Tomar | Instituto Politécnico de Tomar garante 500 vagas para o próximo ano letivo

Instituto Politécnico de Tomar. Foto: DR

Para o próximo ano letivo, o Instituto Politécnico de Tomar (IPT) abre 500 vagas – o mesmo número do ano passado – no concurso de acesso ao ensino superior, segundo dados divulgados esta quarta feira pela Direção Geral do Ensino Superior.

PUB

Dos 15 cursos que funcionam atualmente no IPT (quatro em Abrantes), Gestão de Empresas e Engenharia Informática são os cursos com maior número de vagas, 50 cada. Em contraponto, o curso de Gestão da Edificação e Obras (antigo curso de Construção e Reabilitação), que tem registado escassa ou mesmo nula procura, tem apenas 20 vagas.

O único curso do IPT que garante 100 por cento de empregabilidade é o de engenharia informática, ou seja, todos os licenciados conseguem emprego assim que acabam os estudos. Comunicação Social, na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, está entre os cursos com média mais baixa a nível nacional (95.0).

No ano letivo anterior, o Instituto Politécnico de Tomar foi uma das 10 instituições de ensino superior do interior do país que conseguiu aumentar o número de alunos colocados no final das três fases do concurso nacional de acesso ao ensino superior, isto apesar de na primeira fase ter ocupado apenas 53 por cento das vagas.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explicou que este é o resultado das medidas de afetação de vagas determinadas este ano, que cortou cerca de 1.100 vagas nas instituições de Lisboa e do Porto.

PUB

Para o próximo ano letivo, a primeira fase de candidatura ao ensino superior começa hoje (dia 17) e termina no início de agosto, com 50.860 vagas no concurso nacional de acesso, um total praticamente inalterado face a 2018.

Segundo dados oficiais hoje divulgados, o número de vagas no concurso nacional de acesso deste ano é praticamente igual ao de 2018, quando foram a concurso 50.852 vagas.

No total, contabilizando também os concursos locais de acesso, os lugares disponíveis são 51.568.

Em 2019, os candidatos têm 1.087 cursos à disposição nas universidades e politécnicos públicos e a expectativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) é que o número de candidatos seja semelhante ao de 2018.

“Face aos resultados dos exames nacionais já realizados é expectável que o número de candidatos às vagas colocadas a concurso seja também semelhante face ao ano anterior”, lê-se numa nota do MCTES.

Os cursos em que a procura em primeira opção por alunos com uma média de candidatura mais alta do que 17 valores em 2018 foi superior ao total de vagas que abriram estão obrigados a aumentar o número de vagas entre 5% a 15% para o ano letivo de 2019-2020, segundo uma decisão do MCTES, que deixou de fora os cursos de Medicina, que mantêm o ‘numerus clausus’ do ano passado.

A medida não significa mais vagas em todas as universidades e politécnicos, uma vez que as instituições têm de cortar 5% onde não houve nenhum candidato com média de 17 valores.

As instituições do litoral do país – exceto Lisboa e Porto – estão impedidas de aumentar o número total de vagas, o que poderá significar reajustes: ao aumentar num curso muito procurado, têm de cortar noutro com pouca procura.

Já nas instituições de menor pressão demográfica ou menor procura, situadas maioritariamente no interior do país, é dada a possibilidade de aumentar vagas em cursos considerados estratégicos para a especialização da instituição, num máximo de três cursos por instituição.

Em todas as regiões é recomendado o reforço da oferta em áreas que a tutela considera essenciais ao país na formação: competências digitais e ciências de dados.

No ano passado, em que Lisboa e Porto sofreram um corte de 1.100 vagas para privilegiar a escolha de cursos em universidades e politécnicos do interior do país, o concurso nacional de acesso atraiu menos de 50 mil candidatos para as mais de 50 mil vagas.

O portal Infocursos, da responsabilidade da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência, apresenta estatísticas que podem ajudar os estudantes a escolher um curso.

O portal apresenta informações que permitem saber quantos alunos tinham mudado de curso um ano depois de terem ingressado e quantos continuavam à procura de emprego um ano após terem terminado os estudos.

Através do endereço http://infocursos.pt também se consegue saber quantos são os estudantes estrangeiros matriculados em licenciaturas e mestrados do sistema público e privado, conhecer a distribuição de alunos por idade, género e nacionalidade e sobre a distribuição das classificações finais dos diplomados.

Há também tabelas sobre o número de estudantes de licenciatura e mestrado que saíram do ensino superior público um ano após começarem o curso, que no geral tem vindo a descer desde 2015.

A primeira fase de candidaturas ao ensino superior arranca hoje e decorre até 06 de agosto.

“Tal como nos anos anteriores, a candidatura é apresentada através do sistema ‘online’, no sítio da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) na Internet (http://www.dges.gov.pt). Para acesso ao sistema de candidatura, os candidatos podem utilizar a autenticação com o cartão de cidadão”, esclarece o MCTES.

C/ Agência Lusa

 

Vagas no concurso de acesso ao ensino superior – 2019/2020

Instituto Politécnico de Tomar

Escola Superior de Gestão de Tomar

Nome do Curso Vagas 2019 Vagas 2018 Nota último colocado 1ª Fase 2018 (cont. geral)
Contabilidade 25 25 113.7
Gestão de Empresas 50 55 105.0
Gestão de Recursos Humanos e Comportamento Organizacional 35 32 100.9
Gestão Turística e Cultural 35 27 105.9

 

Escola Superior de Tecnologia de Tomar

Nome do Curso Vagas 2019 Vagas 2018 Nota último colocado 1ª Fase 2018 (cont. geral)
Engenharia Eletrotécnica e de Computadores 40 40
Engenharia Informática 50 49 110.6
Conservação e Restauro 30 30 110.7
Design e Tecnologia das Artes Gráficas 47 45 109.0
Fotografia 31 30 104.9
Tecnologia Química 25 25
Gestão da Edificação e Obras 20

 

Escola Superior de Tecnologia de Abrantes

Nome do Curso Vagas 2019 Vagas 2018 Nota último colocado 1ª Fase 2018 (cont. geral)
Comunicação Social 35 32 95.0
Engenharia Mecânica 25 27
Informática e Tecnologias Multimédia 30 33
Cinema Documental 22 20 113.4

Fonte: DGES

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here