Tomar | A designer australiana que criou um ‘spa para a mente’ na Serra

Leyla Acaroglu, na sua quinta em Tomar. Foto: mediotejo.net

Há um espaço tranquilo e bucólico, perto da albufeira de Castelo do Bode, na Serra de Tomar, onde foi criado um “spa para a mente” e onde se procuram as melhores soluções do ponto de vista ambiental para a sustentabilidade do planeta. O Creative Optimism Project (Projeto de Criatividade Otimista) é a concretização do sonho de Leyla Acaroglu, uma designer australiana que trabalhou em Nova Iorque mas que, depois de um “burnout” (esgotamento), decidiu mudar de vida e transformar o mundo a partir de uma quinta em Portugal. 

PUB

Chega até nós de chapéu de palha na cabeça, camisa e calças de ganga e com um sorriso aberto. Leyla Acaroglu, designer australiana de 35 anos e ativista acérrima da sustentabilidade, viaja por todo o mundo a dar conferências.

É numa quinta de um hectare, na pacata aldeia de Figueira Redonda (Serra-Junceira), que desenvolve um projeto sem fins lucrativos: o CO Project – Creative Optimism Project (Projeto de Criatividade Otimista), pretende ser uma espécie de spa para a mente criativa, ajudando também a encontrar as melhores soluções para a sustentabilidade do planeta.

Tomar | A designer australiana que criou um 'spa para a mente' na Serra
Leyla Acaroglu na sua quinta de 1 hectare onde se pratica exclusivamente agricultura biológica. Foto: mediotejo.net

No site do projeto, Leyla vai divulgando os workshops e residências que promove ao longo do ano. No seu Brain Spa (spa do cérebro) é possível “recarregar os neurónios”, garante. “Tantos criativos esgotados tentam recuperar a sua energia trabalhando o corpo (e quem não gosta de uma longa massagem?), mas muitas vezes é o nosso cérebro que precisa de recarga e isso é possível através da reflexão, conexão e criatividade”, explica.

“O Brain Spa é um espaço para a regeneração da mente, na natureza, com pessoas incríveis, alimentos nutritivos e a aprendizagem necessária para poder regressar à vida diária de forma produtiva e transformadora.”

PUB

O Brain Spa é um espaço para a regeneração da mente, na natureza, com pessoas incríveis, alimentos nutritivos e a aprendizagem necessária para poder regressar à vida diária de forma produtiva e transformadora.

A quinta oferece também possibilidade de alojamento e procura dar igualmente a conhecer formas alternativas de trabalhar a terra. “Temos todos os recursos ao nosso alcance e penso que a minha geração vai ter que recuperar a agricultura biológica porque já ninguém quer comer comida com pesticidas. É muito recompensador e quero ver mais pessoas envolvidas neste desafio”, refere.

E como chegou Leyla a Tomar? “Visitei Portugal há uns anos e gostei muito dos portugueses e da sua cultura. Quando vi este local na Internet, achei que era o ideal para a minha visão. Foi o sítio que me escolheu”, explica numa entrevista em inglês, apesar de já conhecer algumas palavras em português. Neste vídeo, conduz-nos por uma visita guiada à sua quinta (agora já quase totalmente recuperada) e partilha um pouco do que pretende desenvolver no futuro.

Tomar | A designer australiana que criou um 'spa para a mente' na Serra
Na quinta de Leyla é possível dormir a ver as estrelas e uma vez por mês promove-se um almoço comunitário, para 20 a 30 pessoas: quem quiser ir só precisa de inscrever-se. Fotos: CO Project

Leyla descobriu aos 19 anos que a sua missão passaria por ajudar a tornar o mundo num local melhor para todos. “Era apaixonada por direitos humanos e por causas ambientais. E apercebi-me que, se queria ver as coisas feitas, teria que ser eu a fazê-las e não apenas esperar que alguém as fizesse. Só temos de dar o nosso exemplo”, sustenta, acrescentando que cada um de nós, mesmo de forma isolada, pode criar um impacto positivo no outro e no mundo.

Tomar | A designer australiana que criou um 'spa para a mente' na Serra
Leyla Acaroglu, na sua quinta em Tomar. Foto: mediotejo.net

Com o CO Project, pretende promover a noção de que está na mão de cada um contribuir para a sustentabilidade do planeta – ela ajuda a desenvolver as ideias de quem a procurar.

“Queremos que as pessoas se apercebam que têm as ferramentas necessárias para ajudar a mudar o mundo”, refere, dando o exemplo de uma hospedeira de bordo que chegou a Tomar para desenvolver uma ideia para acabar com o plástico nos aviões.

