Ourém | Com herança de 11.6 milhões de dívida, executivo PSD/CDS apresenta “obra feita” em dois anos de mandato

Dois anos da coligação Ourém Sempre (PSD/CDS). Foto: mediotejo.net

A meio do mandato na Câmara de Ourém, o executivo da coligação PSD/CDS na Câmara de Ourém faz o balanço. “Tem valido a pena”, afirmou o presidente Luís Albuquerque, no encontro com militantes e ourienses, numa iniciativa promovida pelo PSD de Ourém no dia em que passaram exactamente dois anos do início do seu mandato, 25 de outubro.

PUB

Albuquerque não esquece a dívida recebida de 11.6 milhões de euros, a qual já foi abatida em cinco milhões de euros, sem que isso tenha inviabilizado um investimento de 15 milhões , tanto quanto o executivo PS fez nos últimos três anos do seu mandato. Até final do ano de 2019, anunciou o edil, a dívida situar-se-á nos 6.7 milhões de euros.

Luís Albuquerque enumerou um conjunto de “processos muito difíceis por resolver”, referindo-se à empresa municipal OurémViva, às “escolas que eram uma desgraça”, à requalificação da rede viária, ao apoio aos bombeiros que “tiveram os maiores apoios de sempre”, além do apoio aos clubes e associações, para garantir que tem obra feita, levantando a bandeira da natalidade e a aposta nas zonas industriais, promessas de campanha.

Luís Albuquerque recorda dívida deixada pelo PS. Foto: mediotejo.net

As críticas ao PS
“Nestes dois anos de trabalho, tivemos de projectar muita coisa porque nem projectos havia”, afirmou o presidente da Câmara criticando o anterior executivo e, também, os vereadores do Partido Socialista. Luís Albuquerque apontou a “incompetência” do executivo liderado por Paulo Fonseca que “não conseguiram incluir na ARU (Área de Reabilitação Urbana” o projecto da requalificação da Avenida D. Nuno Álvares Pereira.

Por isso, a obra “ foi apenas comparticipada em 56% (ao invés de 85%) e o restante foi a Câmara a suportar”, notou.

PUB

Ainda em matéria de obras, o presidente da Câmara apontou o dedo aos vereadores da oposição no executivo por se terem abstido na votação do processo de requalificação do mercado da Freixianda.

No início da sua intervenção, o edil adiantaria aos presentes que o conjunto de intervenções serviria para “perceber (o que está a ser feito) e saberem contrariar algumas eventuais notícias que andam a circular”. Já no final, em jeito de conclusão, Luís Albuquerque aconselhou que “as pessoas tirem fotografias” para perceberem as diferenças. “Ourém vai ter investimento que nunca teve e vai ter uma remodelação muito grande”.

Equipa do atual executivo PSD/CDS. Foto: mediotejo.net

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here