InCup | Sentieiras venceu categoricamente em S.Miguel do Rio Torto (C/fotos e áudio)

Jogo interessante no Farinha Pereira.

CASA DO POVO DE S.MIGUEL DO RIO TORTO 1 – CENTRO POPULAR DE CULTURA E DESPORTOS DE SENTIEIRAS 4
InCup – 2ª jornada
Campo Farinha Pereira – S.Miguel do Rio Torto – Abrantes
14-09-2019

PUB
S.Miguel estreou-se na InCup a perder em casa.

Um dos objetivos da InCup, prova de pré época a congregar as equipas do concelho de Abrantes que irão disputar a Liga Inatel, é proporcionar competição numa fase precoce da época. Serve ainda para aquilatar da qualidade dos plantéis e como se apresentam em termos físico-táticos.

Apresentaram-se no cuidado pelado do Farinha Pereira duas equipas em estádios diferentes de preparação. As Sentieiras, com um vasto plantel, aparentou estar numa fase adiantada dos trabalhos. O S.Miguel, com poucos atletas no banco, pareceu já ter um modelo de jogo definido faltando-lhe, naturalmente, rotinas.

Sentieiras com preparação mais adiantada.

As Sentieiras entrou melhor no jogo, a querer marcar o ritmo que lhe convinha, com maior posse de bola e mais iniciativa atacante. Esbarrou, contudo, numa boa organização defensiva do S.Miguel, a jogar com três centrais o que lhe dava bastante consistência.

Com as equipas encaixadas foi sem surpresa que o primeiro lance de perigo só surgisse aos 13 minutos, através de um pontapé de canto favorável aos visitantes. Fred, à entrada da área encheu o pé e João Carlos teve de se aplicar numa defesa vistosa.

PUB
Fred acrescentou velocidade ao ataque das Sentieiras.

Dois minutos depois foi a vez de Bruno Ferreira ensaiar a meia distância, passando o esférico por cima da baliza das Sentieiras. Aos 17 minutos, Mário Rodrigues, um dos “playmaker” dos amarelos, ensaiou um forte remate a partir do bico esquerdo da grande área. Valeu a atenção de João Carlos.

A resposta chegou por Manuel Gaio que driblou três adversários, entrou na área e quando ensaiava o remate interpôs-se um adversário.

S.Miguel não enjeitou possibilidade de subir à área contrária.

A meio da primeira parte o S.Miguel beneficiou de um livre. O central Bruno Ferreira subiu à área para cabecear para defesa de recurso do guarda redes Ricardo Pereira. Na recarga José Silva proporcionou nova defesa ao guarda redes forasteiro.

À passagem do 25º minuto surgiu o primeiro lance polémico do desafio. Fred entrou em velocidade na área, cruzou e o corte do defesa pareceu feito com a mão. O árbitro Tiago Matias não teve esse entendimento e mandou jogar. No minuto seguinte Mário Rodrigues rematou ao lado.

Mário Rodrigues esteve muito rematador.

A equipa que viajou da aldeia de Sentieiras estava no seu melhor período e os lances de ataque sucediam-se obrigando a defensiva da casa a trabalho suplementar.

Aos 27 minutos Fred foi à linha de fundo, rematou de ângulo apertado e obrigou João Carlos a grande defesa para canto. Reagiram os sãomiguelenses também através de um canto e perante alguma dificuldade da defesa forasteira em afastar sucederam-se os remates. O último deles foi de Ricardo Gomes, mas para lá da linha de fundo.

Aos 31 minutos as Sentieiras beneficiaram de um livre, ainda longe da área, e Pedro Martins, o conhecido Kikas, executou de forma perfeita inaugurando o marcador.

Apesar de boas oportunidades o primeiro golo seria de bola parada.

O S.Miguel tentou reagir ao golo adversário, subiu linhas e perdeu consistência defensiva.Aproveitou a equipa de Pedro António, adjunto promovido neste jogo a principal, para em rápido conta ataque, aos 35 minutos, ganhar superioridade numérica. Fred quis levar o esforço até ao fim quando se impunha a assistência e rematou ao lado.

Já em tempo de compensação novo lance que mereceu fortes protestos da equipa da casa. O S.Miguel beneficiou de um livre a meio campo. Gonçalo Santos, que não estaria à distância regulamentar, ganhou o esférico, lançou-se numa cavalgada até à área onde serviu de bandeja Mário Rodrigues que não desperdiçou.

