Mação | Ruas da vila preparam-se para acolher a tradicional Feira dos Santos

Feira dos Santos, em Mação

A 1 de novembro, Dia de Todos os Santos, Mação irá cumprir umas suas tradições com mais uma edição da Feira dos Santos, um certame com mais de 200 anos. O evento atrai visitantes da região, oferecendo uma grande variedade de produtos, que vão do artesanato, aos hortofrutícolas, utensílios de cozinha, jardinagem ou agricultura e produtos típicos da gastronomia local, nomeadamente bolos e broas da época e frutos secos.

PUB

A Feira dos Santos, criada em 1800, é a mais antiga do concelho e uma das mais conhecidas da região, sobretudo pela variedade de produtos que ali se podem comprar.

O certame continuará a ter espaços distintos, estando a oferta instalada pelas várias ruas da vila. Segundo a CM Mação, junto ao Jardim Municipal vão vender-se cereais, frutos secos e cestos de vime; já no centro histórico, estarão em destaque as latoarias, as árvores de frutos, as flores, os queijos, os oleados, os panos para a apanha da azeitona e outros utensílios para fins agrícolas.

Na parte mais nova da vila, no Largo da Feira, tem lugar a feira em jeito de mercado, com vestuário e calçado, enquanto que no Largo dos Bombeiros Voluntários de Mação estarão à venda e expostos utensílios agrícolas, tratores e outros acessórios similares.

Junto ao Largo dos Combatentes, perto da Câmara Municipal e do Cineteatro maçaense, haverá “recriação de um mercado à moda antiga, numa tenda montada para o efeito” com bancas da responsabilidade das associações, Instituições de Solidariedade Social e escolas, apresentando produtos caseiros, artesanais e agrícolas, e ligando o percurso da feira, dividido em vários pontos. Aqui é costume encontrar-se à venda os tradicionais Bolos dos Santos, broinhas, pão caseiro, legumes e ervas aromáticas, entre outros.

PUB

A Feira dos Santos foi criada em 1800 sendo, por isso, a mais antiga do concelho e uma das mais conhecidas da região, sobretudo pela variedade de produtos que oferece. Foi criada por provada falta que fazia a Mação e aos concelhos vizinhos. Afirmou-se de tal forma que, mais de dois séculos depois, continua a ser uma das maiores da região.

E com as temperaturas a baixar e o outono a tornar-se mais evidente, não será de estranhar se pairar no ar o cheiro a castanhas assadas por entre a animação ao longo do dia.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here