Gavião e Ponte de Sor entre as 10 câmaras do Alto Alentejo que vão constituir empresa de distribuição de águas

Dez câmaras do Alto Alentejo vão constituir empresa de distribuição de águas. Foto ilustrativa. DR

Dez dos 15 concelhos do distrito de Portalegre vão constituir uma empresa para gerir a distribuição de águas de abastecimento público e recolha de efluentes, divulgou hoje a Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA).

PUB

Numa nota publicada na sua página da Internet, a CIMAA explica que a constituição da Empresa Intermunicipal de Águas do Alto Alentejo “aguarda parecer” da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR).

Alter do Chão, Arronches, Castelo de Vide, Crato, Fronteira, Gavião, Marvão, Nisa, Ponte de Sor e Sousel são os concelhos envolvidos no projeto, que conta com capitais 100% municipais.

Fonte da CIMAA explicou à Lusa que os municípios de Avis, Monforte e Portalegre não integram a empresa por “opção política”, ao passo que Elvas e Campo Maior também ficaram de fora por terem concessionada a água em baixa.

Na nota, a CIMAA explica que no primeiro trimestre deste ano foram submetidas “32 candidaturas” ao Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR) para entidades gestoras agregadas, com as intervenções nos subsistemas de abastecimento de água e águas residuais, conforme o plano de investimentos aprovado para o processo de constituição da empresa, totalizando um investimento elegível de 12,4 milhões de euros.

PUB

“Estas candidaturas têm sido objeto de vários pedidos de esclarecimento e audiências prévias pelo POSEUR, que foram respondidos pelos municípios, através do município de Ponte de Sor enquanto líder da agregação”, lê-se na nota.

A CIMAA adianta ainda que em maio foi submetida uma outra candidatura intermunicipal para o controlo e redução de perdas nos sistemas de distribuição e adução de água em baixa, com um investimento elegível superior a 1,9 milhões de euros.

“Atualmente os municípios aguardam a aprovação das candidaturas assim como a emissão do parecer da ERSAR necessário para o visto do Tribunal de Contas, documento indispensável à constituição formal da empresa”, lê-se na nota.

1 COMENTÁRIO

  1. Tapar o Sol com a Peneira é assim que se chama. Se cada um desses Municípios fizesse alguma coisa de facto para o pessoal das Oliveiras parasse de roubar a água das Albufeiras e de estragar os solos e águas com os químicos que usam constantemente,isso era dever cívico. É vergonhoso a conivência que tem com esta situação. Quando a região toda ficar sem água quero ver onde vão trabalhar todos. Não se esqueçam que sem população não há Municípios. Vergonha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here