Futebol | Excelente segunda parte do Mação não evitou derrota perante o Benfica de Castelo Branco (C/fotos e audio)

Coesão defensiva do Mação travou progressão dos albicastrenses. Foto: mediotejo.net

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO 0 – SPORT BENFICA E CASTELO BRANCO 1
Campeonato de Portugal – Série C – 9ª jornada
Campo Agostinho Pereira Carreira
Mação
28-10-2018

PUB
Campo Agostinho Pereira Carreira recebeu um bom jogo de futebol.

Numa tarde fria, ventosa, com as nuvens grossas a deixarem ver o sol por períodos apresentaram-se no Agostinho Pereira Carreira duas equipas em posição oposta na tabela classificativa. O Benfica de Castelo Branco a “morder” os calcanhares aos primeiros e o Mação nos lugares de despromoção.
Além da míngua de resultados positivos os maçaenses viram partir uma das referência do seu ataque, Sérgio Nogueira, reforço do Anadia. Em contrapartida viu regressar Faia, após arreliadora lesão.

João Vasco, melhor marcador desta Série, deu muito trabalho ao extremo reduto maçaense onde regressou Faia.

O Benfica de Castelo Branco começou melhor, fazendo circular o esférico pelos vários sectores procurando a velocidade dos seus atacantes onde pontificava o melhor marcador desta série, o irrequieto João Vasco. Sempre que a bola lhe chegava acelerava o jogo, criando desequilíbrios defensivos e abrindo linhas de passe. Muita qualidade neste jogador cedido, por empréstimo, pelo primodivisionário Tondela.

PUB

A equipa da casa, com uma postura cautelosa, procurava defender bem e só depois tentar, com um futebol direto, surpreender o adversário com a velocidade dos seus homens mais adiantados.

Patrick acelera o jogo do Mação pela ala direita.

Aos seis minutos Ailson Tavares testou a atenção do guarda redes Chico Sousa mas o remate de longe passou por cima. Na resposta, Lucas foi até à linha de fundo cruzar com boa conta e obrigou o guarda redes Caio a defesa atenta.

PUB

Aos nove minutos foi a vez de João Vasco, com um remate cruzado, levar perigo à baliza do Mação. Chico Sousa amarrou.

Chico Sousa agarra com segurança.

Dois minutos depois os albicastrenses beneficiaram dum canto resolvido pela defensiva maçaense que rapidamente lançou a velocidade de Patrick obrigando Caio a sair da sua área para defender a pontapé.

À passagem do vigésimo minuto um perigoso cruzamento obrigou Glady a ceder canto.
Aos 23 minutos podia ter saido do bolso do árbitro o primeiro cartão. Tiago Vieira ensaiou um rápido contra ataque e quando se esgueirava foi rasteirado por um dos homens de águia ao peito. O árbitro Renato Carvalho ficou pelo aviso. Na marcação do livre resultou um bonito “pontapé de bicicleta” de Lucas que passou sobre a trave de Caio.

Na resposta os albicastrenses saíram muito rápido para o ataque e a defensiva da casa cedeu canto. Na sequência do canto uma forte cabeçada passou perto. O jogo estava numa toada de parada e resposta com o Castelo Branco com maior posse de bola.

Chico Sousa defende a punho no melhor momento do Benfica de Castelo Branco.

Ainda assim o Mação ia porfiando e Patrick lançado mais uma vez em velocidade obrigou Caio a sair da sua área, qual líbero, a jogar de cabeça. À meia hora de jogo Bruno Lemos, na transformação de um livre, colocou a bola na cabeça de Faia que cabeceou por alto.

Para o minuto 33 estava guardado o momento do jogo. O árbitro de Coimbra assinalou uma falta a beneficiar os “benfiquistas”, no lado esquerdo do seu ataque, ainda longe da grande área. Perante muitos protestos a bola foi colocada para marcação muito perto do bico da área num claro erro de avaliação.

A bola foi cruzada para o centro da área e alguém se “esqueceu” de Pedro Eira que com forte cabeçada bateu Chico Sousa.

Cabeçada de Pedro Eira resultou no único golo do jogo.

Com o marcador inaugurado os comandados de Rui Gaivoto subiram linhas e inverteram o sentido do jogo. Passaram a ter mais bola e a construir melhores ocasiões de golo.
Aos 37 minutos Bruno Lemos fugiu aos seus marcadores, entrou na área e rematou para defesa de Caio.

Já em cima do intervalo foi a vez de Patrick encontrar posição de tiro mas o remate saiu por cima. O intervalo chegou com um resultado aceitável premiando o maior labor ofensivo dos albicastrenses. O empate não escandalizaria…

Bruno Lemos impedido de jogar.

