Ourém | Metade dos coreanos que visitaram Portugal dormiram em Fátima

Foto: Público/D.R.

O “pequeno” fenómeno do turismo coreano em Fátima, no qual a ACISO – Associação Empresarial Ourém Fátima tem vindo a apostar, continua a surpreender. Os dados finais de 2016 dão conta que 94% dos coreanos que visitaram a zona centro dormiram em Fátima, um número que ronda as 50 mil pessoas. A nível nacional, o país recebeu nesse ano um total de 104.955 hóspedes.

PUB

A estabilidade económica, a qualidade de vida e uma Igreja Católica em crescimento e bastante dinâmica, apoiada por uma classe média alta, parecem estar por detrás dos factores que levam a que a Coreia do Sul se destaque entre os países que viajam para a Europa, sobretudo para uma cidade religiosa como Fátima.

Disso dão conta as várias reportagens de análise que têm sido publicadas ao longo do último, incluindo pelo mediotejo.net, sobre o aparente “estranho” fenómeno do turismo coreano para Fátima.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresentados pela ACISO, no seu balanço do ano do centenário das aparições, dão conta que das 54.592 dormidas de coreanos na zona centro, 51.184 registaram-se em Fátima, o que perfaz 94%. Apenas a Polónia (64%) e a Itália (43%) acompanham este número, sendo no entanto países de grande tradição católica e que tradicionalmente integram as estatísticas dos visitantes de Fátima.

Num país com apenas 13% de católicos e onde a maioria da população não professa nenhum tipo específico de religião, a Coreia do Sul tem porém condições económicas e interesse em viajar para a Europa, onde tem procurado o seu espiritualismo. Em 2016, informou o Turismo de Portugal ao mediotejo.net, registaram-se 140.530 dormidas de coreanos em Portugal, num total de 104.955 hóspedes.

Estes números revelam que cerca de metade dos sul coreanos que visitam o país dormem em Fátima. No Workshop Internacional de Turismo Religioso de 2017, realizado em Fátima, o mediotejo.net questionou os agentes sul coreanos presentes sobre o porquê deste interesse crescente pela cidade.

Segundo Park Jon Sun, a segurança de Portugal estará por trás do interesse pelo país, em detrimento de outros países da Europa. Fátima atrai pelo seu profetismo, com toda a simbologia ligada ao segredo que anteviu a tentativa de assassinato do Papa João Paulo II e o fim da I Guerra Mundial.

Em 2016 o Santuário de Fátima registou 4014 peregrinos, em 143 grupos, provenientes da Coreia do Sul, encontrando-se o país em 7º lugar entre as peregrinações estrangeiras. Em 2006, quando entrou pela primeira vez no TOP10 do Santuário, tinha registado 1246 peregrinos, em 47 grupos.

Em 2017 a ACISO visitou o país, em conjunto com representantes do Governo, estando novas visitas previstas na programação de 2018.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here