Torres Novas | Miguel Araújo abre temporada de abril a junho do Teatro Virgínia

Miguel Araújo abre temporada de abril a junho do Teatro Virgínia em Torres Novas. Foto: DR

O concerto intimista de Miguel Araújo “Casca de Noz” abre, a 06 de abril, a programação do Teatro Virgínia, em Torres Novas, para o segundo trimestre do ano, com The Gift e comédia de improviso também em cartaz.

PUB

A temporada de abril a junho do Teatro Virgínia foi apresentada no sábado à noite pelo presidente da Câmara de Torres Novas, Pedro Ferreira, e pela vereadora da Cultura, Elvira Sequeira, que realçaram o “leque de propostas de qualidade, diversificadas, heterogéneas e abrangentes, para todos os tipos de público, nas mais diversas áreas performativas” da programação do teatro municipal.

Dia 13 de abril a Vortice Dance Company apresenta “Home 2.0”, um espetáculo que “alia a linguagem corporal e a plasticidade cénica contemporâneas a uma forte componente multimédia”, abordando “a íntima relação do astronauta com a terra, a natureza e os afetos”, inspirada na obra de Phyllis J. Johnson “At Home in Space”.

Pedro Ferreira realçou a presença de projetos “de raíz local”, como o Coral Sinfónico de Portugal, o Choral Phydellius ou o Atelier Teatral dos Miúdos.

O Coral Sinfónico de Portugal apresenta, a 27 de abril, uma noite de música da América do Sul, com a Misa Criolla, de Ariel Ramirez, e Misatango, de Martin Palmeri, atuando os The Gift no dia 30 (véspera de feriado), trazendo o seu novo disco de originais “Verão” ao Virgínia.

PUB

De 02 a 04 de maio, as crianças dos 6 aos 12 anos vão participar num espetáculo e Lab Criativo concebido e encenado por João de Brito, “Insuflável”, uma “metáfora sobre o crescimento” a partir do significado da palavra insuflável, na linha do trabalho desenvolvido pela estrutura de criação Lama, que explora práticas de experimentação em torno de palavras de autores portugueses ou de palavras próprias.

A 11 de maio, a TN21 apresenta “Veneno”, uma peça de teatro com direção e interpretação de Albano Jerónimo que “aborda fundamentalmente as consequências da falência social e a extinção da entidade família” no contexto suburbano.

O Choral Phydellius apresenta nesta temporada dois espetáculos, o primeiro dos quais, a 18 de maio, comemorativo do seu 62.º aniversário, conta com as participações da Banda Sinfónica da PSP, do Spatium Vocale e dos amigos do Choral, “formando um experiente coro de 80 elementos”.

O segundo momento acontecerá a 08 de junho, com a quinta edição do Musíada, que reunirá “instrumentistas de excelência, torrejanos e nacionais”.

Para 25 e 26 de maio estão agendadas duas sessões de “O Pior Espetáculo do Mundo”, a comédia de improviso com Carlos M. Cunha, César Mourão e Gustavo Miranda.

A encerrar a temporada, a 14 de junho para escolas e a 15 para o público em geral, o Atelier Teatral dos Miúdos apresenta o resultado do último ano de trabalho do projeto de teatro em formação do Virgínia com a peça “D. Quixote em calças de ganga”.

Ao longo da temporada, o serviço educativo do Teatro Virgínia prossegue o seu trabalho com a comunidade, promovendo as oficinas de “Insuflável” e “Home 2.0”, a presença do Artista na Escola (com Albano Jerónimo) e, na dança, os projetos “a BlackBox’19”, com a escola O Corpo da Dança, de Marta Tomé (residência de 15 a 17 de abril), e a comemoração do Dia Internacional da Dança, a 29 de abril, com performances das escolas de dança Rita Assis e O Corpo da Dança pelo centro histórico da cidade.

Os bilhetes para a temporada estarão à venda a partir de domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here