Gavião | PS reitera no Alto Alentejo compromisso na defesa do rio Tejo

Jornadas de proximidade do PS no distrito de Portalegre. Deputados da nação visitam a praia do Alamal em Gavião. Créditos: mediotejo.net

O PS realizou entre domingo, 24, e segunda-feira, 25 de março, as jornadas de proximidade no distrito de Portalegre. Uma espécie de jornadas parlamentares que levaram os deputados da Nação a vários pontos do País, e que estiveram em Gavião, na praia fluvial do Alamal. O presidente da Câmara Municipal, José Pio (PS), quis sensibilizar os deputados para os problemas do Tejo e a importância do rio na economia das populações ribeirinhas.

PUB

Portalegre foi o distrito escolhido pelo Partido Socialista (PS) para as suas jornadas de proximidade, no domingo e na segunda-feira. Oito deputados da Nação estiveram no concelho de Gavião, especificamente na praia fluvial do Alamal.

O Alamal foi o local escolhido “não só pela sua beleza natural ou por ser ambientalmente sustentável mas por ter um problema que compete ao Governo estar atento e tentar resolver”, afirmou ao mediotejo.net o presidente da Câmara Municipal. José Pio referia-se à poluição do rio Tejo, situação que preocupa o Executivo municipal pela qualidade da água, agora com o verão à porta. “O espaço é muito bonito mas se a água não tiver qualidade começa a perder muito do seu interesse”, realçou.

PUB

O autarca salientou a importância de os deputados da Nação conhecerem o País real. “Quando discutimos certos assuntos é importante que saibamos do que estamos a falar, que conheçamos os problemas do interior mais profundo como é o caso de Gavião e quase todos os concelhos do norte alentejano”.

Jornadas de proximidade do PS no distrito de Portalegre. Deputados da nação visitam a praia do Alamal em Gavião. O presidente da Câmara Municipal, José Pio, explica aos deputados as mais valias daquele local. Créditos: mediotejo.net

José Pio deixou claro que para um município que “aposta claramente no turismo como a sua principal força motriz o rio é fundamental. Um rio de qualidade que nos possa fornecer peixe, zonas de lazer como Alamal mas também que nos dê postos de trabalho ligados à pesca, ao turismo e à atratividade que podemos ter nestas zonas” do País, reforçou

PUB

O presidente garante a existência, nos últimos tempos, de água com boa qualidade, mas “o rio volta a ter problemas devido aos baixos caudais”. Ainda assim, descarta a possibilidade da Comissão Parlamentar de Ambiente voltar agora ao terreno. “Iriam ver um rio Tejo com água transparente. O que quero é que venham quando tivermos efetivamente problemas” diz, apesar de admitir que a Comissão possa ter importância fator de “prevenção”.

No âmbito das jornadas de proximidade os deputados “quiseram conhecer todo o território do Alto Alentejo e desafiaram-me a escolher em Gavião algo que se inserisse nessas jornadas de proximidade” explicou.

Aos deputados do PS, José Pio passou a mensagem que levam para Lisboa, dos problemas sofridos pelo rio Tejo desde a mortandade de peixes até à “constante” espuma na água. “Espero que tenham entendido e que percebam que o rio é uma fonte de riqueza e nunca mais pode ser um problema para todos os municípios ribeirinhos”, frisou.

Jornadas de proximidade do PS no distrito de Portalegre. Deputados da nação visitam a praia do Alamal em Gavião. Créditos: mediotejo.net

Do lado dos deputados do PS, Luís Testa assegurou ao mediotejo.net que a bancada parlamentar socialista está comprometida com a defesa do rio Tejo.

“Fizemos esta visita por considerarmos o Tejo como promotor das localidades. Os nossos recursos têm de ser explorados para tornarem as nossas regiões mais ricas, criando dividendos ajudando-as a viver com maior dignidade, fixando-se nas suas terras de origem”, disse o eleito, dando conta da necessidade de “um rio saudável” do ponto de vista ambiental.

