Torres Novas | Luís Osório leva novo livro ao aniversário da biblioteca

Luís Osório. Foto: Guerra & Paz Editores

A Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes assinala o décimo aniversário da inauguração oficial do novo edifício e o escritor Luís Osório marca presença no primeiro dia das comemorações. O programa “10 Anos de Casa Nova” arranca esta sexta-feira, dia 9, com a apresentação do novo livro “Mãe, promete-me que lês” pelo autor e termina com bolo no próximo dia 28.

PUB

Os primeiros convidados para a festa de aniversário do novo edifício da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes chegam ao local pelas 21h30 de sexta-feira. Luís Osório vai estar entre quem os recebe para apresentar o seu segundo romance, no qual a realidade e a ficção se misturam entre memórias de filho e anseios de homem. “Mãe, promete-me que lês” (Guerra & Paz Editores) foi lançado no passado mês de setembro e sucede à estreia nesta área literária, em 2017, com “A Queda de Um Homem”.

Até ao romance, os temas foram outros, começando com o livro “25 Portugueses”, em 1999, para assinalar os 25 anos da III República. Seguiu-se “Quanto Tempo – Uma criança no olhar”, em 2003, partilhando um diálogo entre ele e José Manuel Osório, o pai, a pessoa infetada há mais tempo com vírus da SIDA em Portugal na altura. As palavras de Luís Osório voltariam às estantes das livrarias nove anos depois, em 2012, com as crónicas de “Só entre nós”.

As mesmas estantes que recebem, em 2014, a biografia autorizada do banqueiro Jorge Jardim Gonçalves (“Jorge Jardim Gonçalves – O poder do silêncio”), “Amor”, em 2017, cuja sinopse revela “um livro que acredita na pureza das ideias absolutas. Que acredita que as palavras matam. E salvam”. No entanto, não são apenas as palavras da literatura que se associam a Luís Osório.

Na biblioteca não estará apenas o escritor, mas também o jornalista, dramaturgo, comentador e consultor. Um percurso longo que lhe firmou o nome no caminho percorrido pelos meios de comunicação social portugueses, reconhecido por prémios como o Gazeta Revelação do Clube de Jornalistas, o Sete de Ouro, o da Casa da Imprensa e o de Inovação Manuel Pinto de Azevedo Júnior. Esteve, igualmente, nomeado para diversos Globos de Ouro.

PUB
Torres Novas | Luís Osório leva novo livro ao aniversário da biblioteca
Capa do livro “Mãe, promete-me que lês”. Foto: DR

A experiência de diretor do jornal “A Capital”, iniciada em 2005, tornou-o na pessoa mais nova a desempenhar a função no nosso país, à qual deu continuidade no “Sol”, no “i” e no Rádio Clube Português. A carreira na imprensa escrita também inclui a passagem pelas redações do “DN”, do “Expresso” e da “Visão”, partilhadas com os ecrãs de televisão onde surgiu em programas como “Portugalmente”, “Zapping” e “Lentes de Contacto”.

Outras palavras suas subiram ao palco do Teatro Maria Matos, em Lisboa, em 2014, na incursão pela área da encenação e dramaturgia com a peça teatral “Vagabundos de Nós”, a partir do texto de Daniel Sampaio. Independentemente do local onde apareçam, as palavras de Luís Osório surgem sempre com cunho pessoal e são partilhadas no final da semana com quem quiser escutá-las ou lê-las na Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes.

Sobretudo as que dão corpo ao livro “Mãe, promete-me que lês”, cuja sinopse partilhamos:

Luís Osório abre sem reservas o seu álbum de família. Numa relação convulsa e intimista, folha a folha, conta-nos pormenores de vivências extremas que nos emocionam devastadoramente e nos confrontam com a terrível complexidade das relações familiares. 

Ousadas, pungentes, ternas, estas são as recordações de um homem que confessa ter medo, muito medo de voltar a perder alguém, medo de morrer porque gosta muito de viver.
Um relato emotivo de um filho, que decide abrir o baú das suas memórias, de onde surgem personagens que podiam ser de ficção, mas são reais.

Ficam as questões: «Um dia prometes-me que lês? Consegues ler onde estás?» Que mais pode ele desejar? «Continua comigo, mãe.»

Depois de A Queda de um Homem, seu primeiro romance, que seduziu a crítica, Luís Osório reafirma, neste seu novo livro, um ponto-chave da sua escrita, o da literatura como valor absoluto. Mãe, promete-me que Lês é a literatura a entrar pelos territórios da realidade, a contaminá-la, a torná-la mais suportável.

Torres Novas | Luís Osório leva novo livro ao aniversário da biblioteca
Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, em Torres Novas. Foto: DR

A apresentação do segundo romance de Luís Osório é o primeiro momento do programa “10 Anos de Casa Nova”, que abrange mais três datas até ao final do mês de novembro. As efemérides do Dia Internacional da Tolerância e do Centenário do Armistício da Grande Guerra juntam-se às comemorações no dia 16 com diversas atividades, entre elas a projeção contínua do filme “O Grande Ditador”, de Charles Chaplin, na sala polivalente e uma mostra bibliográfica de documentos da censura no átrio.

Nesta data, o auditório recebe, às 10h30 desta data, o concerto multimédia “O violino do Soldado”, de Maurizio Padovan, que regressa ao local às 17h30 de dia 18. Ainda no dia 16, Flávio Ferreira, João Luz e Nuno Guedelha juntam-se a partir das 21h30 na mesa redonda, moderada por Pedro Cabeleira, que se realiza na Sala do Conhecimento com o tema “A censura a partir do grande écran”.

O bolo de aniversário com as 10 velas está encomendado para dia 28 e as despedidas entre a biblioteca e os seus convidados fazem-se a partir das 15h00. A tarde inclui uma sessão de leitura pelos alunos do 1º Ciclo do Centro Escolar Visconde de São Gião, seguida da inauguração da exposição “10 Anos de Casa Nova” com os trabalhos fotográficos de Abílio Dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here