Incêndios | Rádios SIRESP vão ser incorporados no sistema MacFire no distrito de Santarém

António Louro é o mentor do sistema MacFire. Foto: José Oliveira

O Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo já aprovou a minuta de protocolo a celebrar com a ANEPC, com a CIM do Médio Tejo, a CIM da Lezíria do Tejo e o município de Mação para a Gestão de Ocorrências, no âmbito da cedência de dados da aplicação SIRESP-GL, e que vai permitir que os rádios SIRESP sejam incorporados no sistema MacFire em todo o distrito de Santarém.

PUB

Na sequência dos grandes incêndios de 2017, foi executado no ano de 2018 a implementação de um projeto piloto a nível distrital, no âmbito da criação de sistema de suporte à decisão no combate aos incêndios florestais em articulação com o Comando Distrital de Operação e Socorro (CDOS) de Santarém, o denominado MacFire (Mac de Mação, Fire de fogo).

O MacFire, sistema desenvolvido por técnicos informáticos de Mação em 2004 e por especialistas de uma empresa do ramo das novas tecnologias, permite levar a informação existente sobre a zona de combate a incêndios rurais para o Posto de Comando móvel existente em cada sinistro.

Na base do sistema está a cartografia militar, mas também as cartas de risco de incêndio e os hortofotomapas (fotos aéreas retificadas no solo).

Sistema MacFire alarga-se de Mação a todo o distrito de Santarém. Foto: DR

A novidade introduzida por António Louro, vice-presidente e responsável pela Proteção Civil em Mação, foi integrar esta informação e sobrepor os mapas, permitindo visualizá-los todos ao mesmo tempo. A tudo isto, junta-se a tecnologia GPS, dando a localização exata das viaturas no terreno, bem como a posição das frentes de fogo e o valor rigoroso da área atingida, o que permite prever a sua provável evolução, além de fazer o histórico de cada sinistro, para avaliação futura.

PUB

O MacFire – Gestão de ocorrências – foi operacionalizado em concertação com o CDOS de Santarém, as duas CIM do Distrito de Santarém (Médio Tejo e Lezíria do Tejo) e o município de Mação. Desde então, o processo tem vindo a possibilitar um maior desenvolvimento da aplicação, estendendo-se o uso da mesma a todos os Corpos de Bombeiros do distrito.

Segundo disse ao mediotejo.net o secretário executivo da CIMT, Miguel Pombeiro, nesta fase, e através deste protocolo pretende-se que os dados da ANEPC, de todos os rádios SIRESP, possam ser incorporados no sistema MacFire – Gestão de Ocorrências – operacionalizando ainda mais o sistema de suporte à decisão no distrito de Santarém.

“Queremos que este sistema MACFIRE – Gestão de Ocorrências, já com a georreferenciação de todos os meios, possa estar disponível a todos os corpos operacionais, em concreto aos bombeiros que estão na frente de fogo, que vão poder através de uma aplicação acrescentar elementos e dar informação para o centro de comando”, disse no final da reunião Miguel Pombeiro.

“E fundamental que se tenha online a localização exata onde é que estão os operacionais, os carros de bombeiros e os meios”, notou.

No âmbito da preparação do dispositivo para 2019, foi realizada uma apresentação do projeto na Secretaria de Estado da Administração Interna com vista a ser solicitado o acesso aos dados (localização) dos rádios SIRESP-GL, evitando assim o custo na aquisição/aluguer de localizadores.

Autarquia de mação concebeu o sistema em 2004, tendo investido cerca de 125 mil euros no MacFire. Foto: José Oliveira

No decorrer do processo, foi também realizada uma reunião no passado dia 18 de abril, nas instalações da ANEPC, com vista à operacionalização da cedência dos dados dos rádios SIRESP-GL.

O ano passado, foi atualizada pela CIM do Médio Tejo, a aplicação tecnológica de sistema de informação geográfica, a qual proporciona o apoio à decisão, uma vez que permite aos operacionais no terreno “o desenho” nos dispositivos móveis, em tempo real, do que estão a observar no teatro de operações.

Já a CIM da Lezíria do Tejo efetuou a aquisição de 2 drones equipados com câmara de vídeo e câmara térmica, permitindo fazer um reconhecimento aéreo do teatro de operações.

Nesta fase, e após aprovado o protocolo que prevê a operacionalização da cedência dos dados dos rádios SIRESP-GL, Miguel Pombeiro refere que é possível que o sistema MacFire – Gestão de Ocorrências – esteja pronto a partir do mês de junho, sendo “um projeto em desenvolvimento, onde vamos acrescentando cada vez mais valências”.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here