Sardoal | Executivo aprova nome de Soraia Mourato como coordenadora técnica do CLDS 4G

Reunião de Câmara Municipal de Sardoal. Créditos: mediotejo.net

O Executivo camarário de Sardoal aprovou esta segunda-feira, 13 de maio, por unanimidade, a nomeação de Soraia Mourato como coordenadora técnica do CLDS 4G, programa em fase de candidatura. A 4.ª geração do Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social deverá arrancar no dia 1 de setembro em Sardoal.

PUB

Por proposta do presidente da Câmara Municipal de Sardoal, Miguel Borges (PSD), já tinha sido anteriormente definido ser a Associação de Assistência e Domiciliária de Alcaravela, a entidade convidada a desenvolver o programa CLDS 4G, garantindo um trabalho “de continuidade”, explicou o autarca ao mediotejo.net.

“Era necessário definir o coordenador do projeto e, em conjunto com a entidade e a câmara municipal, o nome proposto é Soraia Mourato que já estava a trabalhar no anterior Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social”, deu conta o presidente.

A 4.ª geração do Programa de Contratos Locais de Desenvolvimento Social deverá arrancar no dia 1 de setembro em Sardoal, mas “as candidaturas não estão abertas a todos os municípios”, notou, “apenas para aqueles territórios que a Segurança Social entende que necessitam ter este programa de desenvolvimento”.

Atualmente Sardoal elabora o plano para desenvolver ações em três eixos: Promoção do Envelhecimento Ativo e Apoio à População Idosa; Emprego, Formação e Qualificação; e Intervenção Familiar e Parental Preventiva da Pobreza Infantil.

PUB

O plano é para três anos financiados com 400 mil euros, “um trabalho que está a ser desenvolvido pela nossa equipa de ação social e pela Associação de Alcaravela”, acrescentou Miguel Borges.

Reunião de Câmara Municipal de Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Em termos de balanço, o autarca frisou que se tratou de “um trabalho bem desenvolvido, bem feito e com resultados verificados na prática, caso de parcerias que se mantiveram mesmo com este interregno entre o fim do CLDS 3G e o início do CLDS 4G, tendo as próprias entidades assumido a continuidade dos projetos em causa”, explicou, referindo-se ao serviço de teleassistência e do Coro infanto-juvenil desenvolvido com a FUS, desenvolvido no âmbito do CLDS.

Contrato Local de Desenvolvimento Social 3ª Geração (CLDS 3G) foi um programa que promoveu “a equidade territorial, a igualdade de oportunidades e a inclusão social nas suas mais diversas dimensões”, através de ações a realizar em parceria.

Já para o CLDS 3G, a Entidade Coordenadora Local de Parceria (ECLP) nomeada/convidada para desenvolver o programa no concelho de Sardoal, foi a Associação de Assistência Domiciliária de Alcaravela (AADA) – IPSS, Instituição Particular de Solidariedade Social, com sede em Santa Clara – Alcaravela.

O Plano de Ação do CLDS 3G | Sardoal SIM, assentou igualmente em três eixos: Emprego, Formação e Qualificação; Intervenção Familiar e Parental, Preventiva da Pobreza Infantil; e Capacitação da Comunidade e das Instituições.

No total, as ações a desenvolver pelos CLDS-4G integram quatro eixos de intervenção: Emprego, formação e qualificação; Intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza infantil; Promoção do envelhecimento ativo e apoio à população idosa; e Auxílio e intervenção emergencial às populações inseridas em territórios afetados por calamidades e/ou capacitação e desenvolvimento comunitários.

Centrado na promoção da Inclusão Social de grupos populacionais que revelem maiores níveis de fragilidade social num determinado território, mobilizando para o efeito a ação integrada de diferentes agentes e recursos localmente disponíveis, o Programa CLDS-4G tem como objetivos: Aumentar os níveis de coesão social dos concelhos objeto de intervenção dinamizando a alteração da sua situação socioterritorial; Concentrar a intervenção nos grupos populacionais que em cada território evidenciam fragilidades mais significativas, promovendo a mudança na situação das pessoas tendo em conta os seus fatores de vulnerabilidade; Potenciar a congregação de esforços entre o setor público e o privado na promoção e execução dos projetos através da mobilização de atores locais com diferentes proveniências; e Fortalecer a ligação entre as intervenções a desenvolver e os diferentes instrumentos de planeamento existentes de dimensão municipal.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here