Futebol/Inatel | Vilarregense vence no Carvalhal e segura 1º lugar do grupo (c/áudio e fotos)

Vilarregense ganha em Carvalhal e assegura o primeiro lugar no grupo B2.

Lobos do Carvalhal 1 – 3 Vilarregense F.C – Liga Inatel de Santarém

PUB

Grupo B2 / 10ª jornada, Carvalhal, Abrantes – 07-04-2019

Quem se deslocou até ao Carvalhal, mesmo com chuva, fê-lo na expectativa de ver um bom jogo de futebol e ninguém se enganou. Primeiro e segundo classificados do grupo B2 procuravam assegurar a passagem aos quartos de final da Liga Inatel no 1º lugar, na derradeira jornada que os colocou frente a frente. O jogo terminou com o Vilarregense a levar de vencida “Os Lobos” do Carvalhal por 1-3, segurando desta forma o 1º posto.

Equipas perfiladas.

O jogo começou agitado com a bola a rondar ambas as balizas. Percebia-se um maior ascendente da equipa da casa a quem só a vitória interessava para chegar ao 1º lugar, desenvolvendo alguns ataques sobretudo pelas alas, onde conseguiam causar mais perigo. A equipa forasteira optou neste inicio de jogo por sair em contra-ataques perigosos apostando muito na profundidade de Dédé que viria a ser um elemento absolutamente decisivo na partida.

Foi desse mesmo Dédé que surgiu o primeiro grande lance da partida, logo aos 11 minutos. Após conseguir ficar com a bola controlada vê-se em situação privilegiada, na cara do guarda-redes, e, completamente isolado, consegue fazer o que parecia mais difícil, atirando ao lado do poste, errando o alvo. Ficava o aviso.

PUB
“Os Lobos” acercavam-se com maior perigo da baliza adversária.

Apenas alguns minutos depois viria a surgir o golo de “Os Lobos”. Numa tentativa de chegar rápido à área, a bola é bombeada e, pleno de oportunidade, Fábio Catarino aproveita um choque entre guarda-redes e o defesa do Vilarregense para atirar a contar para o fundo da baliza. Saía na frente do marcador o Carvalhal, num lance que motivou muitos protestos por parte das gentes de Vila de Rei, que ficaram a pedir falta aquando do choque entre os jogadores. O árbitro, após conferenciar com o auxiliar, entendeu que não houve qualquer irregularidade. Estava feito o 1-0.

Carvalhal colocava-se na frente o marcador por intermédio de Fábio Catarino.

Até ao fim do primeiro tempo o jogo continuou numa toada de parada e resposta, mas agora era a equipa visitante aquela que mais procurava a baliza com o Carvalhal a chegar-se à frente sempre que podia, causando, inclusive, alguns calafrios à equipa oriunda de Vila de Rei.

No inicio do segundo tempo a equipa forasteira entrou decidida a mudar o rumo dos acontecimentos, acercando-se com algum perigo da baliza adversária. Por outro lado, o Carvalhal, apesar de estar em vantagem, parecia querer mais e sempre que podia tentava criar dificuldades, nesta altura percebia-se que o golo podia cair para qualquer um dos lados.

Vilarregense entra mais pressionante na segunda parte.

Foi à passagem da hora de jogo que o Vilarregense conseguiu igualar a partida. Numa recuperação de bola proveniente do lado direito, a mesma é colocada em Rui Duque que, à entrada da área, não se faz de rogado, e, num remate de primeira, assinou o golo que colocava o resultado em 1-1. Fica a ideia de que o guarda-redes não sai isento de culpas, pois, pelo facto de estar ligeiramente adiantado, não conseguiu chegar a uma bola que se antevia de fácil intervenção. Também neste golo a decisão do juiz da partida foi muito contestada, com todas as pessoas afetas à equipa da casa a pedirem falta no momento da recuperação de bola. O árbitro não atendeu aos protesto e seguiu adiante com a decisão.

