“Novo mandato legislativo, a mesma responsabilidade”, por Hugo Costa

Hugo Costa. Foto: DR

Com a eleição directa de deputado do Partido Socialista pelo distrito de Santarém na Assembleia da República, reitero o compromisso de proximidade que sempre assumi, para fazer mais e melhor pela região que defendo nos próximos quatro anos. A minha postura vai continuar a ser a de sempre, sendo que o meu trabalho vai continuar com particular atenção à realidade económica, ao sector dos transportes e no combate às alterações climáticas.

PUB

O Partido Socialista foi o grande vencedor da noite eleitoral no país e também no distrito de Santarém, constituído por 21 concelhos, todos eles peças chave na coesão territorial. No distrito obtivemos uma vitória clara traduzida em mais votos, percentagem e mandatos.

Enquanto diretor de campanha foi um privilégio percorrer estas semanas de trabalho diário no terreno, junto dos cidadãos. Agradeço, novamente, a confiança depositada e tudo farei para não defraudar as expectativas do eleitorado que, conscientemente, escolheu quem melhor os pode representar na Casa da Democracia Portuguesa, a Assembleia da República.

Apesar de ser um  novo mandato legislativo mantenho a mesma responsabilidade.

Em termos de propostas defendidas para a região, saliento as áreas da saúde, sendo que, por exemplo, queremos nos próximos quatro anos mais valências e melhorar a qualidade dos serviços do Centro Hospitalar do Médio Tejo ( que serve toda a população de toda a região e com unidades hospitalares em Torres Novas, Tomar e Abrantes), apoiando a implementação dos programas de Hospitalização Domiciliária.

PUB

A cultura também continua a ser a nossa bandeira e vamos apoiar as candidaturas da Festa dos Tabuleiros a Património Imaterial da Humanidade (Unesco), do Fandango e da Cultura Avieira a Património Imaterial da Humanidade (Unesco), valorizando ainda a rede regional de museus, incluindo o Museu Nacional Ferroviário.

No que concerne à realidade económica que pretendemos para o distrito, queremos criar incentivos para atracção e fixação de população sobretudo nos territórios de baixa densidade. Igualmente, nas nossas propostas, inserem-se medidas que visam valorizar a utilização do transporte coletivo, promovendo a utilização dos passes sociais através do PART (Programa de Apoio à Redução Tarifária), garantindo a estabilidade dos preços e a defesa do alargamento da rede de serviços de transportes públicos.

O combate às alterações climáticas é outra das preocupações de topo, estando previstas a implementação de medidas que incentivem a utilização de energias renováveis, a promoção da recolha seletiva de resíduos, a reciclagem e a adoção de comportamentos ambientalmente sustentáveis, apoiando ainda a implementação de programas de sensibilização empresarial para a sustentabilidade.

Também a coesão e valorização territorial merece a nossa atenção, sendo que as propostas passam pela defesa da criação de uma nova Unidade Territorial (NUT 2) que garanta essa coesão regional, concretizar o estudo de viabilidade do Projeto Tejo e estabelecer um
programa de defesa dos recursos hídricos da região, promover a valorização do setor agroindustrial, do setor agroflorestal, do setor vitivinícola e do enoturismo e promover a implementação da Reforma da Floresta na região, entre muitas outras.

Por tudo isto e muito mais, mantenho e reitero o meu compromisso de proximidade, legitimado com o vosso voto.

*Editado às 21:30

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here