Futebol | Penalti mal assinalado ao Mação desequilibrou a balança para o Oliveira do Hospital (C/fotos e video)

Jogo equilibrado e agradável de seguir em Mação. Foto: mediotejo.net

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 0 – FUTEBOL CLUBE DE OLIVEIRA DO HOSPITAL 1
Campeonato de Portugal – Série C – 29ª jornada
Campo Agostinho Pereira Carreira
Mação – 07-04-2019

Campo Agostinho Pereira Carreira em Mação.

Tarde invernosa, com a chuva a fazer a sua aparição de vez em quando e bancadas com pouco público para assistir a mais um desafio do Campeonato de Portugal. Com a equipa da casa já despromovida e o Oliveira do Hospital num tranquilo oitavo posto da tabela, apenas se podia esperar um jogo descomprometido e, quiçá, bem jogado. Rui Pedro Gaivoto, com muitas limitações no plantel, vai ensaiando soluções. Miguel Quiami jogou na frente pelo lado esquerdo e Tenta Maeda como interior direito. Na ausência de Glady, o central escalado para fazer dupla com Lélé foi Bernardo Bento.

Ausências obrigaram Rui Pedro Gaivoto a “mexidas” no xadrez.

Como vem sendo habitual a equipa maçaense apostou na segurança defensiva, entregando a iniciativa ao adversário, espreitando uma oportunidade de lançar o seu futebol vertical a apostar na velocidade de João Marchão e Tiago Vieira. O Oliveira do Hospital aproveitou a oferta para delinear boas jogadas, algumas de fino recorte que esbarraram na solidez defensiva do Mação.

PUB
Mação esteve muito forte a defender.

A equipa da casa sempre que se aproximava do extremo reduto da equipa do distrito de Coimbra fazia-o com perigo e aos três minutos uma sequência de quatro cantos terminou com uma cabeçada de Araújo por cima dos ferros da baliza à guarda de João Alves.
Aos oito minutos, um atraso deficiente para o guarda redes “azul e branco” permitiu a interposição de Tiago Vieira que não conseguiu bater João Alves. Começo promissor da equipa de Mação.

Mação começou em cima da baliza adversária.

Com a equipa de Oliveira do Hospital com mais posse de bola, o jogo decorreu muito sobre o meio campo, sem grandes “chances” de golo, numa tarde tranquila para os guarda redes.
À passagem do quarto de hora, Samuel Garrido tentou dar um pontapé no monotonia e testou a meia distância com a bola a passar longe da baliza de Chico Sousa.

PUB

Aos 20 minutos, numa jogada bem desenhada do Mação, João Marchão, em velocidade, ganhou sobre Leo Araújo e sobre a linha de fundo cruzou para Tiago Vieira. Este, marcado, deixou para Rodrigo Ribeiro que encheu o pé. Atento, João Alves, defendeu com classe.

João Alves manteve as suas redes invioladas.

Pouco depois Tiago Vieira tentou a meia distância sem sucesso. Aos 29 minutos, na sequência de um livre, Fred cabeceou ao lado, perto da baliza de Chico Sousa. O Oliveira do Hospital entrou no último quarto de hora do primeiro tempo mais perto da baliza contrária no seu melhor período no encontro.

Aos 34 minutos o capitão Luís Martins ganhou um ressalto dentro da área e só uma enorme defesa de Chico Sousa impediu os forasteiros de abrirem a contagem.

Bom trabalho defensivo da equipa da casa.

Aos 37 minutos, após um canto para o Mação, a equipa do sopé da Serra da Estrela acelerou e em rápida transição isolou David Brás que, na cara de Chico Sousa e com a oposição de Bernardo Bento, atirou por cima da trave. Na melhor oportunidade para os visitantes faltou eficácia. O intervalo chegou pouco depois com um empate que se aceitava apesar do maior domínio do Oliveira do Hospital.

David Brás muito perto de marcar em cima do intervalo.

As previsões para o segundo tempo eram da continuação de algo semelhante à primeira parte onde um golo poderia surgir para qualquer um dos lados. Ainda pouco havia para registar quando, aos 49 minutos, Samuel Garrido entrou com a bola dominada na zona de ação de Chico Sousa. Este chegou primeiro à bola e ambos os jogadores, em movimentos opostos, acabaram por se tocar de forma inevitável.

O único que não teve dúvidas foi o árbitro da partida e apontou a marca dos onze metros sob um coro de protestos. Daí, Samuel Garrido atirou para o lado esquerdo do guarda redes maçaense abrindo o marcador.

