Incêndios | Nas aldeias da Sertã e de Vila de Rei todos falam em “mão criminosa”

Incêndio desta noite na Sertã. Foto: mediotejo.net

Aquilo que era suposto ser mais um tranquilo fim de semana na aldeia tornou-se num pesadelo. Outra vez. É com lágrimas nos olhos que muitos carregam garrafões e esticam mangueiras para tentarem salvar as suas árvores, as suas hortas, os seus bens, nas aldeias afetadas pelos incêndios da chamada “zona do pinhal”, neste sábado, dia 21 de julho.

PUB

O vento forte que se fez sentir contribuiu para a propagação de vários incêndios nos concelhos de Sertã, Vila de Rei e Mação, que ao final da noite estavam a ser combatidos por quase 900 operacionais apoiados por mais de 270 viaturas.

Em Vila de Rei e Mação estavam envolvidos no combate às chamas 521 bombeiros, apoiados por 162 viaturas, e na Sertã, no incêndio que começou em Rolã, antiga freguesia de Palhais, o dispositivo operacional envolveu 267 bombeiros e 83 viaturas.

Um terceiro incêndio, que surgiu às 16:16, na freguesia de Várzea dos Cavaleiros, igualmente na Sertã, também se mantinha ativo ao início da noite, estando a ser combatido por 95 bombeiros, apoiados por 28 viaturas.

Os moradores, que viram as suas habitações em risco, não ganharam para o susto e ajudavam os bombeiros na tarefa de apagar e evitar a propagação das chamas.

Os comentários acerca de eventuais causas criminosas dos incêndios eram uma constante entre os moradores. O facto de terem surgido vários incêndios quase em simultâneo e a poucos quilómetros uns dos outros cria ainda mais desconfianças.

Seja como for, a população parece estar já habituada ao flagelo dos incêndios e quase que adivinha o percurso das chamas. “A Ribeira da Isna (que separa os concelhos de Vila e Sertã) é estreita e o fogo passa de um lado para o outro, é sempre assim”, comentava um morador da Cumeada.

Incêndio em Chão da Telha, Sertã

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 20 de julho de 2019

Rolã, Palhais, Cumeada, Casal do Calvo e Chão da Telha foram algumas das localidades do Concelho da Sertã que viram as suas populações ameadas pelos incêndios deste sábado.

A prioridade dos bombeiros era salvaguardar pessoas e habitações e isso até ao início da noite tinha sido conseguido uma vez que não houve qualquer ocorrência de habitação afetada ou de moradores feridos.

Como medida cautelar, ao fim da tarde a GNR cortou o trânsito na EN2 entre Sertã e Vila de Rei, bem como outras estradas municipais e caminhos vicinais.

As chamas circundaram a aldeia de Chão da Telha, junto à EN2, com muitas árvores destruídas, algumas das quais oliveiras centenárias, e alguns barracões agrícolas ardidos.

Em várias aldeias, que ganham vida ao fim de semana com o regresso de pessoas que estão a trabalhar em Lisboa, viveu-se um dia de tristeza e desolação ao verem as suas propriedades agrícolas e florestais destruídas.

Incêndio em Chão da Telha, Sertã

Publicado por mediotejo.net em Sábado, 20 de julho de 2019

Por entre o corrupio de viaturas de bombeiros vindas de vários pontos do país, era visível a agitação e preocupação dos moradores.

A curta distância de Chão da Telha, uma grande indústria de madeiras era o foco das atenções e um motivo de preocupação extra. As Forças Armadas já informaram que vão enviar quatro máquinas de rasto e 20 militares para apoiar a Proteção Civil no combate aos incêndios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here