Futebol | Sertanense vence Sernache e arrecada a Taça de Honra (C/fotos e áudio)

Sertanense ganhou a Taça de Honra da Associação de Futebol de Castelo Branco.

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE 1 – GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE 0
Taça de Honra da Associação de Futebol de Castelo Branco

PUB

Final: Estádio Municipal Vale do Romeiro
Castelo Branco
09-08-2019

O bonito Estádio do Vale do Romeiro recebeu a quarta edição da Taça de Honra.

Com o intuito de proporcionar jogos competitivos às suas equipas a disputar os nacionais a Associação de Futebol de Castelo Branco organiza a Taça de Honra da Associação.

Este ano, na sua quarta edição, registaram-se a presença de Oleiros, Benfica de Castelo Branco (vencedor das duas primeiras edições), Vitória de Sernache e Sertanense que havia vencido a última edição.

Com as meias finais, disputadas a meio da semana, a determinar os finalistas na marcação das grandes penalidades deixava antever algum equilíbrio.

PUB
Segurança defensiva foi trunfo do Vitória de Sernache.

Foi num final de tarde ameno, num relvado bem cuidado que o Sertanense e o Sernache se apresentaram como candidatos a erguer o Troféu. O público primou pela ausência apesar da presença da pequena claque sertanense que animou a partida. Na bancada viam-se alguns “olheiros” de outros clubes.

O jogo começou em toada de pré-época com as equipas em estudo mútuo. Foi o Sertanense, com a preparação mais adiantada, a pegar no jogo e pertenceram-lhe as melhores iniciativas.

O Vitória de Sernache, com o seu presidente, António Joaquim, no comando técnico após a inesperada saída de Paulo Bento por motivos de saúde, estava mais expectante, privilegiando a segurança defensiva, espreitando uma ocasião para lançar o contra ataque.

Vitória espreitou ocasiões para contra atacar.

Foi sem surpresa que a primeira ocasião apenas surgisse já com dez minutos de jogo.
Carlos Semedo ganhou espaço à entrada da área do Sernache, enquadrou-se com a baliza mas o forte remate saiu por cima da trave da baliza de Bruno Monteiro.
Passados três minutos foi a vez da bola sobrar para Marcos Delgado, após insistência da equipa da Sertã. O rematou foi para fora.

Lance no meio campo.

Aos 20 minutos o Sernache, que já começara a subir no terreno, dispôs de uma excelente ocasião para abrir o marcador.

O japonês Shoya Tojo (ex-Maritimo) entrou na área sertaginense pelo lado direito, foi até ao fim e à saída de Leandro Turossi enviou o esférico à base do poste mais próximo.

À passagem da meia hora a equipa da Sertã, na conversão de um livre no lado esquerdo, obrigou Sérgio Nogueira, em tarefas defensivas, a cortar para canto com a bola a passar muito perto da sua baliza.

Logo a seguir, António Joaquim foi obrigado a mexer no xadrez por lesão de Shoya Tojo.
Curiosamente o Vitória de Sernache teve o seu melhor período no encontro. Empurrou a equipa de Hugo Martins para o seu último reduto e aos 35 minutos levou mesmo o pânico à defesa sertaginense que teve dificuldade em rechaçar os sucessivos remates dos adversários.

A primeira parte terminou com Carlos Semedo, muito ativo no jogo, a cruzar para remate em zona frontal de Cyrille Kpan. A defesa do Vitória resolveu atirando para canto. Do canto nada resultou e o juíz da partida, Hélio Tavares, deu por finda a primeira parte. O empate ajustava-se.

O nulo ao intervalo aceitava-se.

A segunda parte começou com ambas as equipas a procederem a reajustes e a entrada de muitos jogadores. As equipas demoraram a encaixar nos novos modelos e o jogo recomeçou algo monótomo.

Apenas aos 58 minutos um livre perigoso, favorável ao Sertanense, reabriu as hostilidades. Foi para fora mas espicaçou a equipa.

Com Tito Júnior a subir pela direita Carlos Semedo aparecia mais na zona central do ataque. E foi mesmo uma bola metida nas costas da defesa do Vitória que permitiu a Semedo, na cara do guarda redes Mury Edoa, desviar a bola e fazer o único golo da partida.

