Mação | Visita oficial distinguiu empresários e abordou futuro do concelho (c/video)

Foto: mediotejo.net

Em dia marcado pela visita oficial à 25ª Feira Mostra de Mação, esta sexta-feira, dia 29, com a presença do Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, foram também distinguidas três empresas do concelho, destacadas pelo IAPMEI como PME Líder no ano 2017. Vasco Estrela, presidente da CM Mação, referiu “Não somos menos que ninguém, aqui também temos de criar condições para que o concelho se desenvolva e que as empresas tenham aqui condições para estar”, numa tarde em que também o futuro da floresta e a questão da discriminação do concelho na atribuição dos apoios pós-incêndios foram abordados.

Depois de arruada com a Sociedade Filarmónica União Maçaense, que trouxe todos os membros do executivo, o Secretário de Estado, outros autarcas de municípios vizinhos, caso de Sardoal e Abrantes, presidentes das Juntas de freguesia e representantes das mais variadas entidades e instituições ao Largo da Feira, dá-se a visita aos expositores e stands.

Momento após o qual, a comitiva prosseguiu para o stand do Município, dando-se início aos discursos de abertura da cerimónia de distinção aos empresários do concelho distinguidos igualmente em 2017 pelo IAPMEI enquanto PME Líder. Foram distinguidas as empresas Indústrias VIP, Velas e Ceras, Unipessoal Lda, a empresa Distrimação Supermercados LDA, e a empresa Construmação – Construções e terraplanagens, Unipessoal Lda.

Um dos três empresários distinguidos pelo IAPMEI enquanto PME Líder em 2017 e que foram distinguidos pela CM Mação em cerimónia, no dia 29. Foto: mediotejo.net

Durante o seu discurso, Carlos Miguel, Secretário de Estado das Autarquias Locais, lembrou os seus tempos de autarca, mostrando compreender a missão do poder local e os feitos deste nos últimos 40 anos no desenvolvimento dos territórios. Dirigiu-se a Vasco Estrela, autarca maçaense, reconhecendo que “está todos os dias muito preocupado com a sua gente e com o seu território. E por isso eu sei que as suas lutas perante a adversidade que por aqui passou de uma forma gravosa, são lutas justas e legítimas”. O governante disse ainda que o presidente de CM Mação poderá contar consigo “na procura desse caminho de justiça para as pessoas e para o seu território”.

Quanto ao certame, Carlos Miguel crê que “o evento representa aquilo que é uma autarquia deste século, e em 2018”, notandoo que “uma feira como esta é um local de exposição de produtos, é um local de compras e vendas , e é um local onde se come sempre bem. Mas é essencialmente um local de encontro. Tenho a certeza que há muita gente do concelho que se encontra aqui na feira, e muita gente vizinha também vem à feira e aqui se encontra anualmente. (…) O meu voto final é que, para além de terem uma boa feira, que tenham bons encontros”, terminou, agradecendo o acolhimento.

Por seu turno, Vasco Estrela, autarca de Mação, deixou uma palavra aos empresários e munícipes do seu concelho. Disse, dirigindo-se ao Secretário de Estado, que esta 25ª Feira Mostra marca “um renovar de ambição para o concelho e um virar de página”, aludindo às catástrofes do ano passado, entendendo que “é altura de tentarmos trabalhar para um futuro diferente, sem esquecer contudo aquilo que há para resolver e que há para esclarecer”. O autarca mencionou que as pessoas do concelho são “gente brava, com vontade de fazer coisas e com vontade de dar a volta a esta situação”, apelando a que “o concelho se possa unir cada vez mais em prol do seu futuro (…) de um futuro melhor para todos nós”.

Vasco Estrela referiu que muito do desenvolvimento se faz graças aos agentes económicos do concelho, das associações e IPSSs e da comunidade maçaense, no concelho e fora dele. “Estes empresários são o exemplo que em Mação, no Interior do país, também é possível criar riqueza e serem distinguidos”, destacando a “história empreendedora” do concelho.

