Torres Novas | BE considera-se discriminado em eventos com presença do executivo

cantaram-se as janeiras a 4 de janeiro na Câmara Municipal de Torres Novas Foto: CM Torres Novas

Na sexta-feira, 4 de janeiro, a Canto&ARPE, coro da Associação de Reformados e Pensionistas de Torres Novas, cantou as Janeiras na sala de sessões dos Paços do Concelho, perante todo o executivo PS e vários funcionários municipais. Nem o BE nem o PSD estiveram presentes. Na reunião de câmara de 8 de janeiro, terça-feira, a vereadora Graça Martins (BE) leu uma declaração em que aponta uma “discriminação tácita” em relação à oposição, que também constitui o executivo, neste tipo de situações.

PUB

“O Bloco de Esquerda volta a constatar a existência de uma discriminação tácita que representa um profundo desrespeito pela modalidade democrática, uma vez que não inclui aqueles que legitimamente participam na atividade deste executivo, mesmo que em situação de oposição, necessária e imprescindível para a vida da própria democracia. Qual a razão que argumenta a maioria socialista para não convidar à presença nestas atividades e, em igualdade de circunstâncias, todos os elementos que constituem esta Câmara Municipal?”, questionou Graça Martins.

“Ficamos confiantes que doravante, em nome da ética democrática e da transparência, a informação relacionada com atividades que envolvam associações, entidades ou outras que envolvam a atividade do município, seja partilhada com toda a vereação sem exceção”, concluiu.

Na resposta à interpelação, o presidente Pedro Ferreira (PS) explicou o cantar das Janeiras foi um convite ao presidente da Câmara e não à vereação, tendo estado presentes os elementos que estão a trabalhar no edifício municipal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here