Médio Tejo | CHMT com mais atendimentos a cidadãos fora da sua área de influência geográfica

CHMT com mais atendimentos a cidadãos fora da sua área de influência geográfica. Foto: DR

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), EPE, tem aumentado o número de atendimentos a cidadãos fora da área geográfica de influência do Médio Tejo. Uma situação que vai de encontro à performance da Instituição nos indicadores de Acesso e que colocam o CHMT na primeira posição a liderar o grupo C, que inscreve 14 entidades hospitalares equiparáveis, todas pertencentes ao SNS.

PUB

Em nota de imprensa, o CHTM dá conta que “só referente a 2019, desde o dia 1 de janeiro até 31 de julho, 8,5% do total das consultas médicas foram realizadas a utentes fora da área geográfica do CHMT, EPE”.

No mesmo período deste ano o atendimento em Urgência recebeu 12, 41% de cidadãos residentes também fora da área de influência do Centro Hospitalar do Médio Tejo. O mesmo aconteceu com a cirurgia programada que teve um acesso de 10,64% de utentes provenientes de fora da área geográfica de influência do CHMT.

Também nas consultas provenientes do Cuidados de Saúde Primários (CSP) o acesso de cidadãos de fora da área do CHMT tem uma percentagem de 8,3, o que significa a referenciação para o CHMT de outras estruturas de cuidados de saúde primarias, que não o ACES Médio Tejo.

Na mesma nota, o CHMT lembra que, desde maio de 2016, o mecanismo de livre acesso e circulação no Serviço Nacional de Saúde (SNS) permite que o utente possa escolher o Hospital onde quer ser atendido, independentemente da sua área de residência.

PUB

O presidente do Conselho de Administração, Carlos Andrade Costa, citado na nota de imprensa, sublinha “o contributo, a dedicação e enorme espírito de serviço de todos os profissionais do Centro Hospitalar do Médio Tejo” na concretização  do aumento do acesso ao CHMT, EPE, por parte de população proveniente de zonas geográficas de fora da área de influência do CHMT.

Segundo o gestor, “para esta realidade contribuiu, igualmente, o investimento e modernização tecnológicas, que permitiu um salto qualitativo muito significativo no equipamento disponível e afeto à funções de diagnóstico e de tratamento no âmbito da assistência clínica prestada pelos profissionais”.

Desde 2015 e até 31 de julho de 2019, o Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, nota, “investiu mais de 6 milhões de euros em equipamentos e instalações, o que ultrapassa o objetivo de investimento de 1 milhão de euros por ano”.

“O CHMT teve, nos últimos quatro anos, um investimento de 6.017.873 ME, um esforço financeiro só possível com a estreita colaboração e incentivo recebido por parte da nossa tutela. Este reforço e a modernização de equipamentos capacitaram o CHMT e contribuíram para a melhoria dos seus indicadores, em particular no acesso aos cuidados de saúde por parte da população e, também, na melhoria das condições de trabalho para os profissionais”, concluiu Carlos Andrade Costa.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here