Mação | Arlindo Marques, o guarda prisional a quem chamam o “Guardião do Rio” (C/VÍDEO)

Em pequeno, Arlindo Marques era conhecido como o Dragão da Ortiga. Nascido naquela freguesia ribeirinha do concelho de Mação, Arlindo Marques, hoje, com 53 anos, guarda prisional de profissão, é tratado pela comunidade piscatória e ambientalistas como “O Guardião do Rio”. Arlindo Marques, conhecido como o “guardião do Tejo” pela sua luta em defesa do rio, foi hoje distinguido pela Confederação das Associações de Defesa do Ambiente com o Prémio Nacional do Ambiente, que considerou “um reconhecimento” do seu trabalho.

PUB

As folgas e as férias deste ambientalista são passadas junto ao Tejo, onde se sente em casa, junto da natureza, dos pescadores e ouvindo o chilrear dos pássaros. De manhã ou de noite, não há caso de poluição para que não seja alertado pelos amigos do Tejo e que não filme, fotografe e denuncie junto das entidades competentes e publique nas redes sociais.

Defensor acérrimo da liberdade do rio e do combate aos interesses económicos de quem polui o Tejo “de todos nós”, Arlindo Marques diz que foi há três anos que a luta ganhou outros contornos em termos de consciencialização ambiental e exercício de cidadania pelo agravar dos episódios de poluição e baixos caudais.

“Hoje chamam-me ‘o guardião do rio’ e fico orgulhoso por um rio que não é só meu mas de todos nós. Até as crianças já me reconhecem e perguntam-me se a água está boa para banhos, antes de mergulharem no Tejo”, observa Arlindo, afirmando, convicto, que “dentro de um ano a guerra da despoluição do rio estará ganha”.

*Publicada em 2016 e republicada a 21 de novembro de 2018 no âmbito da distinção de Arlindo Marques com o Prémio Nacional do Ambiente

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here