Ourém | Associação de Hotelaria de Portugal satisfeita com adiamento de Taxa Turística

Santuário de Fátima Foto: mediotejo.net
A AHP – Associação da Hotelaria de Portugal manifestou-se esta quinta-feira, 2 de maio, “satisfeita” com o adiamento da aplicação da taxa municipal de ocupação turística do concelho de Ourém, que iria incidir maioritariamente sobre a hotelaria de Fátima. De recordar que a alínea da receita da aplicação desta taxa foi retirada do orçamento para 2019 na assembleia municipal de Ourém de 25 de abril.
Em nota de imprensa, a AHP considera que houve “ponderação e bom senso” da parte da Câmara de Ourém. A associação recorda que “se opõe à implementação desta taxa turística por considerar que a mesma é desajustada à realidade de Fátima e, a ser aplicada, irá prejudicar fortemente os hoteleiros locais, relativamente aos demais agentes económicos daquele destino”.
Segundo a mesma informação, a porta-voz da AHP, Cristina Siza Vieira, considera que “medidas como esta não podem ser avulsas. Estamos a falar de um destino muito particular, muitas das pessoas que visitam Fátima não pernoitam na cidade e demonstração disso foram os resultados obtidos em 2018, onde a taxa de ocupação não foi além dos 46% neste destino turístico. Pedimos, por isso, uma maior reflexão sobre esta medida, pois o impacto poderá ser enorme e irá colocar em causa a sustentabilidade do destino”.
Adianta ainda a responsável que “temos fundadas expectativas que sejam encontradas outras formas de financiamento e apoio ao desenvolvimento da atividade turística no concelho ou, pelo menos, que a realidade da operação hoteleira na freguesia de Fátima seja comparada com as demais e encontradas as melhores formas de envolver a Hotelaria no destino das receitas provenientes deste tributo, caso o mesmo venha a ser aprovado”.
A AHP tem reunido com a autarquia para discutir a aplicação da taxa turística.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here