Futebol | Sertanense e Caldas repartem pontos em jogo equilibrado (C/fotos e audio)

Jogo competitivo na Sertã.

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE 1 – CALDAS SPORT CLUBE 1
Campeonato de Portugal – Série C – 26ª jornada
Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos
Sertã – 17-03-2019

Silêncio e respeito por Fábio Mendes.

Numa tarde fria, ventosa e com a chuva miudinha a fazer a sua aparição, o bonito Campo de Jogos Dr. Marques dos Santos recebeu duas equipas vindas de vitórias expressivas. O Sertanense, a lutar para sair dos lugares de despromoção, foi vencer a Sintra por uns surpreendentes 1-3 e o Caldas, a querer garantir cedo um lugar neste campeonato na próxima época, a “despachar” no seu reduto um concorrente direto, o Fátima, pelo mesmo resultado.

Com o relvado muito rápido e as equipas a necessitarem de pontos como de “pão para a boca”, era expectável um jogo muito tático, com as equipas a fecharem-se e a apostar no erro alheio.

PUB
Pouco espaço para jogar com muitas unidades no meio campo.

Foi o que aconteceu…
Após um minuto de silêncio pelo trágico desaparecimento do jovem jogador de futsal Fábio Mendes, do Centro Social de São João, durante a partida com o Portimonense no passado sábado, ao apito inicial percebeu-se que o jogo ia ser muito disputado no meio campo onde as equipas concentraram muitas unidades. Apesar da dificuldade de progressão, Sunday, um poço de energia, arrancou um remate cruzado, aos oito minutos, a obrigar o guarda redes Luís Paulo a afastar com uma “sapatada”.

Assédio à baliza de Luís Paulo.

Sunday viria a ser protagonista aos 11 minutos quando se isolou pelo lado esquerdo do seu ataque. O remate saiu muito torto, sobrevoando a baliza adversária. No minuto seguinte o Sertanense beneficiou de um livre e a cabeçada de Tiago Correia saiu fraca. Fácil para o guarda redes caldense.

PUB

A resposta surgiu logo a seguir quando Rafael Silveira, chamado a jogo por lesão de Hugo Melo, se isolou e executou um chapéu ao guarda redes da casa, Miguel Assunção. O esférico passou muito perto do poste dando a sensação de golo.

Foram escassas as ocasiões de golo.

À passagem do quarto de hora Sunday foi derrubado quando se preparava para invadir a área da equipa das Caldas da Rainha. O árbitro, bem posicionado, optou por assinalar falta atacante ao possante avançado nigeriano. Durante largos minutos a bola andou longe das balizas…

Apenas aos 24 minutos, de bola parada, o Caldas voltou a ameaçar a baliza da equipa da Sertã. Um livre direto, bem executado por Pedro Gaio, obrigou Miguel Assunção a defesa apertada. Largou o esférico e o árbitro descortinou uma falta atacante e interrompeu o lance.

Miguel Assunção em defesa apertada.

Lutava-se muito a meio campo mas com as defesas a superiorizarem-se aos ataques. Foram escassos os momentos de perigo. Apenas as bolas paradas constituíram algum perigo. Num canto favorável à equipa do Oeste, aos 35 minutos, o remate foi interrompido pelo apito do árbitro por posição irregular. Dois minutos depois Sunday arrancou aplausos pelo acrobático pontapé de bicicleta. Teve tanto de bonito como de inócuo porquanto o esférico passou ao lado do poste da baliza de Luís Paulo.

Bons duelos num jogo morno.

Aos 42 minutos começou a escrever-se a história do jogo. Com pouco para jogar no primeiro tempo, o Sertanense subiu com várias unidades ao extremo reduto caldense e o cruzamento da direita, bem executado, apanhou Sunday em boa posição e não se fez rogado. Com uma cabeçada certeira inaugurou o marcador.

Após um livre favorável ao Sertanense que ficou na barreira o árbitro André Castro apitou para o descanso. Aceitava-se facilmente o resultado favorável à equipa da casa num jogo pouco entusiasmante mas rijamente disputado.