Já sabemos há muito tempo como destruímos o ecossistema, diz: agora é a altura de ter uma atitude construtiva. “Temos que contribuir para o futuro no qual queremos viver. Eu quero que a minha vida seja mais do que comprar coisas e ir trabalhar… Quero deixar a Terra melhor do que estava quando eu nasci”, frisa Leyla.

Já sabemos há muito tempo como destruímos o ecossistema, diz: agora é a altura de ter uma atitude construtiva. “Temos que contribuir para o futuro no qual queremos viver.

Designer de formação, Leyla conta que aos 19 anos leu algo que a deixou com uma visão diferente do mundo. “Lembro-me de ter chorado após ter lido que todos estamos ligados ao planeta. E, quando damos conta, faz mesmo tudo sentido. Passei os três anos seguintes a ler, a pesquisar e a refletir sobre estas questões”, confidencia, acrescentando que corre muitos riscos e bate a muitas portas.

“Não me importo de correr riscos porque se correr mal sou eu que limpo a porcaria”, ironiza. Conta ainda que tinha uma vida cliché em Nova Iorque quando se sentiu ‘stressada’, esgotada e infeliz. Decidiu ter uma conversa consigo própria, chegando à conclusão que devia comprar uma quinta num país estrangeiro e mudar-se para lá. Contrariamente ao que esperava, a família e os amigos apoiaram-na.

Quando lhe perguntamos como chegou até aqui e qual o segredo do seu sucesso, Leyla não hesita na resposta: com muito trabalho duro. A australiana conta que já falhou muito, mas por ter tentado muito. Bateu a muitas portas, dormiu por vezes onde calhou, esperou horas por uma reunião importante.

“Penso que descobri uma paixão, tornei-me boa nisso, aprendo imenso e trabalho arduamente. Durante 15 anos, aproveitei todas as oportunidades que surgiram e entreguei-me apaixonadamente”, refere, acrescentando que o que é importante é manter a integridade.

Tomar | A designer australiana que criou um 'spa para a mente' na Serra
Um dos muitos animais da sua quinta biológica, onde os fertilizantes são deixados de fora. Foto: mediotejo.net

No Creative Optimism Project há workshops variados e ainda Campos Criativos (Creative Camps) para ajudar a ligar as pessoas à natureza. Este primeiro ano de trabalhos é mais experimental mas, este ano 2019, haverá um calendário de atividades mais estruturado, explica. O objetivo passa também por ensinar a cozinhar comida vegetariana.

Na horta de Leyla todos os produtos são biológicos. Os animais que por ali se veem (patos, cabras e até um burrito) têm apenas a função de ajudar a fertilizar os solos. A chuva e o sol fazem o resto.

“Somos as coisas que compramos e que comemos. A questão da alimentação é muito sensível para mim. Gostava que as pessoas respeitassem mais a natureza e os animais. Os humanos acham que têm o direito de torturar os animais para fazerem deles comida mas até as minhas galinhas têm consciência”, defende esta vegetariana por amor aos animais.

Tomar | A designer australiana que criou um 'spa para a mente' na Serra
Foto: mediotejo.net

Todos os meses decorre um Open Day (Dia Aberto) permitindo a quem marcar previamente ficar a conhecer o projeto. O COP destina-se a todas as pessoas, independentemente da sua origem, profissão ou idade. Trata-se de “aprender com os melhores” para depois aplicar no mundo a sua ideia sustentável.

Não acho que nada seja impossível. Não tenho poderes especiais, a não ser estar apaixonada por uma missão e trabalhar muito para concretizá-la.

“Não gosto quando dizem que o futuro está nas mãos das crianças. São os adultos que têm o dinheiro e o poder para mudarem o estado das coisas”, defende. Leyla quer ajudar a desenhar um futuro melhor para todos, lembrando que somos seres criativos e temos o poder de criar esse mundo.

“Não acho que nada seja impossível. Não tenho poderes especiais, a não ser estar apaixonada por uma missão e trabalhar muito para concretizá-la. E agora sou convidada para falar em todo o mundo”, reflete. Das Nações Unidas às Conferências TED, Leyla Acaroglu já conhece todos os palcos.

Ela será, em última instância, o exemplo concreto da teoria que professa: “Uma pessoa não pode mudar o mundo… mas se muitas ajudarem, o mundo muda.”

*Publicada em agosto de 2018, republicada em janeiro de 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here