Mário Rodrigues fez o segundo golo para as Sentieiras.

Pouco depois o árbitro apitou para o descanso. Ao intervalo justificava-se a vantagem dos visitantes porquanto foi a equipa com melhor rendimento ofensivo. A resistência defensiva do S.Miguel durou meia hora.

Justiça no marcador ao intervalo.

Competia ao S.Miguel correr atrás do prejuízo. Foi o que fez. Um livre logo no quarto minuto do complemento encontrou a cabeça de Bruno Ferreira que não lhe deu a melhor trajetória.

Respondeu o Sentieiras no minuto seguinte com um golo de belo efeito. Fábio Cunha isolou-se, tirou as medidas à baliza de João Carlos e executou um chapéu perfeito.

Chapéu perfeito aumentou a contagem.

O “score” avolumava-se e o S.Miguel dispunha de poucos argumentos para inverter a tendência do jogo. O desafio entrou numa fase de algum adormecimento e só aos 51 minutos a bola voltou a rondar a baliza da equipa da casa. Na circunstância foi Gonçalo Santos a disparar de longe mas para fora.

Pouco depois o S.Miguel dispôs de um livre e Ricardo Gomes cabeceou para fora. O lance estava anulado por posição irregular. A resiliência da equipa de João Margalho viria a dar frutos. Diogo Martins rematou para defesa incompleta de Ricardo Pereira. Na emenda Gonçalo Oliveira reduziu a diferença no marcador aos 56 minutos.

Gonçalo Oliveira marcou para o S.Miguel.

Acreditavam os homens da casa e aos 62 minutos um cruzamento do lado esquerdo do seu ataque encontrou Gonçalo Oliveira em boa posição para marcar. O remate foi interceptado por um defesa.

Aos 56 minutos um roubo de bola de Hélder Carboila a meio campo permitiu a Mário Rodrigues ficar com a baliza deserta. Falhou o que parecia fácil e o esférico perdeu-se pela linha de fundo. O seu irmão Filipe Rodrigues quis testar a atenção de João Carlos e de longe, em jeito, obrigou o guarda redes a boa intervenção.

Guarda redes João Carlos com muito trabalho.

Pouco depois Mário Rodrigues conseguiu isolar-se, parecendo partir de posição irregular, mas na hora de rematar deixou-se antecipar. O árbitro concedeu cinco minutos de compensação e no primeiro deles Gonçalo Santos quis fechar com chave de ouro.

Mais um chapéu perfeito fechou as contas deste jogo que a equipa de Sentieiras venceu com mérito. O S.Miguel, com bons executantes, precisa de afinar processos.

Arbitragem com lances que deixaram muitas dúvidas. Melhorará certamente ao longo da época.

Vitória justa da melhor equipa.

FICHA DO JOGO:

CASA DO POVO DE S.MIGUEL DO RIO TORTO:
João Carlos, David Apura, João Serras, David Fontinha, Bruno Marques, José Silva, Ricardo Gomes, David Cabaço, Bruno Ferreira, Gonçalo Oliveira e Manuel Gaio.
Suplentes: Rúben Garcia, Diogo Martins, Ricardo Apura e Paulo Jorge.
Treinador: João Margalho.

Casa do Povo de S.Miguel do Rio Torto.

CENTRO POPULAR DE CULTURA E DESPORTOS DE SENTIEIRAS:
Ricardo Pereira, Daniel Coelho, Pedro Roldão, Vasco Lopes, Hélder Carboila, Fábio Navalho, Gonçalo Santos, Filipe Rodrigues, Fredy, Mário Rodrigues e Pedro Martins.
Suplentes: Filipe Pouso, André Alves, Sérgio Campos, José Santos, Tiago Trindade, Diogo Batista, Bernardo, Diogo, Fábio Cunha, Telmo e Tiago Leitão.
Treinador: Pedro António.

Centro Popular de Cultura e Desportos de Sentieiras.

GOLOS:
Gonçalo Oliveira (S.Miguel); Pedro Martins, Mário Rodrigues, Fábio Cunha e Gonçalo Santos.

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Tiago Matias, André Antunes e Rafael Lopes.

Equipa de Arbitragem: Tiago Matias, André Antunes e Rafael Lopes com os capitães.

No final fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

João Margalho-Treinador do S.Miguel.

 

Pedro António-Treinador Adjunto das Sentieiras.

Com David Belém Pereira (fotos e áudio).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here