Torres Novas | “Colecção de Coleccionadores” abre este sábado programação do Teatro Virgínia

Sean-Riley-The-Slowriders

A programação do Teatro Virgínia, em Torres Novas, para o primeiro trimestre do ano, arranca este sábado com “Colecção de Coleccionadores”, de Raquel André, numa temporada que inclui, entre outros, Mário Laginha Trio e Sean Riley & The Slowriders.

PUB

Até ao final de março vão passar por Torres Novas “várias propostas no campo da música, teatro, dança e muitos projetos com a comunidade”, anuncia um comunicado do teatro municipal torrejano.

A peça “Colecção de Coleccionadores”, estreada no Nacional D. Maria II, em novembro, “funciona como uma montra para revelar uma coleção” e é uma etapa de uma possível “coleção de pessoas”, que inclui ainda a “Colecção de Amantes” e que se completará com uma “Colecção de Artistas” e uma “Colecção de Espectadores”.

Após o projeto de Raquel André, segue-se, nos dias 18, 19 e 20, “Saia de Roda”, com Ana Lúcia Palminha, Maria João Castelo e Suzana Branco, uma peça desenvolvida no âmbito do Lab Criativo que inicia o trabalho para públicos escolares e famílias.

O mês de janeiro acaba com o jazz de Mário Laginha e o trio com quem gravou até agora dois discos – “Espaço” e “Mongrel” -, espetáculo agendado para dia 27.

O Teatro do Eléctrico apresenta, no dia 03 de fevereiro, o humor dos textos de Karl Valentin, com “Karl Valentin Kabarett”, espetáculo que cruza várias peças curtas do dramaturgo, com músicas de repertório popular alemão do início do século XX, cantadas no original, ao vivo, pelos onze atores e um cantor lírico, acompanhados por uma orquestra de dez elementos.

A música regressa ao Virgínia uma semana mais tarde com White Haus, ‘alter-ego’ de João Vieira, que apresenta “Modern Dancing”, editado em setembro de 2016, em resultado de uma “aventura” no campo da composição e da produção eletrónica.

Em meados de fevereiro, será apresentado mais um projeto do Lab Criativo, com o Teatro Praga a “’cozinhar’, de um modo muito especial”, o texto de Shakespeare “Romeu & Julieta”, com sessões para as escolas agendadas para dia 16 e, para as famílias, na manhã de dia 17.

Fevereiro acaba com “Co:Lateral”, um espetáculo desenvolvido a partir do projeto performativo “Nuve”, no qual se explorava a relação entre a dança e as artes digitais, criado por Né Barros e João Martinho Moura.

A música de “Sean Riley & The Slowriders” abre a programação de março (dia 03), seguindo-se, no dia 10, a dança do c.e.m. – Centro em Movimento, com “Sopro”, um solo de dança de Sofia Neuparth.

Joana Gama apresenta, a 16 e 17 de março, um recital de piano comentado em torno da música e das histórias do compositor francês Erik Satie (1866-1925), em duas sessões, uma para público escolar, com “Eu Gosto Muito do Senhor Satie”, e depois, para todo o público (sábado à noite), “I love Satie”.

O Dia Mundial do Teatro será comemorado no Teatro Virgínia, no dia 24 de março, com a presença do Teatro Nacional D.Maria II e a peça “António e Cleópatra”, a partir da encenação e do texto de Tiago Rodrigues com citações de “António e Cleópatra”, de William Shakespeare (tradução de Rui Carvalho Homem), com Sofia Dias e Vítor Roriz.

Pedro Ferreira, presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, destaca a presença, numa vertente designada por “Paralelo”, de projetos municipais promovidos pelos diferentes serviços da autarquia, como os espetáculos desenvolvidos no âmbito do SABE – Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares.

Também o diretor artístico do Virgínia, Rui Sena, destaca o espaço dado na programação aos projetos produzidos com a comunidade, no âmbito do serviço educativo, ou eventos como o “Sons ao Sábado”, que dá “um espaço de referência” às novas bandas portuguesas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here