Sunday colocou o Sertanense a vencer.

O golo ao “cair do pano” na primeira parte não podia deixar a equipa das Caldas satisfeita. José Vala, treinador dos visitantes apostou no mesmo onze com que saiu para intervalo e não se deu mal. Apenas se jogava à quatro minutos no segundo tempo e a sua equipa ganhou um pontapé de canto.

Na cobrança, Leandro Vilas Boas cabeceou de forma irrepreensível e restabeleceu a igualdade num golo muito festejado pelas “claques” que viajaram das Caldas da Rainha.

“Claques” do Caldas festejam o golo de Leandro Vilas Boas.

Com tudo empatado e os pontos em risco as equipas voltaram ao futebol menos bonito da primeira parte. À passagem da hora de jogo os treinadores resolveram mexer no xadrez das suas equipas. Hugo Martins lançou o veloz ala esquerdo Davou e José Vala respondeu com Passos e Ednilson de uma assentada.

O jogo ganhou vivacidade e num cruzamento da direita Salinas obrigou o guarda redes Luís Paulo a empregar-se a fundo. O jogo começava a ficar partido com alternância de situações prometedoras numa e noutra baliza.

Ednilson trouxe profundidade ao jogo do Caldas.

Aos 66 minutos um livre batido do lado esquerdo como atacava o Sertanense levou o esférico a atravessar toda a área caldense sem que ninguém conseguisse interferir. Perdeu-se pela linha de fundo. Na resposta Ednilson, muito rápido, foi cruzar atrasado à linha de fundo. A defensiva da casa, atenta, afastou.

Com tão poucas “chances” de faturar as bolas paradas são opção. Um livre à entrada da área, descaído sobre a direita, aos 69 minutos, resultou em mais uma bola transviada.

Vilas Boas marcou o golo solitário dos visitantes.

Um canto para os visitantes levou preocupação à defensiva sertaginense, em cima dos 78 minutos, mas o venezuelano Homero, bem posicionado, esconjurou o perigo. Aos 83 minutos, já com o final à vista intensificou-se a pressão do conjunto da casa e assistiu-se a uma sequência de cantos a seu favor. No entanto, daí nada resultou.

Com quatro minutos para jogar, o lance que encerrou o jogo foi um remate de Davou de longe que saiu muito distante da baliza dos visitantes. Resultado aceitável. A repartição de pontos terá deixado o Caldas mais satisfeito. Subiu ao nono lugar, por troca com o Nogueirense e o Sertanense continua imediatamente abaixo da linha de água a três pontos do Alverca. Boa arbitragem.

Sertaginenses festejam o golo que soube a pouco.

FICHA DO JOGO:

SERTANENSE FUTEBOL CLUBE:
Miguel Assunção, Tito Júnior, Tiago Correia, João Jesus, Celsinho, Kevin, Homero, Lucas Salinas (Martim Luther King), Tiago Batista, Hugo Barbosa (Davou) e Sunday.
Suplentes não utilizados: Pedro Farinha, Miguel Cunha, Ide Colubali, Felício e Sócrates.
Treinador: Hugo Martins.

Sertanense Futebol Clube.

CALDAS SPORT CLUBE:
Luís Paulo, Thomas Militão, Pedro Gaio, Juvenal (Flávio), Filipe Cascão, Paulo Inácio, Vitor Rodrigues (Ednilson), André Simões, Leandro Vilas Boas, Rafael Silveira e Luís Farinha (Januário).
Suplentes não utilizados: Guilherme, Passuco, Rui Almeida e Marcelo.
Treinador: José Vala.

Caldas Sport Clube.

GOLOS: Sunday (Sertanense) e Leandro Vilas Boas (Caldas).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
André Castro, Pedro Assunção e Diogo Oliveira (AF Aveiro).

Equipa de Arbitragem: André Castro, Pedro Assunção e Diogo Oliveira com os capitães de equipa.

Os treinadores falaram em exclusivo para o mediotejo,net:

Hugo Martins-Treinador do Sertanense.

 

José Vala-Treinador do Caldas.

*Com David Belém Pereira (fotos).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here