Chico Sousa foi impotente para defender penalti.

Chico Sousa excedeu-se nos protestos e recebeu ordem de expulsão. Rui Pedro Gaivoto sacrificou Tenta Maeda e fez entrar para a baliza… o seu adjunto, treinador de guarda redes, Alexandre. A vencer, e com superioridade numérica, seria expectável que a equipa beirã arrancasse para um resultado robusto. Tal não aconteceu porque a equipa maçaense, ferida no orgulho, fez da fraqueza força e passou a disputar cada lance como se fosse o último.

Expulsão de Chico Sousa levou para a baliza Alex, adjunto do treinador de Mação!!!

Aos 64 minutos um oportuno remate de Samuel Garrido deu a Alexandre a primeira oportunidade de dizer presente. A defesa instintiva, com os pés, impediu que o marcador ganhasse outra expressão. Na resposta, Miguel Quiami rematou ao lado da baliza dos visitantes.

Entretanto Rui Pedro Gaivoto lançou no jogo Lucas Reis, mais um veloz ala, e Bruno Lemos, um estratega de eleição. Melhorou a qualidade do futebol do Mação e apesar de ter menos unidades em campo passou a equilibrar a contenda.

Macedónio Kristian Trajceski esteve perto de marcar.

Apesar desse equilíbrios quem esteve mais perto de marcar foi o Oliveira do Hospital através do macedónio Kristian Trajceski aos 78 minutos e num livre em que Varela cabeceou ao lado. Entretanto, aos 83 minutos, Fred foi tocado por Faia, teve uma atitude intempestiva e viu o cartão vermelho.

No rescaldo Guti, no banco, terá dirigido palavras menos simpáticas ao árbitro do encontro e foi para o banho mais cedo. Caldo momentaneamente entornado num jogo bastante correto. Perto do final, na sequência de um canto, o Mação esteve perto do empate. A cabeçada de Araújo não levou o destino pretendido. Com cinco minutos de compensação nada mais houve digno de nota.

Expulsões marcaram o jogo pela negativa.

Resultado que se aceita. Pelo futebol praticado por ambos os conjuntos o empate espelharia bem a realidade. O árbitro de Leiria, bem em quase todos os momentos do jogo, terá sido decisivo ao assinalar a grande penalidade que deixou dúvidas a toda a gente. Definiu um critério disciplinar apertado e os cinco cartões amarelos e três vermelhos deixa a ideia de “batalha campal” num jogo corretíssimo. Terá certamente dias melhores…

Jogadores não regatearam esforço…

FICHA DO JOGO:

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Chico Sousa, Simão Moreno, Bernardo Bento, Gonçalo Lélé (Cap), Bruno Araújo, Miguel Quiami (Bruno Lemos, 67m), Filipe Faia, Rodrigo Ribeiro (Lucas Reis, 58m), Tenta Maeda (Alexandre, 52m), João Marchão e Tiago Vieira.
Suplentes não utilizados: Luís Esteves, Márcio Costa e Jean Marcelino.
Treinador: Rui Pedro Gaivoto.

Associação Desportiva de Mação.

FUTEBOL CLUBE DE OLIVEIRA DO HOSPITAL:
João Alves, Marco, David Brás, Luís Martins (Cap), André Freitas, Fred, Samuel Garrido (Guilherme, 66m), Ariano, Tidjane (Varela, 60m), Kristian Trajceski (Diogo Brito, 86m) e Leo Araújo.
Suplentes não utilizados: Nando Pedrosa, Bento, Zé Francisco e Guti.
Treinador: Miguel Valença.

Futebol Clube de Oliveira do Hospital.

GOLO:
Samuel Garrido (Ol.Hospital) G.Pen.

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Fábio Pila, Rui Freire e David Domingos (AF Leiria)

Equipa de Arbitragem: Fábio Pila, Rui Freire e David Domingos com os capitães.

DISCIPLINA:
Cartão amarelo: Rodrigo Ribeiro e Filipe Faia (Mação); Ariano, João Alves e David Brás (Ol.Hospital).
Cartão vermelho: Chico Sousa (Mação), Fred e Guti (Ol.Hospital).

No final do encontro Rui Pedro Gaivoto, técnico do Mação, fez questão de que a conferência de imprensa fosse conjunta com o treinador do Oliveira do Hospital, Miguel Valença.
Aceitámos o desafio e decidimos levar até si este bom momento de reflexão em formato vídeo:

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here