Geocachingworld | “013 – Castro de São Miguel (Amêndoa-Mação)”, por Leonel Mourato

Castro de São Miguel de Amêndoa. PR6-MAC-Rota da Amêndoa

Leonel Mourato dá continuidade a uma caminhada de partilha de aventuras no incrível mundo do Geocaching. Muito mais que locais conhecidos, o Geocaching dá a conhecer lugares desconhecidos, abandonados, singulares, perdidos e apaixonantes, mostrando-nos a sua história e o seu significado. A viagem de hoje é até ao Castro de São Miguel, em Amêndoa, Mação.

PUB

#geocachingworld

Nickname – Clube das Sandes

PUB

GC2BZKK – CASTRO DE SÃO MIGUEL (Amêndoa-Mação),

Owner (Arqueolobo):

PUB

Coordenadas GPS – N 39° 40.099′ W 008° 03.864′

Este povoado fortificado da Idade do Ferro terá sido objecto de romanização entre os séculos I e IV d. C., embora alguns dos elementos recolhidos durante as investigações realizadas no seu perímetro pareçam apontar para a sua utilização ao longo dos séculos VI e VII d. C.

Este povoado apresentava um sistema defensivo constituído por panos de muralhas que envolveriam todo o recinto de planta quadrangular, embora de forma descontínua. Nalguns dos troços ainda é possível observar as zonas de arranque dos muros, de granito e alvenaria, e cuja espessura máxima chega a atingir cerca de dois metros. Entretanto, alguns dos vestígios correspondentes a uma edificação de planta rectangular ligada à zona Noroeste da fortificação parecem apontar para a provável existência de uma cidadela.

 

É entre as áreas intramuros e extramuros deste povoado que se pode observar a presença de cerca de cinquenta estruturas habitacionais de planta predominantemente quadrada e rectangular, com a particularidade de apresentarem entre duas a três divisões.

No que se refere ao espólio móvel exumado durante as sucessivas campanhas arqueológicas levadas a cabo neste sítio, haverá que destacar a presença de inúmeros fragmentos cerâmicos, além de fracções de artefactos em bronze e ferro, dos quais se deverá mencionar a descoberta de um fragmento pertencente a uma fivela de cinturão visigótico.

Classificado como MN – Monumento Nacional.

 

Cronologia:

Decreto n.º 37 801, DG, I Série, n.º 78, de 2-05-1950 (ver Decreto). Despacho de homologação de 24-05-1949 do Ministro da Educação Nacional. Parecer de 21-05-1949 da 2.ª Subsecção da 6.ª Secção da JNE a propor a classificação como MN. (Fonte: Direção Geral do Património Cultural)

#rotasdemacaooutdoor

#montanhasazuis

#geocachingworld

Rumamos a noroeste. Rumamos até à Amêndoa. Foi o seu dia. Percorremos os seus territórios. Percorremos a suas memórias…

Foi dia de fazer o reconhecimento e perceber com o que podíamos contar. Começamos cedo e a concentração foi no Largo da Igreja de Amêndoa. Eu, o Rui Moleiro, o Pedro Santos, o Jorge Lemos, a Regina Dinis e o primo, a Luísa Pires e o marido.

Seguimos pelas ruelas, até ao Cruzeiro. Descemos até à estrada para Cardigos.

Cruzeiro de Amêndoa

Olhamos para o Castro e seguimos.

EN348-inicio da subida para Cruzeiro de Amêndoa. PR6-MAC-Rota da Amêndoa

Ainda estão visíveis na serra as marcas do incêndio de 2019, que passou estas terras. Fomos em frente e subimos pelo lado de Mação. 30 minutos depois, chegamos. Estávamos no Nosso Castro.

 

Coube ao Jorge Lemos e ao Rui Moleiro, o privilégio de tentar descobrir a CACHE no meio de tanto queimado. O Jorge trazia um Container suplente e colocou o mesmo no GZ

 

Aos meus camaradas de caminho, Rui Moleiro, o Jorge Lemos, o Pedro Santos, a Regina Dinis e o primo, a Luísa Pires e o marido, aquela palavra especial:

Obrigado.

Aquele abraço do Clube das Sandes

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here