Ourém | Coligação PSD-CDS pede que se suspenda escultura do centenário das aparições

reunião de câmara de 3 de março de 2017. Foto: mediotejo.net

Os vereadores da coligação PSD-CDS propuseram na reunião camarária privada de 17 de março, sexta-feira, a suspensão da obra da escultura municipal que marcará o centenário das aparições de Fátima. A estrutura está envolta em muitas dúvidas quanto ao financiamento e a oposição, tendo votado inicialmente de forma favorável, entende que não estão reunidas condições para a sua execução. A proposta foi reprovada pelo PS e pelo MOVE.

PUB

No texto da proposta, enviado às redações esta segunda-feira, 20 de março, pode ler-se que “na última reunião camarária, a 3 de Março de 2017, os Vereadores da Coligação PPD/PSD-CDS/PP apresentaram uma Declaração de Voto em que teceram alguns considerandos sobre a peça de Arte Urbana que o senhor Presidente da Câmara propôs, em nome do executivo socialista, ser implantada junto ao Posto de Turismo em Fátima”.

“Reconhecendo «a inegável importância de se dotar a cidade de Fátima de uma obra de valor artístico simbólico que perpetue o ano em que se comemora o Centenário das Aparições», os vereadores da Coligação PPD/PSD-CDS/PP salientaram na altura que embora votando favoravelmente, acreditando na boa fé desta proposta, consideravam, no entanto, que o Município se devia salvaguardar em todo este processo”.

Neste sentido a oposição pediu informação sobre as “características técnicas da escultura, bem como o seu custo; um esclarecimento escrito que a Peça de Arte Urbana será propriedade do município, salvaguardando, como decorre da lei, os respetivos Direitos de Autor sobre a mesma; a definição do procedimento, bem como de toda a componente técnica a executar, incluindo a respetiva estimativa orçamental, uma vez que é o município a coordenar e executar as obras necessárias à implantação da Escultura; a confirmação escrita que a solução mecenática encontrada nada tem a ver com o município, pelo que a relação deste é exclusivamente com o Escultor Fernando Crespo”.

Uma vez que esta informação não terá sido prestada aos três vereadores, na reunião de dia 17 estes propuseram “a imediata suspensão da execução da obra até aos cabais esclarecimentos e garantias em sede camarária sobre esta obra marcante para Fátima a nível visual, artístico e simbólico”.

De recordar que se trata de uma escultura que visa marcar os 100 anos das aparições de Fátima, mas cujo patrocínio da mesma, em forma de mecenato, é feito por empresas de fora do concelho que a oposição identificou possuírem um diminuto volume de negócios.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here