O recomeço trouxe uma postura do Mação diferente, para melhor. Subiu linhas, empurrou o adversário para o seu reduto defensivo, não deixando o Benfica de Castelo Branco organizar-se na fase de construção.

Com esta postura mais atacante correu riscos e logo aos 49 minutos Zézinho levou muito perigo à baliza maçaense, na transformação de um livre. Dois minutos depois a bola chegou a Lucas que parou no peito, rodou e rematou forte mas ao lado. Excelente a execução técnica do avançado brasileiro.

Lucas Reis esteve em bom nível.

Estava francamente perigosa a equipa da casa e os lances ameaçadores para a baliza de Caio sucediam-se. Aos 53 minutos Patrick, incansável no lado direito do seu ataque, cruzou para o poste mais distante onde surgiu Moreno a rematar fraco para o guarda redes.

Aos 56 minutos Patrick teve nova arrancada, driblou quem lhe surgiu pela frente e rematou ao ângulo superior da baliza de Caio que fez uma monumental defesa a negar um golo “cantado” ao nigeriano. Cedeu canto e ficou tocado no lance.

Na sequência do canto Glady, de cabeça esteve perto de marcar. O esférico passou por cima do travessão.

Glady ameaça a baliza de Caio.

O Mação esteve por várias vezes perto do golo e não dava sinais de abrandar numa altura que os comandados de Sérgio Gaminha só se preocupavam em defender o parco resultado.

Se o minuto 33 da primeira parte foi decisivo o mesmo minuto na segunda podia tê-lo sido.
Tiago Vieira isolou-se e na cara de Caio foi derrubado pelo guarda redes. O árbitro mandou jogar sob um “mar” de protestos.

Aproveitaram os albicastrenses para se abeirarem da baliza de Chico Sousa. Num primeiro momento um defensor do Mação executa um corte com a mão e logo a seguir Pedro Almeida aparece no relvado fruto dum toque no pé de apoio. O árbitro mandou marcar canto…!!! Do “sururu” que se seguiu resultaram vários cartões amarelos.

Serenados os ânimos logo se percebeu que o futebol havia acabado neste lance. Até ao final não houve mais lances dignos de realce e o Benfica de Castelo Branco arrecadou os pontos em disputa.

O empate seria o resultado mais acertado já que as equipas repartiram as oportunidades e a posse de bola pelos dois meio tempos. Os visitantes melhor na primeira parte com excelentes réplica do Mação na segunda. Arbitragem com erros graves, influenciando o resultado. Ambas as equipas ficaram com razões para protestar.

Estranho bailado entre Tenta Maeda e Daniel Rodriguez.

FICHA DO JOGO

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO:
Chico Sousa, Simão Moreno, Gonçalo Lélé (João Marchão), Glady, Tenta Maeda (Bruno Araújo), Filipe Faria, Esteves, Bruno Lemos, Patrick, Tiago Vieira e Lucas Reis.
Suplentes não utilizados: Renan, Bernardo Bento, Miguel Luz, Litos e João Alves.
Treinador: Rui Gaivoto.

Associação Desportiva de Mação. Foto de Arquivo mediotejo.net

SPORT BENFICA E CASTELO BRANCO:
André Caio, Diogo Costa, Pedro Eira, Zezinho, Rafa Pinto (Pedro Almeida), Jordão Cardoso, João Vasco, André Cunha, Ailson Tavares, Luís Silvério (Dani Matos) e Daniel Rodriguez (Miguel Lopes).
Suplentes não utilizados: João Lourenço, Francisco Caetano, Filipe Veloso e Babia Issouf.
Treinador: Sérgio Gaminha.

Sport Benfica e Castelo Branco. Foto: Arquivo mediotejo.net

GOLO:
Pedro Eira (B.Castelo Branco).

EQUIPA DE ARBITRAGEM: Renato Carvalho, Bruno Ventura e Miguel Martins (AFCoimbra)

Equipa de Arbitragem: Renato Carvalho, Bruno Ventura e Miguel Martins com os capitães de equipa.

DISCIPLINA
Cartão amarelo: Filipe Faia, Esteves, Bruno Lemos e Glady (Mação); Jordão Cardoso, Daniel Rodriguez e Zézinho (B.Castelo Branco).

No final em Conferência de Imprensa ouvimos ambos os técnicos:

Rui Gaivoto-Treinador do Mação. Foto: mediotejo.net

 

Sérgio Gaminha-Treinador do B.Castelo Branco.

Com David Belém Pereira (fotos).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here