Futebol | União de Santarém conquista Taça do Ribatejo e faz dobradinha em ano inesquecível (C/ fotos e audio)

União de Santarém venceu Coruchense por 2-0 e sagrou-se o vencedor da Taça do Ribatejo 2018/19. Foto: mediotejo.net

Tarde muito quente no Entroncamento para assistir à partida em que todos querem estar, a final da Taça do Ribatejo. Só duas equipas lá chegam e só uma consegue vencer. A final, essa, realizou-se entre o Grupo Desportivo “O Coruchense” e o União Desportivo Santarém, SAD, tendo a equipa orientada por Mário Ruas conquistado o troféu.

PUB

Com o estádio bem composto para assistir à partida, a equipa oriunda de Santarém acabaria por vencer o jogo por 0-2 e sagrar-se assim vencedor da taça, fazendo a dobradinha este ano. Ambas as equipas vão voltar a defrontar-se no próximo dia 19 de maio para disputarem a Supertaça Dr. Alves Vieira. 

União de Santarém e Coruchense disputaram a final da Taça do Ribatejo, no Complexo do Bonito, Entroncamento.

Sobre o jogo, o mesmo pode ser dividido em duas partes. Uma história até aos 27 minutos, momento da expulsão de Rodrigo, camisola 3 do Coruchense, e um segundo capítulo a ser escrito a partir desse momento.

O jogo iniciou equilibrado, com uma posse de bola repartida, duelos divididos, difícil de perceber quem se apresentava melhor. As próprias equipas entraram com cautelas e estavam numa fase de estudo entre si. 

Jogo iniciou equilibrado, com ambas as equipas a estudarem o adversário.

Após uma fase de bola cá, bola lá, ainda que sem grande perigo para as balizas, eis que o primeiro remate surge aos 10 minutos, para o Coruchense. Defesa do guarda-redes que atira a bola para canto. Atacava mais o Coruchense pelo lado direito do terreno nesta fase da partida.

PUB

Apenas dois minutos depois, viria a surgir o primeiro calafrio junto da baliza dos homens de Coruche, na marcação de um pontapé de canto aparece a tentar cabecear no coração da área, Rony Ramos. Para alívio dos homens liderados por Gonçalo Silva o defesa central falha o cabeceamento.

O jogo aqueceu a partir dos 10 minutos, com dois lances perigosos em ambas as áreas.

Foi preciso espera pelo minuto 25 da partida para novo registo. Serginho rompe pelo lado esquerdo, executa um cruzamento com conta, peso e medida para Léo que, sem marcação, atira ao lado. Foi o lance de maior perigo até então.

Era uma ameaça do que viria a surgir apenas dois minutos depois, quando numa boa jogada individual de Pedro Augusto, este consegue isolar-se, mas quando se preparava para seguir rumo  à baliza é travado em falta por Rodrigo.

O árbitro da partida foi peremptório a assinalar pontapé livre à entrada de área e em mostrar a cartolina vermelha ao defesa. Ficava assim o Coruchense reduzido a 10 à passagem do minuto 27.

Rodrigo, foi expulso aos 27 minutos e reduz o Coruchense a 10 homens.

A partir deste momento o jogo mudou de figura, a equipa do Coruchense foi tentando adaptar-se ao jogo com 10 elementos enquanto que o União de Santarém atacava agora muito mais convicto de que conseguiria segurar a Taça no final da partida. 

E foi com essa convicção e com alguma naturalidade que chegaram ao golo, aos 36 minutos. Numa bola enviada para a área, acaba por aproveitar o número 17 do União, Léo, para bater o guarda-redes e inaugurar o marcador. 

O União de Santarém acabaria por se adiantar no marcador aos 36 minutos.

Chegava-se assim ao intervalo, com o União de Santarém por cima e em vantagem no marcador. A missão do Coruchense no segundo tempo previa-se complicada, com um jogador a menos via-se obrigado a inverter o resultado, num jogo muito físico e muito difícil de se jogar face ao calor que se fazia sentir. 

Estádio bem composto para assistir à final.

