Sertã | Moradores de Cernache preparam-se para uma noite de vigília e um dia de inferno

A vila de Cernache do Bonjardim, na Sertã, mas também outras freguesias e muitas aldeias estão esta noite expectantes com as chamas que lavram no norte do concelho, propagadas a partir do incêndio que nasceu sábado em Pedrógão Grande. “Vai ser uma noite de expectativa e um dia para combater. Esperemos que o vento nos ajude”, disse esta madrugada ao mediotejo.net o presidente da Câmara da Sertã, Farinha Nunes.

PUB

“As pessoas querem ajudar e estão a levar muitos mantimentos, água e fruta para o quartel de Cernache do Bonjardim”, observou, tendo apelado à população que abandone imediatamente as suas habitações se as autoridades assim o ordenarem. “Já basta de desgraças. Se as autoridades pedirem para abandonarem as casas, façam-no, por favor”, reiterou.

Segundo José Farinha Nunes, a noite vai ser de expectativa porque o fogo anda perto de algumas habitações, tendo referido que esta tarde de domingo já várias habitações foram evacuadas nas localidades de Cernache e Castelo.

“Os bombeiros estão no terreno”, referiu, tendo afirmado que na localidade de Vale do Sismo, freguesia de Carvalhal, a situação “está quase controlada. Sem reacendimentos, o problema ali fica resolvido” na segunda-feira. No local estavam, às 0:00, 22 operacionais e 6 viaturas.

Em Seixo, freguesia de Castelo, o incêndio estava à mesma hora “em resolução”. No local estavam 22 operacionais apoiados  por 7 viaturas.

“Estamos à espera, os nossos bombeiros estão rebentados a combater os fogos noutros sítios e agora ele está a chegar”, diz Manuel Silva, à beira da estrada nacional que atravessa a vila.

Junto ao quartel dos bombeiros da vila concentram-se pessoas, todas prontas para ajudar mas muitas sem saber como.

“Estou aqui para o que for preciso”, explica Rui, de 17 anos, que promete que vai concorrer à recruta da corporação de bombeiros no próximo ano. “É nestas alturas que vemos a importância dos bombeiros”, refere Manuel Silva.

Junto ao quartel, um dos bombeiros remete para as autoridades nacionais a resposta oficial quanto às preocupações. Já veio de Figueiró dos Vinhos, mas agora vai ficar aqui à espera. “Esta terra é nossa, estamos aqui para isto”, limita-se a dizer.

À sede de concelho estão a chegar também moradores de aldeias a norte, próximas do fogo que lavra no limite com Figueiró dos Vinhos e a Sertã.

Mais de 2.000 operacionais, apoiados por 62O veículos combatiam pelas 22:15 de hoje oito grandes incêndios que lavravam nos distritos de Castelo Branco, Coimbra, Évora, Leiria e Santarém, segundo dados da Proteção Civil.

De acordo com a informação divulgada na página na Internet da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), as chamas que deflagraram cerca das 14:45 de sábado em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, mobilizavam às 22:15 de hoje 880 operacionais e 275 veículos.

Segundo informação da ANPC às 22:15, existem três grandes fogos no distrito de Santarém, um dos quais ativo no concelho de Abrã, estando 121 homens e 35 veículos no terreno.

Em fase de conclusão estão os incêndios que atingiram as freguesias de Ferreira do Zêzere e São Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo, em Abrantes, mas mobilizam ainda 224 operacionais e 60 veículos.

c/LUSA

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here