Futsal | Vitória avassaladora do Eléctrico sobre o Viseu 2001 na Liga Placard (C/fotos e áudio)

Eléctrico defronta Quinta dos Lombos na Taça da Liga de futsal. Foto arquivo: mediotejo.net

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE 9 – VISEU 2001-ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA SOCIAL E CULTURAL 2
Liga Placard
Pavilhão Gimnodesportivo de Ponte de Sor
21-09-2019

Tarde invernosa em Ponte de Sor para o aguardado embate entre duas equipas até aqui sem derrotas. O Viseu contava por vitórias os dois primeiros jogos e o Eléctrico apenas cedera um empate, perante o campeão nacional em título, o Sport Lisboa e Benfica, na abertura da Liga Placard.

Muito entusiasmo à volta do início de época dos pontessorenses.

Com dois técnicos muito experimentados e com argumentos de peso em ambos os plantéis, este jogo assumia-se como apetecível para o muito público presente no Municipal de Ponte de Sor.

PUB
Defrontavam-se duas equipas sem derrotas.

A equipa da casa cedo tomou conta dos acontecimentos e no primeiro minuto Rodriguinho deixou o aviso. O remate cruzado não passou longe do segundo poste.
No segundo minuto um forte e colocado remate de Renan Fuzo, assistido na perfeição por Bello, fez balançar a rede da baliza à guarda de Bruno Felipe.

Capitão Renan Fuzo abriu o ativo.

No minuto seguinte o Eléctrico beneficiou de um livre e Bello aqueceu as luvas de Bruno Felipe que defendeu para a frente. A recarga do mesmo Bello foi defendida pelo guarda redes. Bello estava muito em jogo neste início de partida e aos quatro minutos voltou a rematar, de ângulo difícil, junto ao poste, obrigando o guarda redes viseense a nova defesa para canto.

PUB
Bello esteve na melhor fase do Eléctrico.

Kitó Ferreira não estava satisfeito com a eficácia ofensiva da sua equipa que desperdiçava excelentes ensejos para elevar o “score” e pediu uma pausa técnica aos seis minutos.
No minuto seguinte Junior dispôs da primeira ocasião para os beirões mas Basílio, dando continuidade às boas exibições, não o permitiu.

Junior dispôs da primeira hipótese para os viseenses.

Aos oito minutos surgiu a primeira contrariedade para Paulo Fernandes, técnico do Viseu. Peixoto cometeu falta feia sobre Nem, quando o pequeno brasileiro se isolava na cara do guarda redes e viu o cartão vermelho.

Na execução da respetiva grande penalidade Nem permitiu a defesa a Nilton que entrara para defender o penalti.

No minuto seguinte Bello dilatou a vantagem pontessorense para dois golos sem resposta após várias jogadas de insistência dos donos da casa.

Eléctrico aumentou a vantagem aos nove minutos.

Chegou-se à metade da primeira parte e o Viseu atingiu precocemente a quinta falta passando a ficar condicionado. Entretanto Simas comete falta sobre Bello e o Eléctrico beneficia do primeiro livre de dez metros.

Nilton voltou a entrar para defender uma bola parada desta feita a remate de Rodriguinho.
Na resposta Daniel Ramos marcou para o Viseu 2001 ficando a dúvida no Pavilhão se a bola teria ultrapassado completamente a linha de golo.

Muitas dúvidas no golo do Viseu.

Na ressaca, Silvestre e Tiago Soares viram a cartolina amarela ser-lhes exibida e Paulo Fernandes, acreditando que a sua equipa acabara de reentrar na partida, pediu uma pausa técnica.

Os dois minutos que se seguiram foram avassaladores por parte da equipa de Ponte de Sor.
Aos 13 minutos Bruno Graça repôs a diferença de dois golos e no minuto seguinte Nem e Rodriguinho elevaram a contagem para números difíceis de gerir para a equipa de Viseu.

Bruno Graça marcou golo de belo efeito.

À passagem do quarto de hora Daniel Ramos carregou Diogo Basílio em falta e levou Silvestre para a marca dos dez metros. Desperdiçou, enviando o esférico à barra.

Aos 19 minutos assistiu-se à jogada mais vistosa da partida. A bola foi endossada a Silvestre, este simulou, deixando para Bruno Graça, recebendo mais à frente enchendo o pé, fazendo um golo que levantou o Pavilhão.

Reforços construiram o golo mais bonito da partida.

