Futebol | Rio Maior vence Pego e volta a equilibrar as contas do campeonato (C/fotos e audio)

Rio Maior impõe goleado ao Pego e equilibra assim as contas do campeonato.

Rio Maior Sport Clube 5 – 1 Casa do Povo do Pego
Campeonato Distrital AFS – 2ª Divisão – Apuramento do Campeão
Estádio Municipal de Rio Maior
05-05-2019

PUB

Tarde agradável em Rio Maior para a partida que opunha a equipa da casa e a Casa do Povo do Pego, segundo classificado à partida para esta 5ª jornada da fase de apuramento de campeão da II divisão distrital. Com as bancadas razoavelmente compostas, a equipa da casa superiorizou-se e venceu por 5-1, equilibrando assim as contas nesta fase final de apuramento de campeão e de subida de divisão.

Rio Maior está agora a 1 ponto do Pego.

O jogo até começou equilibrado, com as equipas a encaixarem bem uma na outra, a não dar espaço ao adversário para jogar, com uma reação à perda muito rápida. Desta forma o jogo centrou-se muito no centro do terreno, algo longe das balizas. De quando em vez lá se via uma arrancada pelas laterais pelos velocistas de ambas as equipas o que causava alguma emoção ao desafio. Foi de resto em lances desta natureza que viriam a surgir os primeiros golos.

Inicio de jogo equilibrado com muitos duelos na zona central do terreno.

E o primeiro surgiu mesmo para o Rio Maior, à passagem dos 11 minutos. Numa dessas incursões pelo lado esquerdo, Henrique Graça ultrapassa o seu adversário e num cruzamento remate potente, obriga o guarda-redes a uma defesa incompleta, colocando a bola nos pés de João Alves que esperava dentro de área. Sem marcação, atirou para o fundo da baliza fazendo o 1-0.

Reagiu bem a equipa visitante, apenas 7 minutos depois. Também numa arrancada, agora pela asa direita, Paulito consegue levar a bola até à linha cruzando-a. A mesma sofre um pequeno desvio para fora de área onde se encontrava Diogo Rosado, que a ajeita para desferir de seguida um remate colocadíssimo surpreendendo tudo e todos. O esférico já só parou nas redes da baliza. Estava restabelecida a igualdade com um grande golo e um bonito momento de futebol.   

PUB
O jogo estava vivo mas equilibrado, qualquer equipa podia chegar ao golo a qualquer altura.

Até então ambas as equipas estavam muito bem naquilo que era a sua organização, não concedendo grandes espaços ao adversário, algo que se verificou até ao intervalo. A equipa do Pego com mais bola, com uma melhor circulação, embora no último terço as coisas não estivessem a correr bem, ou porque os passes não entravam ou porque eram obrigados a jogar para trás face à boa organização defensiva de Rio Maior.

Só através da velocidade pelos corredores, especialmente por Paulito, se denotava algum perigo, mas eram muito poucos os homens que apareciam na área para finalizar, situação recorrente em toda a partida.

Já a equipa do Rio Maior, que queria forçosamente construir a partir de trás, via-se sempre com muitas dificuldades em chegar ao meio campo do adversário, tendo grande parte da sua posse de bola passado pelos seus homens mais recuados. Uma pressão muito alta e forte da equipa do Pego não permitia que os médios de Rio Maior rodassem para construir, obrigando, muitas vezes, a jogar para trás.  

Até ao intervalo registava-se um bom duelo entre ambas as equipas.

Foi numa das jogadas pelo centro do terreno que aos 37 minutos viria a surgir o segundo golo da equipa de Rio Maior. Um dos médios interiores recebeu de costas, mas desta feita consegue rodar e ficar de frente para o jogo. Fazendo-se valer da sua qualidade técnica, descobre Arnaldo Ferreira que esperava junto à entrada da área. O mesmo não se faz rogado e desferiu um bom remate em arco, desviando a bola do alcance do guarda-redes visitante.

Estava de novo a equipa da casa em vantagem, novamente com um belíssimo golo. Estava animado o jogo e assistia-se a uma boa partida de futebol.

