“Gostar de Constância: porque gostamos de nós!”, por António Matias Coelho

Hoje é dia de Gostar de Constância. Gostamos de Constância todos os dias, mas o dia de hoje, 7 de dezembro, é para nós particularmente especial. E por isso nos juntamos e fazemos a festa. Porque a vida precisa de festa e porque é bom, ao menos uma vez por ano, olharmo-nos ao espelho e gostarmos do que vemos nele: uma comunidade que celebra a sua História e destaca os seus melhores.

É sempre assim em 7 de dezembro: ano após ano, nesta data com relevância histórica para a vila e para o concelho, o município organiza uma grande festa coletiva que tem como objetivos maiores festejar a data e distinguir pessoas ou instituições que, pelo que são, pelo que fazem ou pelo que representam, se entende serem merecedoras de destaque e de público reconhecimento.

Comecemos pelo dia.

PUB

7 de dezembro foi a data em que, no ano de 1836, um real decreto de D. Maria II mudou o nome da vila, de Punhete que usava há séculos, para Constância. Há muito tempo que a população não gostava do nome da terra que soava mal e era com frequência motivo de alusões maliciosas e até de chacota. Por isso ansiava mudá-lo. E nesse sentido, a Câmara Municipal de Punhete resolveu representar à rainha solicitando-lhe a tão desejada alteração. Não consta que tenha a Câmara feito qualquer sugestão de novo nome. E a resposta não podia ter sido mais apropriada à situação nem mais agradável aos olhos e ao sentir dos habitantes: considerando a constância com que os da terra tinham tomado partido pela causa liberal no contexto da época, ordenou Sua Majestade que a vila, de então em diante, se passasse a chamar Constância. E mais: que lhe fosse atribuído o título de Notável – Notável Vila da Constância. Da Constância (e não de) porque o que justificava a real distinção era a constância com que Punhete apoiara a causa da liberdade. Foi há 180 anos.

Decreto da rainha D. Maria II de 7 de dezembro de 1836 que mudou o nome de Punhete para Notável Vila da Constância
Decreto da rainha D. Maria II de 7 de dezembro de 1836 que mudou o nome de Punhete para Notável Vila da Constância

Foi para evocar este acontecimento da História Local que o município decidiu, em 2011, realizar, em 7 de dezembro, o Gostar de Constância. O facto de o dia seguinte, dedicado à Imaculada Conceição, ser feriado nacional facilita a organização e permite que a festa se efetue sempre na noite de 7, seja qual for o dia da semana em que calhe.

PUB

E o Gostar de Constância o que é?

É uma ocasião em que, num ambiente festivo, se enaltecem três pessoas ou instituições, uma de cada freguesia – Constância, Montalvo e Santa Margarida da Coutada –, visando, dessa forma, elevar a autoestima coletiva e reforçar energias para prosseguir caminho. No fim de contas, pretende-se que a comunidade goste mais de si própria porque, como acontece com as pessoas individualmente, essa é uma condição essencial à qualidade da vida e ao entusiasmo com que a vivemos.

Durante o serão efetuam-se três entrevistas, uma a cada convidado, precedidas de uma apresentação e, sempre que possível, sucedidas de um momento cultural proporcionado pelo próprio – que, recordo, pode ser uma pessoa ou uma instituição. Por exemplo, no ano passado, foram reconhecidos a Santa Casa da Misericórdia de Constância, as duas unidades de Alojamento Local então existentes (Casa da Aldeia e Quinta do Outeiro Alto, ambas da freguesia de Santa Margarida) e a cantora de Montalvo, de renome nacional, Ana Laíns. A Santa Casa animou a festa com um momento de dança e dramatização pelas crianças da creche e outro de música e canto pelos idosos dos lares da instituição. E Ana Laíns, com a sua voz cristalina, proporcionou um espetáculo inesquecível que o Cineteatro Municipal, completamente cheio, aplaudiu longamente de pé. Tudo se faz com a prata da casa. Com o ouro da casa, melhor dito.

Entrevista a Ana Laíns no Gostar de Constância do ano passado (Foto: Câmara Municipal de Constância)
Entrevista a Ana Laíns no Gostar de Constância do ano passado
(Foto: Câmara Municipal de Constância)

Na edição de 2016, nesta noite de 7 de dezembro, no auditório do Centro Ciência Viva, no alto de Santa Bárbara, serão destacados a Casa do Povo de Montalvo, a Sociedade Recreativa Portelense e o Agrupamento de Escolas de Constância.

A Casa do Povo, fundada em 1970, leva quase meio século de intensa atividade cultural, recreativa e desportiva ao serviço não apenas da freguesia de Montalvo mas de todo o concelho e tem neste momento uma dinâmica escola de futebol que procura preparar atletas e, sobretudo, formar cidadãos.

A Sociedade Recreativa Portelense, criada em 1934, é a mais antiga associação do concelho de Constância. Para além do seu longo historial de atividades culturais, desportivas e lúdicas, mantém a funcionar um muito frequentado bar – o único local público e portanto o único ponto de encontro do lugar da Portela.

A Escola Luís de Camões, que estaria na génese do atual Agrupamento de Escolas de Constância, foi inaugurada em 1991 e faz portanto 25 anos. Considerado justamente uma referência na qualidade do ensino em Portugal, o Agrupamento de Escolas de Constância é um dos poucos no país que vê o número dos seus alunos a aumentar.

Esta noite vamos, pois, Gostar de Constância. É bom gostarmos de nós!

PUB
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here