Futebol | Taça do Ribatejo-Juniores/CADE venceu o Fátima em festa que não chegou a ser (c/fotogaleria e audio)

Boa moldura humana viu o CADE conquistar a Taça do Ribatejo perante o Fátima. Foto: mediotejo.net

CLUBE AMADOR DE DESPORTOS DO ENTRONCAMENTO 4 – CENTRO DESPORTIVO DE FÁTIMA, SAD 3
Final da Taça do Ribatejo Juniores

PUB

Campo nº 1 – Complexo Desportivo do Bonito – Entroncamento
01-05-2019

Campo nº 1 do Complexo Desportivo do Bonito no Entroncamento.

Engalanou-se o Complexo do Bonito no Entroncamento para receber a oitava edição da Taça do Ribatejo no escalão de juniores. Cerca de um milhar de ruidosos apoiantes dos dois emblemas receberam o reforço dos jovens participantes da Tejo Cup que decorreu de manhã no mesmo local.

A ambicionada Taça do Ribatejo-Juniores ficou no Entroncamento.

Numa tarde primaveril entraram no relvado bem cuidado duas equipas com legítimas aspirações à conquista deste troféu. Ambas as equipas militam no escalão maior de juniores da Associação de Futebol de Santarém (AFS). No campeonato que agora terminou a equipa de Fátima ocuparam o terceiro posto e o CADE secundou-a ocupando o quarto lugar.

Muita ambição em ambas as equipas.

Nas bancadas, em lugar de destaque, estavam os presidentes das Câmaras Municipais de Entroncamento e Ourém, respectivamente Jorge Faria e Luís Albuquerque. A Francisco Jerónimo, presidente da AFS, coube-lhe o papel de anfitrião e tinha a ladeá-lo responsáveis associativos e dos clubes.

PUB
Francisco Jerónimo-Presidente da Associação de Futebol de Santarém.

Assim que a bola começou a rolar percebeu-se a disposição atacante de ambas as equipas, procurando marcar cedo. Aos dois minutos Diogo Vieira testou a atenção do guarda redes Tomás Monteiro em remate já dentro da área.

Estava dado o mote e aos seis minutos foi João Leal a rematar para defesa do guarda redes do CADE. No minuto seguinte a resposta da equipa do Entroncamento foi letal. Um cruzamento bem arrancado do lado direito encontrou David Aguiar em boa posição e este não falhou. O CADE passava a liderar o marcador a partir do oitavo minuto.

Cade adiantou-se cedo no marcador.

O jogo baixou de intensidade e os duelos começaram a ser sobre o meio campo, longe das balizas. O CADE parecia ter o jogo controlado perante uma equipa fatimense a acusar o golo madrugador. Apenas aos 16 minutos a adrenalina voltou a subir no estádio. Gabriel, possuidor de excelentes pés, driblou todos os adversários que lhe saíram ao caminho e rematou por cima da baliza de António Wilson.

Três minutos passados foi a vez de Danny ensaiar a meia distância mas a bola passou ao lado do poste. Aos 20 minutos João Nogueira começou a deixar a sua marca no jogo.

Servido em velocidade, isolou-se na cara do guarda redes fatimense e com um toque subtil desviou-lhe a bola em direção do segundo poste. Um bom golo a dilatar a vantagem da equipa do Entroncamento.

Boa moldura humana viu o CADE ganhar uma sólida vantagem.

Perante tal desvantagem a equipa de Telmo Pinto teria de “fazer pela vida” para inverter a tendência do jogo. Foi o que fez ao 23 minutos, na sequência dum livre. Diogo Vieira, que já havia ameaçado, desviou de cabeça reduzindo a diferença para um golo.

Estava melhor a equipa de Fátima mas o CADE defendia-se com bastante segurança. Só aos 29 minutos o CADE se abeirou da baliza dos fatimense, num livre de David Aguiar que passou ao lado.

Volvidos três minutos um cabeçada do lateral Filipe Moreira, culminando uma rápida transição ofensiva, passou muito perto do poste da baliza à guarda de Tomás Monteiro.

Boa reação do Fátima permitiu a redução no marcador.

Aos 38 minutos Ange Cedric conseguiu arranjar espaço para o remate que, prensado num adversário, resultou em defesa fácil do guarda redes.

Em cima dos 40 minutos o francês de ascendência marroquina Hakim Khamlich executou um estonteante “slalom” na área do CADE arrancando um golo de belo efeito.