“Não somos menos que ninguém, aqui também temos de criar condições para que o concelho de desenvolva e que as empresas tenham aqui condições para estar”, disse Vasco Estrela, presidente da CMM. Foto: mediotejo.net

Quanto à floresta e produtos endógenos, o autarca mencionou que “a floresta foi no passado e será no futuro uma aposta deste concelho, não podemos viver de costas voltadas para o território, não podemos ignorar aquilo que está à nossa volta”, disse, citando o vice-presidente da autarquia, António Louro, e mostrando que independentemente das fatalidades dos incêndios, “a Câmara de Mação está empenhada em, juntamente com os proprietários, o Governo, as Associações de Produtores Florestais e com outras entidades, em encontrar soluções para uma floresta sustentável em Mação e todo o Interior de Portugal”, considerando que “se no passado a floresta foi fator de riqueza deste concelho, temos todos em conjunto, o País, encontrar soluções para a floresta de Portugal”.

Por fim, Vasco Estrela deixou “um enorme agradecimento a todos os que fazem a Feira”, que é a “feira do concelho de Mação e de todos nós”, frisando que “cada vez mais as pessoas têm que se rever nesta feira” e que “todos os maçaenses devem sentir orgulho na Feira que aqui levamos a efeito”.

“Nada conseguiríamos fazer se não fosse o empenho dos expositores que aqui estão, das associações que estão a servir as refeições, a quem aproveito para agradecer o trabalho extraordinário que fazem, as associações que vão desenvolver ao longo do fim-de-semana uma conjunto grande de atividades recreativas, culturais e desportivas, as associações que vão animar o espaço durante as tardes e noites. A todos, a Câmara Municipal de Mação está grata. Esta é a feira de todos nós”, concluiu.

Incêndios – Regras dos apoios “estão definidas há muito”  diz Secretário de Estado

Mação | Após visita oficial à Feira Mostra e depois da distinção aos empresários de Mação, o Secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, e o Presidente da CM Mação, Vasco Estrela, em declarações à comunicação social sobre a incontornável questão dos apoios no pós incêndios.

Publicado por mediotejo.net em Sexta-feira, 29 de Junho de 2018

Abordado no final da cerimónia pela comunicação social quanto à atribuição de apoios pós-incêndios que Mação reivindica receber a 100% e que só lhe foram atribuídos a 60%, Carlos Miguel disse que “as regras/definições de compensação daquilo que era o apoio aos incêndios, estão definidas há muito, embora infelizmente – naquilo que respeita aos municípios – ainda não estejam a ser executadas”.

O governante refere que as candidaturas já foram apresentadas e irão ser apreciadas em breve, ainda que “no restante território ainda não foram abertas e isso é uma preocupação do Governo”.

Indicou ainda que “o Governo definiu que aquilo que é Fundo de Emergência Municipal está definido na lei e no máximo é 60%, e por isso entendeu-se que esta região beneficiaria desse apoio, que é dinheiro do Orçamento de Estado e que as candidaturas já foram apresentadas . E porque era uma situação, que entendeu o Governo na altura, bem ou mal, que era uma situação de incêndio normal”. Por outro lado, o Secretário de Estado Carlos Miguel lembrou que “em alturas diferentes, entendeu o Governo que os outros incêndios eram excecionais, e teriam tratamento excecional, e já não é respondido através do Orçamento de Estado mas é respondido através do Fundo Social Europeu e esse tem regras próprias e uma percentagem diferente (100%) e tem uma elegibilidade diferente desta”, contextualizou.

Foto: mediotejo.net

Já Vasco Estrela mostrou-se irredutível quando à sua palavra, quando declarou guerra ao Estado português pela não inclusão do seu concelho, com cerca de 80% de área ardida, nos apoios a 100%, estando contabilizados cerca de 3 milhões de euros em prejuízos de infraestruturas municipais. “As reivindicações mantêm-se, não vou agora dizer que as coisas são justas quando sei que são injustas e sempre as achamos injustas. O Governo decidiu, quanto a nós, mal, com critérios errados, mas neste momento estas são as regras do jogo. Veremos se as conseguimos alterar ou não, como o Município de Mação pode ou não ser recompensado”, disse, notando que Mação “nunca concordará” com as ditas regras assumidas pelo Governo.

O autarca sublinhou que “ninguém esperará que diga agora uma coisa diferente do que ando a dizer há uma série de meses, nunca poderei em tempo algum considerar correto e justo aquilo que foi feito”, aludindo ao desenvolvimento do processo que pretende interpôr judicialmente contra o Estado português nesta matéria.

Fotogaleria da visita oficial:

Saiba mais sobre a programação para os últimos dois dias de Feira Mostra em Mação:

Especial Mação | Feira Mostra já arrancou e tem programa para miúdos e graúdos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here