Tomar | Investimento de 2,6 ME revoluciona rede energética e de comunicações do IPT

Instituto Politécnico de Tomar. Foto: DR

Um investimento global na ordem dos 2,6 milhões de euros vai revolucionar o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) através de duas grandes empreitadas. Uma moderna rede de comunicações estará concluída até final deste mês de abril em Tomar (IPT) e Abrantes (ESTA), e um sistema de gestão e de eficiência energética vai permitir uma poupança anual na ordem dos 60%, cerca de 300 mil euros, sobre o atual consumo de energia no Campus do IPT.

PUB

O presidente em exercício do Instituto Politécnico de Tomar, Eugénio de Almeida, deixa o cargo esta terça-feira, 16 de abril, dia da tomada de posse do novo presidente da instituição, João Coroado, com duas grandes empreitadas, uma fase final de conclusão e outra em pré-lançamento de concurso, e que vão permitir reposicionar todo o Campus do IPT em termos de consumos energéticos, assim como no modernizar da rede de comunicações no Campus de Tomar e nas instalações da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, com adequadas redes de switching (rede cablada Ethernet e de ligação à Internet) e wireless (rede de ligação à Internet sem cabos).

A informação foi confirmada ao mediotejo.net por Eugénio de Almeida, numa das suas últimas declarações públicas na qualidade de presidente da instituição. “Até ao final deste mês [abril] estará tudo concluído e a funcionar relativamente à renovação de todo o parque de comunicação do IPT”, em Tomar e em Abrantes, um investimento na ordem de um milhão de euros, tendo destacado ainda a importância de uma segunda empreitada, cujo concurso vai se lançado em breve, e que envolve um importante investimento estrutural em termos de eficiência energética.

“É um projeto que vai incluir a substituição de todas as lâmpadas do Campus por leds, mudanças ao nível das portas e janelas, painéis solares e outros e que vão permitir uma redução da despesa mensal energética na ordem dos 60%”, notou.

Eugénio Almeida, presidente do IPT, cede esta terça-feira, dia 16 de abril, o seu lugar a João Coroado. Foto: mediotejo.net

Júlio Filipe, adminIstrador do IPT, deu conta ao mediotejo.net que o projeto global das duas empreitadas ronda os 2,6 milhões de euros, sendo financiado pelo programa POSEUR em 2,1 milhões (85%), em financiamento reembolsável ao longo de 20 anos.

PUB

Só ao nível do novo sistema de gestão de energia, o processo vai permitir ao IPT, “a partir de 2020, uma poupança energética na fatura global anual na ordem dos 250 mil a 300 mil euros”, notou.

O objetivo da nova rede comunicação, por um lado, é o de substituir as atuais redes que, para além de não terem a capacidade de resposta para as necessidades do IPT, “são já muito antigas, desatualizadas e apresentam graves e irreparáveis deficiências de funcionamento”, uma necessidade há muito identificada em processo que está agora em vias de conclusão, e que vem reforçar os níveis de qualidade da rede, suportado na contratação de um serviço de gestão, operação e manutenção da infraestrutura de rede de switching e sem fios do IPT, garantindo um acesso sem limitações, conferindo uma maior fiabilidade, performance, escalabilidade e versatilidade de toda a infraestrutura de rede do Instituto.

Instituto Politécnico de Tomar. Foto: DR

O sistema de gestão de energia, por sua vez, tem o seu concurso em vias de ser lançado perspetivando-se que comece a ser executado até final de outubro. Segundo Júlio Filipe, o prazo da empreitada é “de seis a oito meses, e vai permitir efetuar a monitorização de todo o sistema de gestão de energia, como os consumos de gás e/ou de eletricidade”.

No Campus do IPT, em Tomar, vão ser substituídas todas as lâmpadas tradicionais por lâmpadas led (de baixo consumo), as caldeiras de aquecimento vão ser substituídas por caldeiras a gás, e serão instalados painéis solares térmicos para energia de autoconsumo.

Todas as janelas do campus vão ter os vãos de vidro e ferro substituídos por vãos de PVC em vidro duplo, para isolamento térmico, e a consequente redução energética ao nível de aparelhos de ar condicionado, caloríferos e radiadores. Só nesta empreitada, que se perspetiva esteja concluída em meados de 2020, “vão ser substituídos mais de 3 mil metros quadrados em portas e janelas”, notou o responsável do IPT.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here