“O balanço de uma legislatura com resultados à vista”, por Hugo Costa

Hugo Costa. Foto: DR

A legislatura caminha para o fim, demonstrando que, afinal, existia alternativa e que a mesma pode ser feita em democracia. Recordo agora os que vaticinavam que a atual sessão legislativa não chegava a durar 6 meses e que, nomeadamente, seria impossível um entendimento à esquerda do ponto de vista orçamental. Estavam obviamente equivocados pois os resultados alcançados demonstraram precisamente o oposto.

Bem recordo “o diabo” que não veio ou a troça com que a direita enfrentou, nos primeiros debates, o atual Presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. Mas a verdade é que foi possível apresentar os melhores resultados do défice da democracia. Tudo isso em simultâneo, com um crescimento económico real de 9% nestes quatro anos e que, desde 2017, está acima da média europeia.

Vamos a dados concretos. Por exemplo, nestes quatro anos, a taxa de desemprego desceu de um valor superior a 12% em finais de 2015, para 6,8% no final do primeiro trimestre de 2018, sendo criados mais de 350 mil novos empregos segundo os dados estatísticos, com uma subida do salário mínimo de 20% durante a legislatura, e dos salários na casa dos 8%.

Muitos agora podem não se querer relembrar mas a verdade é que foi o atual Governo que voltou a devolver aos funcionários públicos os rendimentos e subsídios cortados.

Simultaneamente, foi possível retirar 180 mil pessoas da pobreza. Outra medida que gostaria de destacar foi a dos “passes sociais” mais baratos, com reduções que por exemplo na nossa região chegam a ser superiores a 100 euros por utente. Uma medida de forte impacto social, e que muito contribui para a descarbonização e mobilidade.

PUB

Muito mais há a fazer, sendo, por isso, possível continuar a trilhar um caminho que seja o mais justo para todos. Cá estaremos, no futuro, para esses desafios. Uma última nota nesta crónica para expressar a minha total solidariedade perante as populações que estão, por estes dias, a sofrer com o horror das chamas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here