Tomar | Dois dias para se ir “Bibliotecando” na cidade

Leitura. Foto: DR

“Memória, Esquecimento e Inovação: leituras de sempre” é o mote com que se vai “Bibliotecando” por Tomar no final da primeira semana de maio. A décima edição da iniciativa literária arrancou na sexta-feira, dia 3, e termina este sábado, dia 4, depois dos vários momentos do programa que levam oradores e participantes ao Complexo Cultural da levada e outros pontos da cidade.

PUB

O Bibliotecando em Tomar resulta da parceria entre diversas entidades, entre elas o município de Tomar e segundo a sua presidente Anabela Freitas, trata-se “sobretudo de um espaço de debate e reflexão” que se tem consolidado nos últimos dez anos. Contactada pelo mediotejo.net, a autarca sublinhou o alto patrocínio da Presidência da República, assim como o facto de se conjugar a iniciativa com outras a decorrer em simultâneo na cidade, nomeadamente o Congresso da Sopa no sábado.

O programa da décima edição começou a inauguração da instalação de Ana Rita Vieira e juntou os primeiros oradores no painel intitulado “Prémio Bibliotecando: Manuel Alegre”. A coordenação esteve a cargo de Guilherme d’ Oliveira Martins nas intervenções de Manuel Alegre, José Manuel Mendes e António Carlos Cortez. O almoço foi antecedido pelo lançamento da Revista One World n.º 10.

Mensagem do presidente da República alusiva ao Bibliotecando

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, enviou uma mensagem alusiva à 10ª edição do Bibliotecando em Tomar, que decorre amanhã e sábado, centrado no Complexo Cultural da Levada em Tomar.

Publicado por Município de Tomar em Quinta-feira, 2 de maio de 2019

Mensagem do presidente da República alusiva ao Bibliotecando

A tarde arrancou com o segundo painel, dedicado à “Inovação na Saúde e Tecnologia: pensando no futuro”, no qual Hugo Cristóvão coordenou as intervenções de Élio Sucena e Maria do Céu Patrão Neves. A coordenação do terceiro painel foi assegurada por Graça Franco, que se juntou a Luís Osório e Eduardo Moura para abordar o tema “Jornalismo/ Política: liberdade de expressão e democracia – dialética intemporal”.

PUB

Para o final do dia ficou reservada a visita ao Complexo Cultural da Levada de Tomar, guiada por Patrícia Romão, ou à exposição temporária comemorativa do centenário da construção da Capelinha das Aparições “Capela Múndi” – Santuário de Fátima, por Marco Daniel Duarte. A noite é de “Homenagem a Sophia” (Sophia e Jorge de Sena) e a projeção do documentário “Correspondências”, de Rita Azevedo Gomes.

O evento termina no Convento de Cristo. Foto: mediotejo.net

A sessão de encerramento está marcada para as 18h00 deste sábado, mas existem outros pontos altos no programa até ao momento musical e o Mouchão de Honra que assinalam as despedidas no Convento de Cristo. Os quatro painéis do dia dividem-se pela manhã e a tarde, sendo o primeiro dedicado à “Memória Histórica e Sociedade: no percurso da construção humana”, com coordenação de Filipa Fernandes e participação de Joaquim Ruivo, Roberto Vecchi e Carlos Trincão.

O segundo painel aborda o tema “Escritores: literatura – observatório do pensamento” e os oradores são João Pinto Coelho, Miguel Real e José Carlos Vasconcelos, assegurando o último a coordenação. Durante a tarde Carlos Coelho, Paulo Catrica e Rui Vieira Nery fazem as respetivas intervenções sobre “Arte: horizontes da memória, sentidos e perceções” sob coordenação de Ana Rita Vieira. José Marques da Silva, por sua vez, assegura a coordenação do último painel, intitulado “ One World”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here