Gavião | Freguesias adaptam programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras” ao combate ao Covid-19 (c/AUDIO)

Germano Porfírio, presidente da União de Freguesias de Gavião e Atalaia. Foto: DR

A União de Freguesias de Gavião e Atalaia adaptou e implementou o programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras”, criado originalmente para proteção em caso de incêndio rural, à proteção às pessoas e ao combate à propagação da pandemia do Covid-19, no ãmbito do Plano de Contingência local. Todas as aldeias têm um oficial de segurança dedicado, que as pessoas respeitam e que conhece toda a gente na comunidade, e que faz a coordenação de todos os alertas e da compra e entrega dos bens de primeira necessidade aos mais idosos. “É um instrumento que já está criado, que é adaptado a esta situação de emergência, e que confere segurança às pessoas e organização ao sistema”, destacou Germano Porfírio, presidente da União de Freguesias.

PUB

“Os oficiais de segurança de cada aldeia são escolhidos e trabalham em articulação com as diversas autoridades, têm alguma relevância na sociedade onde se inserem e conhecem toda a gente e as fragilidades das pessoas, nomeadamente dos mais idosos”, deu conta ao mediotejo.net o presidente da União de Freguesias de Gavião e Atalaia, para quem o fator organizacional é fundamental em situações de emergências.

“Este sistema confere organização no caos total e o principal fator a ter em conta em zonas de calamidade é as pessoas terem alguém que as oriente. Deste modo, o sistema permite às pessoas ter mais segurança, sabem quem é a pessoa a quem se dirigir e que as vai orientar, temos duas carrinhas a circular para recolher pedidos de compras de alimentos, receituário, medicamentos, e outros, e que depois entregamos na casa das pessoas mais debilitadas ou mais idosas, usando uma ferramenta que já temos disponível e que pode e deve ser replicada” noutros locais da região e do país.

PUB

A medida foi entretanto alargada a todo o concelho de Gavião, tendo o presidente da autarquia, José Pio, afirmado ao mediotejo.net que a única diferença é que a responsabilidade atribuída aos oficiais de segurança na União de Freguesias de Gavião e Atalaia foi atribuída nas outras localidades aos centros de convívio, em articulação com as autoridades.

No Gavião “não há casos” confirmados de pessoas infetadas com Covid-19, disse José Pio, “não se vê ninguém nas ruas e estão todos a respeitar as orientações da DGS”. O autarca disse ainda que está a ser prestado apoio direto a pessoas idosas e com pouca mobilidade, as farmácias estão a funcionar e a fazer serviço de entrega porta a porta, e as estações de CTT estão a funcionar, embora de modo condicionado, tendo feito notar a importância da tranquilidade para a população, sabendo as pessoas que alguém está atento e vai a casa levar comida ou medicamentos.

PUB

Esta prática em Gavião acabou mesmo por ser reconhecida e difundida este domingo pela Proteção Civil de Portalegre no âmbito das boas práticas e no âmbito do plano de Contingência da União das Freguesias de Gavião e Atalaia, aprovado em reunião do executivo este mês de março, onde foram tomadas decisões que visam ter “eficácia junto das populações mais frágeis e desfavorecidas”, sendo de realçar que, “nestes momentos de grande pressão e ansiedade, é necessário uma grande disciplina na utilização dos recursos disponíveis”.

A União das Freguesias de Gavião e Atalaia é composta pelas localidades de Atalaia, Degracias, Amieira Cova, Cadafaz e Gavião. As aldeias de Atalaia, Amieira Cova e Cadafaz já são aldeias seguras. Neste sentido, foi decidido aproveitar os recursos humanos e logísticos disponíveis (oficiais de segurança, abrigos, etc.), para serem o elo de contacto privilegiado com as populações.

“É uma medida muito importante porque desempenha um papel fundamental de ligação entre as populações, a Junta de Freguesia, os serviços municipais de Proteção Civil e o coordenador das operações que está alocado, não ao incêndio, mas a esta situação de emergência que é o Covid-19. É ele que conhece toda a população, que sabe quem são as pessoas com mais dificuldade em deslocar-se e onde mora ou não gente”, vincou Germano Porfírio, para quem a medida “é de replicar” noutras localidade.

O programa original, agora adaptado à nova situação de emergência, procura garantir uma maior proteção das aldeias em caso de incêndio e tem como objetivos, entre outros, incentivar a consciência coletiva de que a proteção é uma responsabilidade de todos, apoiar o poder local na promoção da segurança, implementar estratégias de proteção das localidades face a incêndios rurais e sensibilizar as populações para a adoção de práticas que minimizem o risco de incêndio. Ou seja, premissas todas válidas para o problema que a sociedade portuguesa tem em mãos e que em Gavião faz valer a força e a importância do serviço de proximidade.

A medida decorre do Plano de Contingência aprovado na União de Freguesias de Gavião e Atalaia para o novo CORONAVÍRUS/COVID-19, considerando ainda a necessidade de garantir as orientações emanadas pela Direção Geral da Saúde, no âmbito da prevenção e controlo da infeção do novocoronavírus

Na sequência do agravamento da situação, a União de Freguesias está ainda a disponibilizar aos cidadãos da Freguesia transporte de alimentos e transporte de medicamentos.

Em caso de necessidade deverão contactar os oficiais de segurança das diversas localidades e preencher a respetiva requisição:

Amieira Cova – João Luís Valério: 939892068

Atalaia – Tulínia Chambel: 968702651

Cadafaz – Luis Cardoso: 963808744

Degracia – Joaquim Matos: 933798536

Em caso de urgência poderá ainda contactar qualquer um dos elementos do executivo:

Germano Porfirio: 939892063

Luís José Martins: 915102716

Tulínia Chambel: 968702651

A execução do programa “Aldeia Segura – Pessoas Seguras” resulta de um protocolo assinado entre a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here