Já com o descanso a chegar, o Fátima repôs o empate numa reviravolta pouco expectável mas que veio apimentar a final.

Fátima empatou antes do intervalo.

O intervalo chegou com o guarda redes Tomás Monteiro a defender o forte remate de Ange Cedric que ainda recargou para nova intervenção do guarda redes. Ao intervalo o resultado ajustava-se pela boa reação do Fátima. A segunda parte prometia emoção e mais golos…

Jogo emotivo com um nulo justo ao intervalo.

O segundo tempo começou com um autentico “vendaval” da equipa da cidade do Entroncamento. Apostados em resolver cedo a contenda, avisados pelo técnico Fernando Ferreira, os jovens do CADE entraram a “todo o vapor” e logo aos 48 minutos João Nogueira isolou-se e bisou no encontro colocando, de novo, a sua equipa na frente do marcador.

Pouco depois, aos 50 minutos, Salgueiro rematou de muito longe, a bola foi ao poste e na emenda o capitão Renato Raimundo alargou a vantagem.

Reentrada muito forte do CADE rendeu golos.

O Fátima, de novo a perder por duas bolas, via-se com dificuldades para inverter este resultado. Tudo piorou aos 55 minutos quando o lateral Filipe Moreira, a cortar de forma faltosa uma iniciativa atacante do CADE, viu o cartão vermelho.

Não sendo de especial dureza a falta e naquela zona do terreno, pareceu-nos excessivo o comportamento do árbitro Pedro Gorjão. A não ser que tenham havido “bocas” ou o juiz tenha vislumbrado alguma agressão. Fica o benefício da dúvida.

Expulsão de Filipe Moreira condicionou a estratégia do Fátima.

Em inferioridade numérica e a perder por duas bolas o Fátima nunca baixou os braços. Continuou a apresentar uma postura competitiva apesar dos nervos à flor da pele.
Aos 64 minutos Ange apareceu caído na área do CADE. Pediu-se grande penalidade mas Pedro Gorjão, bem colocado, mandou prosseguir sem nada assinalar.
Dois minutos depois o Fátima beneficiou dum livre direto que passou ao lado.

Apesar da inferioridade numérica o Fátima obrigou a defensiva contrária a trabalho apurado.

Beneficiando da superioridade numérica, a equipa da cidade ferroviária ia desenhando jogadas de bom recorte e levando perigo ao último reduto fatimense. O capitão Renato Raimundo era o mais rematador.

Aos 68 minutos arrancou um chapéu que passou acima do travessão. No minuto seguinte isolou-se, valendo a atenção do guarda redes António Wilson que veio cortar com os pés fora da sua área. Apostado em aumentar o seu pecúlio de golos passou a usar a meia distância, aos 73 e 74 minutos, passando em ambas as ocasiões a bola longe do alvo.

João Nogueira, com dois golos, foi considerado o melhor jogador da Final pelos Jornalistas presentes.

Com o jogo “partido” o Fátima começou a levar perigo junto da baliza de Tomás Monteiro. Aos 79 minutos, uma sequência de remates criou dificuldades à defesa para afastar. Culminou com um último remate de André Cotrim a obrigar o guarda redes a ceder canto.

Aos 82 minutos uma falta junto ao banco do CADE levou a destempero de vários jogadores. Depois do enorme “sururu” que se gerou, o árbitro apenas viu motivos para a decisão salomónica de exibir um amarelo para cada lado.

Falta junto à linha gerou um enorme “sururu”.

Sanada a confusão o CADE aproveitou para, numa rápida transição, obrigar o guarda redes do Fátima a intervir fora da sua área. Reclamou-se que o teria feito usando a mão. Não foi essa a opinião do juiz do encontro.

Responderam os jovens de Fátima com um excelente cruzamento para o coração da área onde a saída insegura de Tomás Monteiro condicionou o ataque à bola, acabando por sair pela linha de fundo, muito perto do poste.

Aos 87 minutos Ange conseguiu ganhar um canto. Na marcação do mesmo, a bola iria entrar de forma direta beneficiando do vento favorável. O guarda redes ainda impediu o golo mas não evitou que Wassim Amadi empurrasse para o fundo das redes, colocando muita pressão no CADE a três minutos do tempo regulamentar.

CADE acabou encostado às cordas.

