Torres Novas | Avançam projetos para ciclovia e requalificação do Nogueiral

projeto para a ciclovia da cidade de Torres Novas Foto: CM Torres Novas

O executivo municipal de Torres Novas aprovou por maioria na reunião de 29 de abril, terça-feira, os projetos de execução de duas obras previstas em Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), ou seja, financiadas por fundos europeus. A cidade vai ver avançar a primeira fase de uma ciclovia, assim como a requalificação do Nogueiral.

PUB

O primeiro projeto de execução apresentado pelo presidente Pedro Ferreira (PS) foi o da ciclovia, uma estrutura prevista para 18 quilómetros no interior da malha urbana da cidade, mas que nesta primeira etapa contará apenas com seis quilómetros. A ideia insere-se dentro do financiamento disponível para “promoção de estratégias de baixo teor de carbono para todos os tipos de territórios, nomeadamente as zonas urbanas, incluindo a promoção da mobilidade urbana multimodal sustentável)”, adianta informação oficial do município.

A ciclovia vai contemplar duas tipologias de percursos: em canal partilhado com a circulação automóvel e em corredor unidirecional na via. Serão abrangidos, nesta primeira fase, 19 arruamentos da cidade torrejana, essencialmente o centro histórico e imediações.

“O traçado visa interligar os principais pontos de interesse comunitário, polos habitacionais e equipamentos de utilização pública (no âmbito da saúde, educação e ensino, segurança social, desporto, cultura, turismo e património) sendo desenhado pelas principais ruas e pelo miolo urbano das áreas residenciais e espaços públicos, enquadrando as dinâmicas diárias da população”, específica a nota de imprensa.

Pedro Ferreira mencionaria na reunião que todo o projeto inicial de seis quilómetros está orçado em cerca de 209 mil euros, sendo que o município espera obter um financiamento quase total, na ordem dos 200 mil euros. O projeto adicional de um “interface” na ciclovia ainda não foi aprovado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), adiantou o presidente face a uma questão levantada pelo vereador do Bloco de Esquerda (BE), Roberto Barata.

PUB

A ciclovia em si não levantou objeções, mas Roberto Barata criticou o facto do documento vir para aprovação no último dia do prazo, não dando assim tempo aos vereadores da oposição para realizar propostas adicionais. Considerando que não se estavam a respeitar os bons princípios democráticos, retirou-se da votação.

Em representação da vereação PSD, António Nobre também pediu alguns esclarecimentos, nomeadamente relativos a projetos de bicicleta inseridos no Orçamento Participativo. Acabaria por abster-se no tópico.

De seguida foi apresentado o projeto de execução da primeira fase da requalificação do Nogueiral, obra orçada em 940 mil euros, mais IVA, também dentro do PEDU. A informação disponibilizada pelo município refere que a obra compreende a zona entre a ligação com a avenida Dr. João Martins de Azevedo, o “Laranjal”, a avenida dos Bombeiros Voluntários, o largo José Lopes dos Santos e a rua do Caldeirão, numa área de aproximadamente 10.643m².

A requalificação planeada para todo este espaço “assenta na valorização da circulação pedonal e no melhoramento das zonas urbanas de fruição e lazer. Prevê uma articulação funcional entre as diversas tipologias de espaços a intervir, a predominância do elemento natural nos espaços abertos e multifuncionais, a conservação da arborização existente, a criação de zonas verdes de estadia e recreio e de zonas exteriores para eventos culturais de pequena/média dimensão, como espetáculos e apresentações, e a disponibilização de mobiliário urbano para usufruto dos transeuntes”.

“Procura-se a valorização dos pontos de interesse cultural e turístico existentes na área de intervenção, nomeadamente o Monumento ao Bombeiro, a redefinição do ponto de conflito viário na rotunda que estabelece a ligação entre a avenida Dr. João Martins de Azevedo, a rua do Bom Amor e a rua do Caldeirão, uma nova abordagem à plataforma criada pelo largo José Lopes dos Santos, rua do Caldeirão, avenida dos Bombeiros Voluntários e “Jardim das Laranjeiras” traduzida numa combinação de pavimentos e resolução de desníveis existentes, garantindo a manutenção do acesso aos veículos dos bombeiros (nomeadamente às antigas instalações, bem como ao edifício novo), a relocalização do quiosque existente, a redefinição dos lugares de estacionamento no largo José Lopes dos Santos e a criação de uma nova bolsa de estacionamento na avenida dos Bombeiros Voluntários”, continua.

No âmbito de todo o projeto, destaque para a rua do Caldeirão que “ficará condicionada a trânsito de emergência, pretendendo-se com esta alteração garantir a excelência do espaço público, que será melhorado pela reconstrução do edifício da Central do Caldeirão para fins didático-culturais. São garantidos 39 lugares de estacionamento quer na praça, quer na rua dos Bombeiros”.

“Na avenida dos Bombeiros Voluntários o pavimento será em betuminoso à exceção da zona entre a praça e o novo Jardim das Laranjeiras, que será em calçada de granito. Nesta artéria, prevê-se a criação de duas bolsas para paragem dos Transportes Urbanos Torrejanos e mais 6 lugares de estacionamento paralelos à via, onde será reforçada a arborização através da plantação de novas árvores alternadas com as existentes”, refere.

“Finalmente, a intervenção no “Jardim das Laranjeiras” visa o acesso ao laranjal existente entre o edifício novo dos BVTN e a avenida, atualmente encerrado por um muro e inacessível ao uso público, transformando-o numa zona para usufruto da população com a instalação do quiosque com ampliação para instalações sanitárias, numa clareira entre as laranjeiras existentes. Está também prevista a implantação de mobiliário urbano, nomeadamente mesas com bancos dispostas em esplanada em locais de estadia por excelência, funcionando como um parque de merendas”, conclui.

Na sua intervenção, António Nobre questionou o presidente sobre um abaixo assinado dos comerciantes relativo aos lugares de estacionamento previstos. O encontro, segundo o autarca, já se realizou, mas não avançou pormenores sobre a discussão.

Este tópico seria aprovado com abstenção do PSD e voto contra do BE.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here