Regantes estimam que modernização do regadio entre 2021 e 2027 implica 1.700 ME

O regadio de Alvega tem uma área de 333,7 ha, tendo a origem da água para rega na estação elevatória no rio Tejo que abastece uma rede de rega em gravidade constituída por canais e regadeiras. Foto: DR

A federação dos regantes propôs uma estratégia para a modernização do regadio que engloba, entre outros pontos, a certificação ambiental das áreas regadas, estimando que será necessário investir 1.700 milhões de euros entre 2021 e 2027.

PUB

“Os regantes portugueses, representados pela Fenareg [Federação Nacional dos Regantes de Portugal], apontam caminhos orientadores das políticas públicas de regadio até 2050, e propõem ações para modernizar o regadio em Portugal, estimando que será necessário investir 1.700 milhões de euros no período 2021-2027”, apontou, em comunicado, a federação.

Neste sentido, os regantes propuseram sete eixos de desenvolvimento estratégico das políticas públicas de regadio, como a expansão da área infraestruturada para rega e o aumento da capacidade de armazenamento de água e de regularização interanual, através do “alteamento de algumas barragens e construção de novas nas bacias hidrográficas mais carenciadas”.

Por outro lado, os regantes defendem a modernização das infraestruturas públicas de rega, tendo como intervenções prioritárias as construções anteriores a 1990, a promoção de melhores práticas de rega nas explorações agrícolas, bem como o reforço da sustentabilidade ambiental do regadio, com a certificação de 100.000 hectares de explorações de regadio sustentável até 2027.

Adicionalmente, a Fenareg, que representa mais de 90% do regadio organizado nacional, quer “compatibilizar instrumentos de ordenamento do território e conservação da natureza com a expansão das áreas regadas”, rever os modelos de tarifários e adequar a legislação à nova realidade, criando, para isso, um sistema “equilibrado e equitativo para a água de rega”.

PUB

Apesar do Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030 estimar 750 milhões de euros para o regadio, a Fenareg considera que será possível financiar o conjunto de ações propostas na sua estratégia, “alargando os instrumentos financeiros a fundos para além do FEADER” (Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural), nomeadamente o Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), o Fundo Ambiental ou empréstimos do Banco Europeu para o Investimento, entre outros.

A proposta da Fenareg vai ser formalmente apresenta esta sexta-feira, na Feira Nacional de Agricultura, em Santarém

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here