Ange começou a criar muitas dificuldades aos pupilos de Fernando Ferreira, encostados às cordas, incapazes de contrariar o bom momento do Fátima. Um forte remate obrigou o guarda redes a ceder novo canto.

O árbitro Pedro Gorjão concedeu sete minutos a título de compensação e no primeiro deles Ange cabeceou obrigando Tomás Monteiro a ceder novo canto.

Com a compensação a esgotar-se, o Fátima dispôs dum livre ainda no seu meio campo. O guarda redes encarregue da reposição colocou na frente onde foi apanhar Bernardo Vaz em posição irregular.

O Fátima tudo fez para chegar ao empate.

No minuto seguinte João Nogueira ainda tentou o “hat-trick”, de muito longe, mas o guarda redes estava atento. O jogo terminou após um canto inconsequente para o CADE.

Boa final com vitória sofrida mas justa. Grande atitude do Fátima que com menos uma unidade durante 35 minutos, mais sete da compensação, deu excelente réplica e teve sempre uma atitude competitiva. E um jogo com sete golos…

Arbitragem com decisões polémicas e pouco consensuais. Exigia-se, numa final, uma arbitragem que não deixasse ninguém com dúvidas.

Arbitragem de Pedro Gorjão foi muito contestada.

Após o apito final o que deveria ser festa transformou-se numa enormidade de actos pouco abonatórios. Provocações, gente de cabeça perdida e a Polícia a ter de intervir para repor a ordem. Deplorável…

Atitudes pouco abonatórias no final levaram a Polícia a intervir.

Pouco “fair play” na entrega das medalhas e do troféu manchou a Festa da Taça. Com os mais altos responsáveis da Associação de Futebol de Santarém é expectável que possa haver algumas ações corretivas.

O CADE junta o seu nome aos demais vencedores da Taça do Ribatejo-Juniores: Académica de Santarém (2), Alcanenense (2), União de Almeirim (2) e União de Tomar.

João Nogueira, do CADE, marcou dois golos e foi considerado o melhor jogador da Final em votação dos jornalistas presentes. Uma votação onde houve unanimidade.

O mediotejo deu conta, em direto, da festa dos jovens do CADE com os seus adeptos após a entrega da Taça:

Entroncamento | CADE conquista a Taça do Ribatejo de Juniores

Publicado por mediotejo.net em Quarta-feira, 1 de maio de 2019

CADE venceu a oitava edição da Taça do Ribatejo-Juniores.

FICHA DO JOGO:

CLUBE AMADOR DE DESPORTOS DO ENTRONCAMENTO:
Tomás Monteiro, Zuca, Micas, Caleiro, Hugo Ferreira, Salgueiro, David Aguiar, Danny (Pedro Cardoso), Gabriel (Simão), João Nogueira e Renato Raimundo (Sandro).
Suplentes não utilizados: João Carlos, Bernardo, José Oliveira e João de Marco.
Treinador: Fernando Ferreira.

Clube Amador de Desportos do Entroncamento.

CENTRO DESPORTIVO DE FÁTIMA:
António Wilson, Filipe Moreira, Rafael Santos, Rodrigo Lisboa (Wassim Amadi), André Cotrim, Hakim Khamlich, João Leal (Bernardo Vaz), Ange, Diogo Vieira, Ange Cedric (Gabriel) e Renato Gil.
Suplentes não utilizados: Rafael Correia, Simão Silva e David Dias.
Treinador: Telmo Pinto.

Centro Desportivo de Fátima.

GOLOS:
David Aguiar, João Nogueira(2) e Renato Raimundo (CADE); Diogo Vieira, Hakim Khamlich e Wassim Amadi (Fátima)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Pedro Gorjão, Rui Soares e Filipe Lascas.
4º árbitro: Leonel Manha.

Equipa de arbitragem: Pedro Gorjão, Rui Soares, Filipe Lascas e Leonel Manha com os capitães.

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Tomás Monteiro, Caleiro e Pedro Cardoso (CADE); André Cotrim, Ange e Renato Gil (Fátima).
Cartão vermelho: Filipe Moreira (Fátima).

No final fomos ouvir os responsáveis técnicos das equipas.
Telmo Pinto, do Fátima escusou-se a falar à Comunicação Social.
Falámos com o treinador do CADE:

Fernando Ferreira-Treinador do CADE.

FOTOGALERIA:

*Com David Belém Pereira (fotos audio e video).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here