Tomar | Presidente da Câmara defende “drones” na monitorização do Nabão

Poluição no Nabão é motivo de preocupação. Foto: mediotejo.net

A Presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas (PS), disse na reunião de câmara desta segunda-feira, 4 de fevereiro, que defende a utilização de “drones” para a monitorização e vigilância do rio Nabão. A autarca respondia, deste modo, a uma interpelação do vereador José Delgado (PSD) que voltou a focar o problema de poluição no Nabão, uma vez que, na sexta-feira, 1 de fevereiro, dia de muita chuva, voltou a registar-se mais uma descarga poluidora.

PUB

“Não é admissível que não se saiba quais são os focos poluentes”, referiu José Delgado, acrescentando que o município não se pode limitar a pressionar a APA – Agência Portuguesa do Ambiente e tem que fazer mais alguma coisa.

Anabela Freitas referiu-se à existência de um conjunto de indústrias legalizadas noutros concelhos, não se sabendo se nestas o tratamento de águas é feito corretamente. Referiu-se ainda ao facto de não existirem separativos entre as águas pluviais e as residuais, o que aumenta a sobrecarga das ETAR’s e leva ao transbordo.

A autarca sublinhou que a câmara “não pode intervir diretamente na fiscalização das empresas, dado que o processo tem que ser conduzido pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), assim como não pode intervir noutros concelhos”.

Anabela Freitas voltou a defender a utilização de drones para a monitorização do rio, pois segundo a mesma, “deve-se recorrer às novas tecnologias de que hoje em dia dispomos”.

PUB

Recordou também o processo referente à iluminação pública, que vai estar associada a monitorização da qualidade da água, vai permitir –  a quem tenha competência nessa matéria – atuar mais rapidamente. A autarca diz que o processo não vai resolver o problema mas vai ajudar a identificar de forma mais célere os focos de poluição.

 

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here