Médio Tejo | Os Caminhos da Pedra, espetáculos concelho a concelho

Chez Jopie, de Delinus. Foto: DR

Os Caminhos da Pedra começam na quinta-feira, dia 12, e o terceiro itinerário cultural apresentado este ano pelo projeto “Caminhos” reforça a ideia de que a região pode transformar-se num imenso festival composto por 13 palcos. À semelhança de outros eventos do género, nem sempre é possível assistir a todos os espetáculos por isso decidimos facilitar-lhe a vida apresentando o vasto programa por concelho para que esteja na fila da frente.

A nova rede de itinerância cultural da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo leva os caminhantes à descoberta da região e cada momento “Caminhos” envolve alguns dos 13 concelhos que a compõem. O critério de escolha nos Caminhos do Ferro foram as vias férreas, nos Caminhos da Água o elemento comum eram os rios e nos Caminhos da Pedra são as estradas principais.

Pode optar por essas, pelas secundárias ou até por atalhos para chegar ao Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas e Vila Nova da Barquinha, unidos entre os dias 12 e 15 com sugestões a qualquer hora do dia. No total, pode escolher entre três espetáculos de novo circo, cinco de teatro de rua, dois de teatro, um de dança para o público infantil, dois projetos com a população local, seis concertos e quatro percursos artísticos.

Comecemos pelo Entroncamento, onde se faz transbordo entre a música dos Desbundixie (18h00) a 12 e o novo circo do “Circo à Mostra” de Erva Daninha (17h00) a 13. A 14 chegam o teatro de rua “Fita Cola” do Projeto EZ (12h00 e 16) e o projeto “Andar” que junta Aldara Bizarro e a população local. Leonor Keil traz a dança com “Bianca Branca” (11h00 e 15h00) a 15 e a peça teatral “Viajantes Solitários” do Teatro do Vestido andam pelo concelho nos dias 12, 13 e 15 (21h30).

Médio Tejo | Os Caminhos da Pedra, espetáculos concelho a concelho
Viajantes Solitários, do Teatro do Vestido. Foto: João Craveiro

Se o palco escolhido for o de Ferreira do Zêzere, as propostas de teatro de rua incluem “Velocipédia” do Projeto EZ (10h00 e 16h00) a 13 e “Chez Jopie” do holandês Delinus (15h00) a 15. O novo circo surge com “Espera” da companhia espanhola Circo EIA (21h30) a 12 e o teatro chega a 14 com o sotaque italiano da companhia Teatro Necessario na peça “Nuova Barberia Carloni” (21h30). No domingo também há música com os Desbundixie (16h00).

Ourém também recebe o projeto comunitário “Andar” de Aldara Bizarro (18h00), com regresso marcado no dia 13 depois de já ter percorrido os Caminhos do Ferro. O novo circo do “Circo à Mostra” de Erva Daninha (11h30) mostra-se a 12 e a 14 e a 15 chegam a narração de histórias de Luís Correia Carmelo e a concertina de Nuno Morão no projeto “Contatinas” (16h00).

Há mais concertinas a trilhar o concelho no concerto dos Danças Ocultas (21h30) a 13 e a música continua a 14 com os Desbundixie (18h00) e a 15 com a guitarra clássica de “Filho da Mãe” (18h00). Ao longo dos quatro dias é possível descobrir o percurso artístico “O Caminho dos Mistérios?” de Marina Palácio com ponto de encontro na Antiga Colegiada / Igreja Matriz (10h30).

Médio Tejo | Os Caminhos da Pedra, espetáculos concelho a concelho
Criatura. Foto: DR

Os Desbundixie também passam pelo Sardoal a 13 (18h00) e são uma das duas propostas musicais na Vila Jardim, onde António Serginho criou a “Orquestra Caminhos” com músicos locais apresentada a 15 (16h00). O teatro vai andar nas ruas a 14 com o “Hotel la Rue” da companhia espanhola Teatro Totonco a 14 (18h00), as mesmas que podem ser (re)descobertas nos quatro dias através do percurso artístico “Phonambient” de Gustavo Costa com ponto de encontro na Praça da República (14h30).

Os caminhantes vão cruzar-se duas vezes em Tomar com o teatro de rua “Chez Jopie” do holandês Delinus a 12 (15h00 e 21h30) e outras duas com “Velocipédia” do Projeto EZ a 15 (15h00 e 18h00). Os encontros são pontuais com o teatro que chega a 13 com a peça “Nuova Barberia Carloni” da companhia Teatro Necessario (17h30), o projeto “Contatinas” de Luís Correia Carmelo e Nuno Morão (21h30) a 14 e a música da moçambicana Selma Uamusse (21h30) a 15.

Não muito longe da cidade templária, já no concelho de Torres Novas, o percurso artístico “Passos possíveis para «caminhares» mais sensíveis” de Yola Pinto entre 12 e 15 e tem ponto de encontro no Jardim da Liberdade, em frente ao Convento do Carmo (16h00). Luís Correia Carmelo e Nuno Morão chegam a 13 com o projeto “Contatinas” (11h00).

Médio Tejo | Os Caminhos da Pedra, espetáculos concelho a concelho
Selma Uamusse. Foto: DR

O teatro de rua está de “Passagem” com a companhia PIA a 12 e 13 (21h30) e regressa tem nova dose dupla com “Chez Jopie” de Delinus concentrada no dia 14 (15h00 e 23h00). O novo circo da companhia Erva Daninha também surge no programa de 14 e 15 com o espetáculo “E-nxada” (18h00).

As doses duplas continuam mais perto do rio Tejo, em Vila Nova da Barquinha, com o teatro de rua “Fita Cola” do Projeto EZ (11h00 e 18h30) e passam a quádruplas quando falamos do número de oportunidades que tem para conhecer “Quem foi? – Policiários de uma antiga Vila Nova”, o percurso artístico de Luís Correia Carmelo que parte do Centro Cultural (12 a 14 às 14h00 e dia 15 às 11h00).

Únicas neste concelho são as oportunidades de encontrar pelo caminho o novo circo de “Espera” da companhia espanhola Circo EIA (21h30) a 13, o projeto “Contatinas” (11h00) e a música de Criatura (22h00) a 14 e, no último dia do programa, o teatro “Nuova Barberia Carloni” (17h00) da companhia Teatro Necessario.

DEIXAR UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here