Ao intervalo foram homenageados dois atletas que militam no futebol distrital. Tiago Tavares, de 11 anos, jogador do Samora Correia, que após ter sido expulso de um jogo enviou uma carta ao árbitro pedindo desculpa pela sua atitude, e Rafael Faustino, jogador do União de Tomar que abandonou o relvado para prestar primeiros socorros a uma adepta.

No reatar da partida, o União entrou decidido a sentenciar a partida e conseguiu. Aos 55 minutos, num lance algo semelhante ao primeiro golo, a bola é colocada na área e, com muitos homens à mistura, a mesma acabaria por sobrar para Pratas que não desperdiça e atira ao contar para o fundo das redes. Estava feito o 0-2.

O União, tal como se esperava, entrou mais forte no segundo tempo.

Reagiu bem a equipa de Coruche, que apenas 5 minutos depois, consegue um cruzamento tenso para o interior da área, beneficiando de um desvio, a bola acaba mesmo por embater no poste da baliza. 

De aqui em diante, o União de Santarém limitou-se a gerir a partida, não correndo grandes riscos e tentando manter a bola o mais longe possível do seu reduto defensivo. 

À passagem dos 65 minutos, Léo comete falta junto ao banco do Coruchense, seguiu-se muita confusão e muitos encontrões que o árbitro resolveu com a amostragem do cartão amarelo ao camisola 17 do União de Santarém.

Após o 0-2 o União limitou-se a gerir o encontro, não se expondo em demasia.

Nova confusão viria a surgir à passagem dos 80 minutos, desta feita entre adeptos. A partida acabaria por vir a ser interrompida durante alguns segundos. Serenados os ânimos seguiu-se o futebol.

Já à passagem dos 90 minutos, através de um ataque rápido da equipa do União, pelo lado direito do terreno, a bola acabaria por ser cruzada para o interior da área, onde aparece Adilson Gano a empurrar para o fundo das redes. O golo, no entanto, acabaria por ser invalidado por fora de jogo. 

O União de Santarém ainda marcou à passagem dos 90 minutos, mas o golo acabaria por ser invalidado por fora de jogo.

Terminava assim a partida, com um ambiente de grande festa, com o União de Santarém a vencer a partida por 0-2, frente a um Coruchense que nunca se vergou e que sempre procurou chegar ao golo, que os recolocasse novamente na discussão do resultado.

A equipa de arbitragem esteve irrepreensível, conseguindo serenar os ânimos num jogo muito fisico, de muito contacto. O lance da expulsão não oferece quaisquer dúvidas, bem ajuizado.

Foi mais forte a equipa orientada por Mário Ruas que vence o troféu e consegue assim escrever mais uma página na história do clube da capital de distrito e que para o ano estará a disputar o Campeonato de Portugal. No domingo, dia 19, novo embate entre estas duas equipas, as melhores deste ano no distrital de Santarém, desta vez para disputarem a Supertaça Dr. Alves Vieira.

Sérginho, camisola 88 do União de Santarém, viria a ser considerado o homem do jogo.

Sérginho foi considerado o homem do jogo.

FICHA DE JOGO:

GD “O CORUCHENSE”: Gonçalo Guerra, Rodrigo, Cajarana, Heta, Semeano (Cap), Costa, Benavente, Joel, David Silva, Luis Carlos e Kevin.

Suplentes: Lourenço, Botelho, Capeto, Gabriel, Serge e Sadjó.

11 inicial GD “O Coruchense”.

UD SANTARÉM, SAD: Diogo Ferreira, Rony Ramos, N´Damy, David, Fabinho, Léo, Pedro Augusto, Pratas, Tomás, Ganhão (Cap) e Sérginho.

Suplentes: Coly, Bexiga, Noque, António Gonçalves, Tiago Luís, Adilson Gano e Nuno Afonso.

11 inicial do UD Santarém, SAD.

Equipa de arbitragem: Paulo Raposo, Pedro Freire, Adelino Crespo, João Mendes e Afonso Maia.

Equipa de arbitragem com os capitães de equipa.

No final da partida ouvimos ambos os treinadores.

Treinador GD “O Coruchense” – Gonçalo Silva

Gonçalo Silva, Treinador do GD “O Coruchense”.

Treinador UD Santarém, SAD – Mário Ruas

Mário Ruas, Treinador do UD Santarém, SAD.

 

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here