro da Penha, e com o hino do 1º de maio executado de forma exemplar pela banda de Rio de Moinhos, num dia de festa que se assinala na vila metalúrgica desde 1901 com música, cultura, muito convívio e atividades desportivas.

PUB

Perante populares, autarcas, ex-trabalhadores da Metalúrgica Duarte Ferreira e membros da família Duarte Ferreira, as cerimónias festivas que começaram há 118 anos em Tramagal entre trabalhadores e patrões da então MDF principiaram com o encontro no miradouro da Penha, junto ao monumento ao fundador da Metalúrgica, o tramagalense Eduardo Duarte Ferreira, seguido de uma arruada e um concerto com a Banda Filarmónica Riomoinhense, no Largo Eduardo Duarte Ferreira (largo das tabernas, ponto de encontro de antigos e atuais trabalhadores), onde decorreram os discursos oficiais.

Perante populares, autarcas, ex-trabalhadores da Metalúrgica Duarte Ferreira e membros da família Duarte Ferreira, as cerimónias festivas que começaram há 118 anos em Tramagal entre trabalhadores e patrões da então MDF. Foto: Jorge Santiago

Depois dos mesmo, já no Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, a meio da manhã foi exibido o filme “Ne pas couper Tramagal”, uma carta a Eduardo Duarte Ferreira de António Pedro, com a presença do cineasta, filme que esteve em exibição contínua durante o horário e funcionamento do Museu MDF.

A hora de almoço foi passada nas instalações da Sociedade Artística Tramagalense (SAT), desta vez para comemorar o 97º aniversário do Tramagal Sport União (TSU), clube fundado a 1 de maio de 1922. Também no dia 1 de maio, foi fundado a Agrupamento de Escuteiros de Tramagal, que assinalou este ano o seu 51º aniversário.

O programa festivo terminou com a concentração no 15º Torneio Inter Concelhio de Escolinhas, durante a tarde, no Campo de Jogos Comendador Eduardo Duarte Ferreira, continuando os convivas e a população de Tramagal a viver e celebrar este dia em vários pontos da Vila Metalúrgica, também conhecida por Vila Convívio.

PUB

Nos discursos oficiais do 1 de maio, no Largo Eduardo Duarte Ferreira, usaram da palavra Vítor Hugo Cardoso, presidente da junta de freguesia de Tramagal, Carlos Duarte Ferreira, neto do fundados da MDF, e Luís Dias, vereador da Cultura e Desporto da Câmara de Abrantes.

Banda Filarmónica Riomoinhense e populares em arruada por Tramagal no dia 1 de maio. Foto: Jorge Santiago

Vítor Hugo começou precisamente que o local escolhido, conhecido como o largo das tabernas, para as intervenções públicas, era “ponto de paragem obrigatória” dos trabalhadores que se dirigiam ou vinham da MDF e de quem atravessava o Tejo, vindo ou indo para Rio de Moinhos, pelo porto da Barca.  “Um ponto de encontro e de espera”, lembrando de seguida para o “grande significado” histórico das comemorações do 1º de maio em Tramagal, localidade que soube adaptar-se e reinventar-se” ao longo dos tempos.

Destacou os dois anos do Museu MDF, inaugurado a 1 de maio de 2017, e que conquistou o prémio de Melhor Museu do Ano em 2018, e falou de seguida da evolução da vila, tendo referido existirem hoje “melhores escolas, saúde, comércio, serviços, ruas” e outras, sublinhado a evolução em termos de qualidade de vida.

Vitor Hugo Cardoso, presidente da JF Tramagal. Foto: Jorge Santiago

Vitor Hugo Cardoso, que está a cumprir o seu terceiro e último mandato na qualidade de presidente de junta, por força da lei de limitação de mandatos, falou também de obra feita, tendo mencionado a requalificação do mercado diário, o novo centro escolar, a implementação de cursos profissionais  em parecia com as empresas Mitsubishi Fuso (MFTE) e Diorama, o novo abastecimento de água a partir de Castelo do Bode, entre outros.

Na sua intervenção, criticou ainda as “ideias irrealizáveis ou megalómanas”, e disse que a junta está hoje “mais perto e mais próxima das populações”, referindo ainda o “apoio dado a instituições e associações da vila”, lembrando o novo relvado do TSU, a limpeza e manutenção de espaços verdes e agrícolas, entre outros.

Tramagal l Comemorações do 1 de maio

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 1 de maio de 2019

Carlos Duarte Ferreira, neto do fundador da MDF, marca presença habitual no 1 de maio em Tramagal nos últimos anos, quando as celebrações recuperaram uma nova dinâmica e algumas cicatrizes dos tempos de amargura e declínio da Metalúrgica Duarte Ferreira cicatrizaram. Desta vez sem a presença do irmão mais velho, Rui Duarte Ferreira, falecido recentemente, mas com a presença do filho deste, Manuel Rui, e de outros amigos e responsáveis da empresa que chegou a empregar 2.600 trabalhadores e foi referência nacional no campo da metalurgia, instrumentos agrícolas e onde era montado o famoso camião Berliet.

“É sempre um momento de grande comoção poder falar no Tramagal”, disse Carlos Duarte Ferreira, tendo lembrado ter discursado pela primeira com 12 anos numa cerimónia em que a família e a empresa apoiavam os estudantes de Tramagal através da atribuição de bolsas de estudo.

Vereador Luis Dias e Carlos Duarte Ferreira. Foto: Jorge Santiago

“Fomos uma grande família (patrões e trabalhadores) e há lembrança e vontade de celebrar este exemplo”, destacou, agradecido.

No final, foi chamado a usar da palavra o vereador da Câmara de Abrantes, Luís Correia Dias, que esteve na cerimónia acompanhado da vereadora Paula Grijó, e que é uma presença habitual há vários anos em Tramagal nas comemorações do dia 1 de maio, participando em todas as atividades ao longo do dia.

Numa curta mas eloquente intervenção, o responsável por pelouros com a Cultura ou o Desporto, entre outros, ele próprio um confesso admirador da história da vila metalúrgica e do empreendedor que foi Eduardo Duarte Ferreira, começou por lembrar ter nascido no Pego e crescido ao lado de metalúrgicos, que em Tramagal laboravam, empresa que escreveu importantes páginas da nossa história.

Luís Correia Dias, vereador da CM Abrantes. Foto: Jorge Santiago

Luís Dias lembrou que faz este ano precisamente 140 anos que Eduardo Duarte Ferreira edificou a 1ª forja em Tramagal, pedindo uma salva de palmas aos presentes, prontamente correspondida, “pelo legado que Eduardo Duarte Ferreira nos deixou”.

“A estrada é muito comprida”, parafraseou, lembrando uma frase de Eduardo Duarte Ferreira, pedindo “que se olhe para o futuro percebendo o que se tem construído no Tramagal”, e que “muito haverá para festejar” na construção do tempo por Tramagal.

Concluiu com uma referência ao Museu da MDF e aos dois anos que assinalou a 1 de maio após a sua inauguração, destacando os “muitos milhares de pessoas” que o visitaram e a “valorização turística” inerente.

E a festa continuou ao som da banda. Não de Tramagal, mas dos vizinhos de Rio de Moinhos, com a Banda Filarmónica Riomoinhense a conferir de forma exímia o tom festivo e solene às comemorações do 1 de maio em Tramagal com uma participação que se tem renovado e aplaudido ano após ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here