Torres Novas | Concelho reuniu-se para celebrar centenário do “seu” jornal

Bispo de Santarém, D.José Tranquina, e vereadora Elvira Sequeira cortaram o bolo de aniversário Foto: mediotejo.net

O jornal mais tradicional de Torres Novas, “O Almonda”, propriedade da Diocese de Santarém, celebrou no sábado, 24 de novembro, o seu centenário. Num momento de fortes transformações no seio do jornalismo, a efeméride teve um peso histórico e simbólico, na medida que o periódico cobre um século de grandes transformações sociais e se afirma ainda e sobretudo pela sua edição em papel. A sessão solene encheu o salão nobre e os corredores do Convento do Carmo.

PUB

No Convento do Carmo encontra-se patente uma exposição com as 100 capas mais emblemáticas deste primeiro século da vida de “O Almonda”. O grafismo e o design mudaram ao longo do tempo, o preto e branco deu lugar à cor, os destaques e as figuras noticiadas contam uma história que por si já faz História.

“O Almonda” entra assim no grupo dos poucos jornais que têm conseguido resistir à passagem das gerações fundadoras, mantendo-se fiel a si próprio, contabilizando atualmente mais de 5200 edições e um vasto leque de figuras torrejanas, de peso local mas também nacional, no seu histórico de colaborações, como o próprio presidente da Câmara, Pedro Ferreira.

Jornal tradicional de Torres Novas "O Almonda" celebra 100 anos. Intervém ex-diretor Eduardo Bento

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 24 de Novembro de 2018

A sessão solene contou por isso com todos os mais variados representantes da sociedade torrejana, assim como diversos curiosos. A introdução coube ao ex-diretor do semanário, Eduardo Bento, que descreveu o jornal como um “património que é pensamento, opinião, informação, cultura”. “Durante 100 anos este jornal foi uma janela aberta para a realidade”, narrando a vida dos homens e mulheres que constituíram a comunidade.

PUB

“Órgão de comunicação regionalista”, não obstante a raiz católica, o responsável frisou a independência e os valores sociais da publicação. “Se o jornal fecha é uma janela que se fecha para o mundo”, comentou, constatando as dificuldades que enfrenta atualmente a imprensa escrita. “É necessário resistir”, defendeu.

Destacaria ainda o papel do periódico junto da diáspora torrejana.

“Não queremos que «O Almonda» pereça, mas que continue o seu caminho”, foi a mensagem deixada pelo pároco de Torres Novas, Ricardo Madeira, e responsável da Gráfica Almondina, que vai substituir na direção o atual diretor, Durval Baranowske, que se encontra de saída.

A sobrevivência de um jornal é hoje “um desafio”, constatou, citando por tal as palavras do Papa Francisco ao afirmar que “o jornalista é o guardião da notícia” no tempo das manipulações da informação. “É isto que nos move”, referiu, servindo assim a comunidade.

Já Pedro Ferreira descreveu “O Almonda” como parte do “património” do concelho, anunciando um protocolo estabelecido entre o município e o jornal para disponibilizar todo o arquivo do semanário online, desde 1918. Esta hemeroteca já se encontra ativada, sendo possível de ser consultada a partir da página de facebook do Arquivo Municipal.

(esq.dirt) Eduardo bento, Pedro Ferreira, D.José Traquina e o Pároco Ricardo Madeira realizaram as intervenções Foto: mediotejo.net

A encerrar a sessão solene, D.José Traquina lembrou que a Igreja sempre se interessou pela comunicação social e pelo ensino. “Ficámos com a responsabilidade de comunicar”, numa perspetiva de evangelização, por palavras, sons e imagens. Defenderia assim as práticas éticas no trabalho jornalístico, salientando o jornalismo regional como um serviço público.

“O momento é também de balanço”, comentou, reconhecendo que as dificuldades económicas e a continuidade do jornal são um ponto de discussão recorrente e que já solicitara uma “reflexão abrangente” sobre o tema.

Além do descerramento de uma placa celebrativa, foi apresentada o livro “Rostos de Alma”, de Antero Guerra, uma edição da Gráfica Almondina.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here