“As atenções que centramos na saúde do rio são muito importantes e às vezes até exageradas”, afirmou.

Luís Testa garantiu ainda que os deputados do PS são “absolutamente inflexíveis relativamente às emissões de afluentes” sejam industriais sejam domésticos para os caudais dos rios. “Quem prevarica tem de ter uma resposta condicente com essas ações por parte do Estado, da lei e dos tribunais” defendeu, considerando insustentável que “às águas indutoras de riqueza continuem a ser o esgoto de alguns prejudicando todos”.

Para um país “amigo do ambiente” o deputado falou numa educação ambiental preservando o património como “bens únicos e irrecuperáveis se destruídos”.

Sobre os baixos caudais, Luís Testa defendeu uma racionalização eficaz do consumo de água, bem como o seu armazenamento. “A água é um bem cada vez mais escasso”, alertou.

Jornadas de proximidade do PS no distrito de Portalegre. Deputados da nação visitam a praia do Alamal em Gavião. Entre a comitiva o deputado eleito pelo circulo de Portalegre, Luís Testa. Créditos: mediotejo.net

E deu conta da seca. “Hoje é difícil estabelecer que os caudais mínimos tenham a mesma cota dos caudais mínimos do passado. Não há água para estabelecer esse caudais como gostaríamos de parametrizar”. Ainda assim sendo um rio internacional “o Estado português tem de estar muito atento e mais zeloso, nomeadamente na transmissão do caudal entre as fronteiras, também por causa dos transvases” do lado espanhol que “não sendo em si um problema podem originar problemas”.

O deputado socialista alerta para a necessidade de “não deixar morrer à sede regiões que têm hoje menos recursos hídricos” contudo, sem dizimar “um recurso próprio, endógeno, natural, fonte de riqueza”, disse deixando o compromissivo do PS na defesa do recurso hídrico tanto ao nível ambiental como de garantia dos caudais.

Quanto à “salubridade das águas temos hoje um investimento volumoso de despoluição estrutural” do rio Tejo, e “esse investimento do País não se pode perder amanhã”, notou.

Luís Testa deu conta de uma consciência generalizada nos deputados do PS no sentido de perceberem que o rio Tejo representa “um veículo económico, porque permite a transição mas sobretudo porque permite os transbordo da sua riqueza para as suas margens. Ou seja, se tivermos capacidade para explorar bem e de forma sustentada, o rio pode significar muita riqueza para os territórios” ribeirinhos.

Considerou a praia fluvial do Alamal “um bom exemplo” ao apresentar investimento privado “comprometido com a saúde do rio, o Município de Gavião e as Juntas de Freguesia igualmente comprometidas com a saúde do rio. Tratado de forma exemplar! Não há razão para que o poder central não o trate da mesma forma”.

As últimas jornadas do PS nesta legislatura, antes das eleições gerais de outubro, realizam-se em 24 e 25 de junho, segundo disse à Lusa uma fonte da direção parlamentar socialista, mas não foi anunciado o local.

Hoje, os deputados dividiram-se-se em dois grupos. O de Carlos César deslocou-se na manhã de segunda-feira ao Centro de Formação da GNR e a Pousada da Juventude de Portalegre, almoçou com os deputados e visitou as margens do rio Tejo, em Gavião, mas sem a presença de Carlos César.

O segundo grupo de deputados visitou o Hospital Dr. José Maria Grande, uma unidade fabril, a Coudelaria de Alter do Chão e o aeródromo municipal de Ponte de Sor.

As anteriores jornadas parlamentares do PS foram em Portimão, distrito de Faro, em novembro de 2018.

O distrito de Portalegre elege dois deputados. Em 2015, o PS elegeu um e o PSD outro.

Nessas eleições, o PS ficou em primeiro, com 42,4%, e a coligação PSD/CDS obteve 26,7%.

*Com Lusa

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here