Carlos Semedo, muito ativo, fez o único golo da partida.

Se a tarefa se adivinhava ciclópica para o Vitória de Sernache para inverter o resultado pior ficou quando Ambroise Laudry, aos 68 minutos, teve uma entrada duríssima, lesionando um adversário e viu a cartolina vermelha, sendo excluído do jogo.

Ambroise Laudry vê a cartolina vermelha por entrada dura.

Aproveitando a vantagem numérica a equipa da Sertã começou a aparecer com muita gente na área contrária.

Aos 72 minutos um cruzamento de Cyrille Kpan foi encontrar Tito Júnior dentro da área em excelente posição para concretizar. Um defesa antecipou-se e tirou o “pão da boca” do capitão sertaginense, enviando o esférico pela linha de fundo, cedendo canto.

Tito Júnior quase marcava.

Aos 76 minutos Salinas resolveu fazer “gato-sapato” de toda a defesa vitoriana e foi até ao fim. O forte remate esbarrou num defesa dando origem a um pontapé de canto. Na execução do castigo Salinas, com forte cabeçada fez brilhar a grande altura o guarda redes Mury Edoa.

No minuto seguinte Brampoque Sá cruzou para Outtara que amorteceu para forte remate de Bruno Torres. Mury Edoa voltou a mostrar qualidade parando o remate que culminou uma jogada bem gizada pela equipa de Hugo Martins.

Outtara acrescentou qualidade à equipa de Hugo Martins.

O jogo encaminhava-se para o final e um centro remate de Bruno Torres saiu frouxo e o guarda redes de Sernache defendeu sem dificuldade. No minuto seguinte viveu-se um momento de alguma aflição com a lesão de Óscar Barros. Ficou no chão e os pedidos de ajuda de colegas e adversários deixaram antever o pior. Saiu em maca para posterior avaliação a lesão no membro inferior esquerdo.

Entretanto o árbitro concedia cinco minutos de compensação onde o Vitória de Sernache ainda podia ter chegado ao empate em remate de Wiliams Júnior que passou ao lado. Isto quando o Vitória jogava com oito jogadores…!!!

Óscar Barros saiu de maca e temeu-se o pior.

Vitória que se aceita perfeitamente num jogo típico de pré-época em que o Sertanense parece ter a preparação mais adiantada.

Arbitragem algo permissiva, impôs-se quando necessário. Nota positiva.

Tito Júnior recebe a Taça de Honra.

FICHA DO JOGO:

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE:
Leandro Turossi, Ariano, Duarte Coelho, Tito Júnior, Saná, Milhazes, Doukoré Hamed, Marcos Delgado, Gustavo, Cyrille Kpan e Carlos Semedo.
Suplentes: Pedro Simões, Diogo Marques, Ricardo Fernandes, Brampoque Sá, Bruno Torres, Salinas, Outtara, Jailson e Igor.
Treinador: Hugo Martins.

Sertanense Futebol Clube.

GRUPO DESPORTIVO VITÓRIA DE SERNACHE:
Bruno Monteiro, Leandro, Marcos, Ambroise Laudry, Óscar, Pedro Cunha, Samuel Vaz, Pedro Pinto, Sérgio Nogueira, Shoya Tojo e José Gonçalves.
Suplentes: Mury Edoa, Wiliams Júnior, Sandro, Rodrigo Dias, Pedro Henriques, Pedro Duarte, Bruno Embaló, Paulo Gonçalves, Rúben Rodrigues e Wiliams Nascimento.
Treinador: António Joaquim.

Grupo Desportivo Vitória de Sernache.

GOLO:
Carlos Semedo (Sertanense).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Hélio Tavares, João Inácio, Fernando Cruz (AF Castelo Branco).

Equipa de Arbitragem: Hélio Tavares, João Inácio e Francisco Cruz com os capitães.

No final, em Conferência de Imprensa, ouvimos os treinadores de ambos os clubes:

Hugo Martins, treinador do Sertanense.

 

António Joaquim, presidente e treinador do Vitória de Sernache.

*Com David Belém Pereira (fotos e áudio).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here