A 33 segundos do intervalo o Eléctrico beneficiou de nova falta. Nilton voltou a entrar e, à semelhança das vezes anteriores, defendeu. Entretanto o Elétrico atingiu a quinta falta.

Estava-se em cima do intervalo e quando os espectadores se preparavam para recuperar o fôlego de uma primeira parte alucinante o Eléctrico chegou ao sétimo golo por Bruno Graça com Silvestre a retribuir na assistência. Faltavam jogar 10 segundo no primeiro tempo!!!

Muito trabalho para o Viseu para inverter tendência do encontro.

Paulo Fernandes não podia estar satisfeito com a marcha do marcador e era urgente fazer qualquer coisa. Além de lançar o guarda redes Nilton definitivamente no encontro, o Viseu veio do balneário com uma atitude mais atacante e menos expectante.

E logo aos 22 minutos Junior atirou o esférico à trave da baliza de Basílio para Russo diminuir a desvantagem no minuto seguinte em novo golo polémico. Queixaram-se os de Ponte de Sor que novamente o esférico não terá entrado totalmente na sua baliza. Mais um lance de difícil análise.

Lances polémicos desagradaram aos adeptos.

Kitó ter-se-à excedido nos protestos e , à luz do novo regulamento, viu o cartão amarelo.
No minuto seguinte Tiago Soares, do Viseu 2001, viu o segundo amarelo e foi expulso.

Aos 26 minutos Nem volta a fazer o gosto ao pé e aumenta a contagem para oito a dois.
A passagem da meia hora de tempo útil coincidiu com a amostragem do cartão amarelo a Junior e com o lançamento de Kitó Ferreira do guarda redes Cristiano na partida, rendendo um fabuloso Diogo Basílio, enorme na baliza pontessorense neste início de Liga Placard.

Nem assinou um “hat trick”.

Aos 32 minutos David Parente viu o amarelo e o treinador Paulo Fernandes não terá gostado. O gesto de desagrado foi “brindado” com cartolina da mesma cor.
Entretanto, dois minutos passados, o Viseu atingiu a quinta falta.
Aos 36 minutos Nem, endiabrado, fez o seu “hat trick” e fechou as contas do jogo em 9-2.

Nem fechou as contas.

Ainda houve tempo, numa altura em que o Eléctrico só tinha na quadra atletas portugueses, para Pegacha ir para a linha dos dez metros após falta dura de Lucas Amparo, merecedora de amarelo. O jovem regressado esta época à Ponte de Sor rematou forte mas para fora.

Rodriguinho também marcou.

Entretanto chegava ao fim um jogo electrizante onde a equipa da casa construiu um resultado robusto ainda no primeiro tempo. Resultado ajustado ao futsal praticado.
Arbitragem deixou muitas dúvidas mas não interferiu na vitória do Eléctrico.
O Eléctrico ficou na segunda posição com sete pontos e o Viseu em quarto com seis.

Goleada não sofreu contestação.

FICHA DO JOGO:

ELÉCTRICO FUTEBOL CLUBE:
Diogo Basílio, Renan Fuzo, Bello, Rodriguinho e Silvestre.
Suplentes: Cristiano Marques (GR), Filipe Pereiro, Nuninho Vially, Nem, Bruno Graça, Henrique Vicente, Xandinho e André Maluko.
Treinador: Kitó Ferreira.

Eléctrico Futebol Clube.

VISEU 2001-ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA SOCIAL E CULTURAL:
Bruno Felipe, Russo, Tiago Soares, Peixoto e Júnior.
Suplentes: Nilton, Bruno Rodrigues, Simas, Lucas Amparo, Tiaguinho, Daniel Ramos e David Parente.
Treinador: Paulo Fernandes.

Viseu 2001.

GOLOS:
Nem (3), Bruno Graça (2), Renan, Bello, Rodriguinho e Silvestre (Eléctrico); Daniel Ramos e Russo.

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Árbitros: Carlos Dias (AF Coimbra) Pedro Pereira (AF Aveiro). Cronometrista: Ricardo Fernandes (AF Lisboa).

Equipa de arbitragem: Carlos Dias e Pedro Pereira com os capitães.

No final, como é usual, fomos ouvir os treinadores das duas equipas:

Kitó Ferreira-Treinador do Eléctrico.

 

Paulo Fernandes-Treinador do Viseu 2001.

*Com David Belém Pereira (fotos e áudio).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here