Óbito | Morreu António Fonseca Ferreira, ex presidente da CCDR-LVT

Morreu António Fonseca Ferreira, ex presidente da CCDR-LVT. Foto: DR

O antigo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), António Fonseca Ferreira, morreu na madrugada deste domingo, 13 de janeiro, vítima de uma doença prolongada contra a qual já lutava há algum tempo.

PUB

O velório realiza-se a partir das 17:30 desta segunda-feira, dia 14 de janeiro, na Igreja Santa Joana Princesa (junto à Av Estados Unidos da América, em Lisboa), onde também será realizada uma missa na terça-feira, às 9:15, antes da cremação nos Olivais.

António Fonseca Ferreira foi figura política destacada no país e na região de Lisboa e Vale do Tejo enquanto presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), onde esteve durante quase 11 anos, entre 1998 e 2008. Uma longa etapa da sua vida profissional, que culminou num período de profundas transformações no país e na Região. Durante este tempo, a Região evoluiu do Objectivo 1 (Coesão) para o Objectivo 2 (Competitividade Regional e Emprego), qualificando-se, tornando-se mais atrativa (1º lugar nas receitas do turismo) e mais competitiva.

Engenheiro de formação, uma nova perspetiva sobre o desenvolvimento regional, com a introdução do planeamento e gestão estratégicos territoriais, foi um dos contributos mais marcante de António Fonseca Ferreira, professor universitário na área de planeamento estratégico e territorial e autor de diversas obras nesta área, em particular o livro “Gestão Estratégica de Cidades e Regiões”, publicado pela Fundação Calouste Gulbenkian em 2005.

Fonseca Ferreira iniciou a carreira no LNEC, tendo passado pelo Fundo de Fomento à Habitação e pela Câmara Municipal de Lisboa. Esteve envolvido na coordenação ou colaboração de diversos planos estratégicos de cidades e municípios, entre eles Guarda, Aveiro e Coimbra, tendo coordenado ainda a elaboração do Plano Estratégico e do PDM de Lisboa.

PUB

Lecionou em diversas universidades nas áreas do Planeamento Estratégico, Urbanismo e Habitação, tendo sido diretor da revista “Sociedade e Território”.

António Fonseca Ferreira foi candidato pelo Partido Socialista à Câmara Municipal de Palmela, nas eleições autárquicas de outubro de 2009, mantendo sempre a sua disponibilidade para contribuir para uma melhor gestão estratégica do território a nível nacional e regional.

António Fonseca Ferreira morreu na madrugada deste domingo vítima de doença prolongada. Foto: DR

Nota Biográfica Política

1958

Com 14 anos, frequentando o 4º ano do Liceu Nacional da Guarda, fez parte de um grupo de estudantes que recebeu o General Humberto Delgado nas escadarias do Hotel de Turismo estendendo as capas (capa e batina) a servir de passadeira e afrontando as polícias.

1965/69

Militou nas Associações de Estudantes de Coimbra e da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

1970/71

Integrou a Comissão Nacional da CDE e desenvolveu actividade associativa no LNEC

1971

Foi preso pela PIDE (30 dias em Caxias) em resultado da actividade política na CDE. Julgado em Tribunal Plenário, em 1972, foi condenado a 5 anos de prisão remíveis a dinheiro

1973 (Junho)

Em sequência da informação da PIDE (“PA-Políticamente Activo”) foi passado a “soldado básico” com ordem de cumprimento do serviço militar, em regime disciplinar, em Moçambique, na guerra Colonial.

Desertou (24 Jun.) para França onde obteve asilo político.

1974 (Dezembro)

Regresso a Portugal

1976

Membro Fundador do GIS – Grupo de Intervenção Socialista, com Jorge Sampaio, João Cravinho, Nunes de Almeida, Joaquim Mestre, etc.

1978

O GIS decidiu, por maioria, integrar-se no PS (Governo PS/CDS). Recusou a adesão, e com outros amigos constituiu o Clube “Centro de Estudos Socialistas” onde promoveu diversas iniciativas de reflexão e edição.

1981

Liderou a participação do CES na FRS- Frente Republicana e Socialista, frente eleitoral liderada pelo Partido Socialista.

1983/85

Membro Fundador do MAD – Movimento para o Aprofundamento da Democracia, liderado por Maria de Lourdes Pintasilgo

1985/86

Integrou a Comissão Política da Candidatura de Maria de Lourdes Pintasilgo à Presidência da República

1987

Aderiu ao Partido Socialista em conjunto com outros 99 activistas cívicos e políticos

2001

Fundou, com outros camaradas do PS, o Clube de Reflexão “Margem Esquerda”

2002

Membro da Comissão Nacional do PS

2009

Liderou a Moção Política de Orientação Nacional “Mudar para Mudar”, “Mudar o PS para Mudar Portugal” apresentada ao XVI Congresso do PS (Espinho), com candidatura própria à Comissão Nacional. Elegeu 27 membros para a CN e 7 para a Comissão Política, das quais faz parte.

2011

Candidato a Secretário Geral do Partido Socialista, liderando a Moção “PS Vivo, Portugal Positivo”, no XVII Congresso do PS (Matosinhos), apresentada pela COES.

A COES, em aliança com o PS Madeira, apresentaram listas próprias à Comissão Nacional e à Comissão Política elegendo, respetivamente 43 (15,2%) e 14 (18%) membros.

Colaboração em diversos textos e Moções políticas e publicação de diversos artigos de natureza política, económica e social.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here