Sardoal | Açoriana vence III Concurso de Pintura “À Descoberta do Mestre” com palavras sobre o tempo e a insularidade

Exposição e concurso de pintura "À Descoberta do Mestre", III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. A vencedora Maria João Costa. Créditos: mediotejo.net

O III Concurso de Pintura “À Descoberta do Mestre” resultou numa exposição coletiva inaugurada no Centro Cultural Gil Vicente, em Sardoal. A vencedora da terceira edição foi a açoriana Maria João Costa, uma farmacêutica, estudante de Belas Artes. O tríptico ‘A Imagem do Tempo’ são palavras escritas na tela que revelam a cortina do tempo na Ilha de São Miguel: nevoeiro, chuva e vento. O mediotejo.net esteve na cerimónia de divulgação dos vencedores e falou com a artista que mereceu um prémio de mil euros.

Maria João Costa, uma açoriana da Ilha de São Miguel, com 39 anos, farmacêutica e a terminar o curso de pintura na faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, foi a grande vencedora do III Concurso de Pintura “À Descoberta do Mestre”.

Um trabalho que iniciou em 2016 “e tem estado sem parar, a escrever”, disse ao mediotejo.net. A obra é um tríptico (três quadros) com o título ‘A Imagem do Tempo’ “cada um tem uma palavra diferente que se repete no tempo [vento, chuva e nevoeiro]”, palavras ligadas à sua origem insular.

PUB

“A questão do clima influencia-nos muito emocionalmente e é algo sempre muito presente. No Continente temos durante um longo período muito sol, nos Açores é absolutamente inconstante e essa circunstância acaba por nos influenciar como açorianos e criar um cunho fulcral da nossa identidade”, explica.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. Entrega do prémio à primeira classificada Maria João Costa. Créditos: mediotejo.net

Maria João pretende “criar algo visual através de palavras que tenham para mim um significado emotivo. Este trabalho iniciou-se quando senti que eram mais importantes as palavras do que procurar uma imagem, porque as imagens já residiam na minha memória. Senti que a repetição das palavras era ainda mais importante porque é uma forma de procurar algo que é sempre difícil de atingir, que são os sentimentos. Temos sempre dificuldade em decifrá-los”, acrescenta a artista que quer fazer da arte a sua vida profissional futura, não excluindo a farmácia.

PUB

Maria João Costa tomou conhecimento do Curso de Pintura “À Descoberta do Mestre” através da internet, conta sendo que o tema “Novos Caminhos” enquadrava-se no seu trabalho “porque isto é tudo um novo caminho”. Pela primeira vez em Sardoal Maria ficou a conhecer a obra do Mestre que diz ter “gostado muito”.

Receber este prémio foi “muito bom” para a artista, até por ser o seu primeiro prémio. “É profundamente simbólico”, afirma.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. Créditos: mediotejo.net

Das obras apresentadas pelos 49 participantes, oriundos de todo o país, o júri do concurso selecionou 33 trabalhos que compõem a referida exposição. O júri do concurso de pintura foi composto por Laura Afonso, personalidade com estreita ligação ao panorama artístico nacional; Carlos Vicente, coordenador do CEAC – Centro de Estudos de Arte Contemporânea; e Rita Vieira, doutorada em Belas-Artes – Desenho.

“Os artistas originam os prémios em si”, começou por dizer Carlos Vicente relembrando que o júri “tem um papel importante mas também muito frágil” admitindo que os trabalhos premiados podem não ser do agrado de todas as pessoas.

“Cada um de nós tem uma maneira de ver e fazer uma leitura dos trabalhos em questão. Todos os outros trabalhos, até aqueles que não estão presentes, foram importantes para que alguns tivessem merecido o prémio”, ou seja, do primeiro ao terceiro lugar e uma menção honrosa.

“Tentámos ser muito crus, muito reais em relação às opções que tomámos. Muitas vezes há um mau conceito e há uma pintura fantástica, outras vezes há uma pintura fantástica num mau conceito, muitas vezes está bem pintado mas não merece o prémio, porque se é dada uma orientação é para ser seguida”, no caso “Novos Caminhos”, referiu Carlos Vicente.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. A obra que ficou em segundo lugar o tríptico ‘In Memoriam’. Créditos: mediotejo.net

A iniciativa pretendeu promover e divulgar a pintura enquanto recurso de expressão artística, estabelecendo uma estreita relação com a herança histórica e cultural legada pelos pintores manuelinos, Manuel Vicente e Vicente Gil, tradicionalmente reconhecidos como Mestre de Sardoal.

Há sensivelmente quatro anos “pensamos em desafiar os nossos artistas a fazerem trabalhos inspirados no Mestre de Sardoal com quadros na Igreja Matriz de Sardoal. Miguel Borges aproveitou a oportunidade para lamentar “que ainda não tenhamos conseguido, dentro dos quadros de fundos comunitários, arranjar enquadramento para que aquelas obras possam ter outra dignidade e estejam melhor guardadas”, voltando a referir a necessidade de apoio à Fábrica da Igreja na recuperação e preservação da Igreja Matriz a necessitar urgentemente de obras.

Com o Concurso, o município assume também como “pilar estratégico no desenvolvimento do concelho o Património Cultural e Artístico”, considerou o presidente da Câmara.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. A obra que mereceu o terceiro lugar o tríptico ‘Novos Caminhos’. Créditos: mediotejo.net

Deste modo a iniciativa “nasceu da vontade do Município em divulgar e promover uma das heranças culturais e artísticas mais importantes” de Sardoal.

O primeiro prémio de 1000 euros foi então atribuído a Maria João Costa, o segundo prémio de 750 euros atribuído a Alexandre Reigada com a obra, também em forma de tríptico, ‘In Memorium’, e o terceiro prémio de 500 euros foi para Francisco Sousa, igualmente um tríptico intitulado ‘Novos Caminhos’. A menção honrosa foi atribuída a Mariana Duarte Santos com a obra ‘E Agora?’.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. Créditos: mediotejo.net

O concurso de pintura “À Descoberta do Mestre” resultou numa exposição coletiva inaugurada na sexta-feira, 20 de setembro, e estará patente no Centro Cultural Gil Vicente até ao dia 23 de novembro.

Exposição e concurso de pintura “À Descoberta do Mestre”, III edição com o tema Novos Caminhos, no Centro Cultural Gil Vicente, Sardoal. A obra vencedora, tríptico ‘A Imagem do tempo’. Créditos: mediotejo.net
PUB
PUB

3 COMENTÁRIOS

  1. Na qualidade de artista participante na exposição do concurso de pintura À Descoberta do Mestre, agradeço a divulgação do evento patente no Centro Cultural Gil Vicente, na bonita vila ribatejana do Sardoal.

  2. Fui ver a exibição e fiquei perplexa quando descobri quais foram os quadros vencedores.
    O que ficou primeiro, nem notei que lá estava até que vi o catálogo e depois procurei por ele nas exibição.
    O que ficou em segundo, foi pintado num material que enrugou ao secar. E o terceiro, nem consigo comunicar o espanto de ver que ganhou alguma coisa.
    Gostava de perceber como elegeram estas obras de entre as que estavam expostas. Por que se destacaram? Os Mestres do Sardoal devem estar a dar voltas nos seus túmulos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here