Empate na partida por intermédio do capitão de equipa, Rui Duque.

Com o resultado igualado, o Carvalhal estava obrigado a marcar para seguir em frente e verdade seja dita, bem tentaram. Numa das oportunidades (talvez a mais flagrante), na sequência de um canto, a bola chega à cabeça de de `um lobo´ que, completamente livre de marcação, cabeceia como mandam os livros, de cima para baixo, mas a bola sai à figura do guarda-redes que segurou com relativa facilidade.

Como diz o povo `quem não marca, sofre´ e aqui essa expressão assenta que nem uma luva. No minuto seguinte, quando a equipa do Carvalhal tentava sair para o ataque, perde a bola em zona proibida e a mesma é colocada na frente para a velocidade de Dédé. Este, na cara do golo, desta vez, não desperdiçou e colocou a bola entre as pernas do guarda-redes confirmando a reviravolta no marcador. Mais uma vez a equipa de arbitragem fica debaixo de uma grande onda de protestos com as pessoas da casa a pedirem fora de jogo do avançado de Vila de Rei.

O Vilarregense dava a cambalhota no marcador.

O golo pareceu abalar a equipa do Carvalhal que, apenas um minuto depois, aos 36 da segunda metade, perde a bola novamente na mesma zona que havia dado o segundo golo ao Vilarregense. Num lance algo semelhante, aproveitamento o balanceamento do adversário e a consequente descompensação defensiva, a bola é colocada novamente em Dédé que desvia do guarda-redes e bisa na partida. Dois golos em dois minutos para o elemento em maior destaque na equipa forasteira.

Dédé com dois golos foi o homem do jogo

Até final é de realçar a forma como o Carvalhal ainda tentou chegar junto da baliza adversária nunca desistindo de tentar o golo. Mas algum desacerto no último passe e na hora da finalização explicam o resultado final que não viria a sofrer mais alterações. Nota ainda para o facto da equipa da casa ter terminado o jogo com 10 jogadores, após a expulsão com vermelho direto de Jota, que teve uma entrada muito imprudente sobre o adversário travando um lance de contra-ataque.

Carvalhal já nada conseguiu fazer para reduzir a desvantagem.

Quanto à equipa de arbitragem, não foi uma tarde fácil em Carvalhal, com três lances diretamente ligados a golos, todos eles alvo de muitos protestos. Fica sempre o beneficio da dúvida visto nenhum desses lances ser um erro claro e serem todos eles de muito difícil análise. 

Segue assim o Vilarregense para a próxima fase da competição com 21 pontos, ficando pelo caminho “Os Lobos” do Carvalhal com 18, na segunda posição. 

Vilarregense qualifica-se para a os quartos-de-final da competição.

Ficha de jogo: 

Lobos do Carvalhal:

Rodrigo; Pedro; João; Trindade; Jota; David; Fábio Catarino; Renato; Daniel; Bruno; César.

Suplentes: Marcelo; André; Ricardo; Hélder; André Ramos; Grácio; Vando.

11 inicial dos Lobos do Carvalhal.

Vilarregense F.C:

Diogo; André Filipe; André Alves; Rui Duque; Hugo Domingos; Paulo César; Márcio Miguel; Fábio Miguel; Alvaro António; Dédé; Fábio Francisco.

Suplentes: Fábio António; Tiago Santos; André Rodrigues; Luis Bernardo; Fábio António; João Silva.

11 inicial do Vilarregense.

Equipa de arbitragem : 

João Simões; Sérgio Morujo; António Nunes.

Equipa de arbitragem com os capitães de equipa.

No final do jogo, o treinador do Vilarregense fez uma análise à partida ao passo que o treinador do Carvalhal não quis prestar declarações.

Treinador do Vilarregense F.C – Eduardo Araujo.

Eduardo Araujo, treinador do Vilarregense.

 

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here