Após regressarem das cabines, cedo se percebeu que o jogo ia ser diferente. O Rio Maior passaria a entregar a iniciativa ao adversário, esperando pelo erro e nunca abdicando de chegar lá à frente e causar estragos. Os desacertos continuaram a ser evidentes na equipa visitante que continuava a não acertar no último terço e continuava a denotar-se uma falta de homens evidente no interior da área para situações de finalização.

A segunda parte foi diferente da primeira. O Pego entrou mais desconcentrado e Rio Maior aproveitou.

O lance mais perigoso do Pego em toda a segunda parte surgiu aos 54 minutos, num livre cobrado por Diogo Rosado para uma intervenção vistosa do guarda-redes da casa, que não mais teve de se aplicar até final. Na sequência desse lance ficou a pedir-se penalti por um alegado empurrão nas costas. Mandou jogar o árbitro.

Aos 60 minutos, novo golo da equipa de Rio Maior, numa típica jogada de contra-golpe, a bola circula por todo o lado esquerdo do terreno até chegar à área onde é colocada para um dos homens da casa que aparece vindo de trás e desvia, fora do alcance do guarda redes. Estava feito o 3-1.

O avolumar do resultado foi-se construindo naturalmente através das transições rápidas que Rio Maior impunha.

O jogo ficaria praticamente sentenciado à passagem dos 77 minutos, num golo algo caricato. A bola é cruzada do lado direito para o interior da área onde se encontrava um jogador do Pego, que se havia desequilibrado. O esférico acaba por ressaltar nesse mesmo jogador que se encontrava no chão e vai caprichosamente colocar-se nos pés de Ricardo, que, na cara do golo, não se fez rogado e faz o 4-1 para a equipa da casa. Ia assumindo contornos de goleada o jogo no Municipal de Rio Maior. 

A partida ficaria mesmo sentenciada com o 5-1, a cinco minutos do final. Numa perda de bola a meio-campo, a equipa de Rio Maior aproveita para sair rápido e com muita facilidade a bola chega aos pés de Luís que, após driblar o último homem do Pego, remata forte para o fundo das redes. 

Vitória justa da melhor equipa em campo num dia mau da equipa do Pego.

A equipa de arbitragem foi bastante contestada durante toda a partida. Não havendo nenhum lance que diretamente pudesse interferir com o resultado, pode dizer-se que foi uma tarde razoável para o juiz do encontro.

Derrota pesada para o Pego que desce assim ao 3º posto da classificação à entrada para a segunda volta da fase final. Já a equipa de Rio Maior ganha novo fôlego com estes 3 pontos, ficando agora em igualdade pontual com os Riachos e apenas a 1 ponto de alcançar o Pego. 

Ficha de jogo:

Rio Maior Sport Clube:

Filipe, Iury Lima, João Alves, Geraldino, Gonçalo Marins, Arnaldo Ferreira, Miguel Vaz, Henrique Graça, Gui Menezes, João Madeira e Ricardo.

Suplentes: João, Luis Barbosa, Miguel Menezes, Francisco Marins, João, João Sousa e Davis Cruz.

Equipa de Rio Maior a agradecer aos adeptos.

Casa do Povo do Pego:

Mário Lopes, Daniel Patrício, Bruno Ferreira, Fábio Duque, João Roldão, André Batista, Pedro Rosado, Diogo Rosado, Benny, Paulito e Luis Vieira.

Suplentes: João Rosa, André, Luis Rodrigues, Rodrigo Lourenço, João Rodrigues e Ruben Fernandes.

Equipa do Pego a agradecer aos adeptos.

Equipa de arbitragem: Diogo Martinho; Tiago Martinho; João Lopes.

Equipa de arbitragem.

No final do jogo ambos os treinadores fizeram uma análise à partida e ao momento de ambas as equipas.

Treinador do Rio Maior: Mauro Miguel

Mauro Miguel, treinador do Rio Maior.

Treinador do Pego: Fernando Rosado

Fernando Rosado, treinador da Casa do Povo do Pego.
PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here