Futebol | Alcanenense vence Tramagal e mantém invencibilidade e liderança (C/AUDIO)

Alcanenense vence Tramagal e mantém invencibilidade e liderança. Foto: Facebook TSU

Atlético Clube Alcanenense 3 Tramagal Sport União 1

Série A – 2ª divisão distrital –

Estádio Municipal Joaquim Maria Baptista – Alcanena

Domingo, 8 dezembro 2019

No Joaquim Maria Baptista em Alcanena, numa tarde dominada pelo nevoeiro, mas com temperatura agradável, Atlético Alcanenense e Tramagal Sport União, separados por um ponto, jogavam a liderança da Série A da Segunda Divisão Distrital.

PUB
Estádio Municipal Joaquim Maria Baptista – Alcanena. Foto: RB

Do empate em Ortiga na jornada anterior, os homens da “capital da pele” apresentavam uma alteração no onze, saída de Mário e entrada de Anderson. Também os comandados de Júlio Batista apresentavam uma alteração, relativamente ao onze que tinha batido o Atalaiense. Ausência de David Nunes e entrada de Rui Matos. Talvez aqui começasse o primeiro revés para os homens da borboleta.

O início do jogo foi marcado por repetidas paragens, em que nos primeiros dez minutos, existiram no máximo 5/6 minutos de futebol efetivo. Toada de estudo mútuo, com o Alcanenense a ter mais posse de bola, circulando a bola pelos seus setores, enquanto os homens de azul e branco, espreitavam o contra-ataque mantendo-se numa toada de contenção.

No jogo da jornada, o Alcanenense recebeu e venceu o TSU por 3-1. Foto: RB

O relvado (que já teve melhores dias) encontrava-se pesado, bastante escorregadio fruto da muita humidade, dificultando ao máximo a manobra dos jogadores, que iam denotando alguma dificuldade, em não cair quando necessitavam de fazer uma rápida mudança de direção ou em controlar o esférico quando esta tocava o solo e ganhava velocidade.

O primeiro sinal de perigo foi dado pelos tramagalenses, quando André Miguel em velocidade galga metros pelo corredor direito, da linha de fundo efetua o centro para a entrada da área, mas ninguém apareceu para o remate à baliza. À passagem do quarto de hora de jogo, quando o sinal mais era da equipa visitada, numa jogada bem desenhada de contra-ataque, os homens da “Vila Convívio” do concelho de Abrantes, colocam-se em vantagem. Pisco arranca do seu meio campo em velocidade, chama a si um defesa, coloca na zona central em Rui Costa que, ganhando na dividida com um adversário, enche o pé esquerdo e de fora da área num remate cruzado desfaz a igualdade. Golo vistoso e de belo efeito, para gáudio da numerosa e ruidosa falange de apoio tramagalense.

Os auri-negros não mostraram ter sentido o golo. Vincaram mais o seu domínio na partida, fruto também de uma melhor adaptação ao relvado, de uma compleição física de respeito e de ter em Gui um “diabo à solta”, dando ainda mais ênfase ao seu 3-4-3 quando em posse de bola. Os homens de Tramagal acentuaram a toada de contenção, uniram mais as linhas, retirando espaço de manobra ao adversário e espreitaram ainda mais o contra-ataque. Diga-se que o iam fazendo com bastante acerto, com Pisco, Rui Costa, Roma e Singéis a darem trabalho a Sudesh e seus pares. Praticamente o único homem que não baixava do círculo central era Singéis.

Rui Costa abriu o ativo para a equipa de Tramagal ainda no primeiro tempo. Foto: Facebook TSU

Já com duas boas situações de golo criadas pelo ataque da casa, utilizando sempre a velocidade e os desequilíbrios de Gui, surge o segundo revés para Júlio Batista. Pisco lesiona-se e tem de ser substituído, perdendo o TSU a sua principal referencia nos lances de contra-ataque.

O Alcanenense ia porfiando, na busca do empate, mas não ia conseguindo materializar o seu maior domínio. A circulação de bola ia resultando até meio do campo ofensivo, mas aí sem espaço, tinham de procurar as costas da defensiva com passe por alto, que quando a bola tocava o solo ganhava muita velocidade perdendo-se pela linha final. Ainda assim, algumas vezes com as trocas de bola de um flanco para o outro, conseguiam descompor a defesa azul, mas nessa altura os avançados não tinham a melhor decisão ou encontravam João Félix atento e eficaz. Na retina ficam dois remates de fora da área bem-parados pelo guarda-redes de Tramagal e a bola no posta de Peu, num remate cruzado após boa combinação com Buba.

Ao intervalo, o Tramagal vencia por 1-0, mas o conjunto de Alcanena conseguiria impor o seu jogo e dar a volta ao marcador. Foto: RB

Chega o intervalo com a vitória do Tramagal Sport União. Pode dizer-se que o resultado não era justo, mas no futebol não há justiça, há eficácia, e nesse capítulo o Tramagal revelou ser melhor.

Na etapa complementar a toada do jogo manteve-se, sendo ainda mais notória a pressão dos auri-negros sobre o último reduto contrário. Gonçalo Fernandes, o melhor homem dos azuis em campo, ia tentando organizar as tropas, mas como diz o ditado “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, foi isso que aconteceu ao minuto 58 de partida.

Resposta rápida do Alcanenense a uma descida do TSU no terreno, Anderson levou a bola até à linha de fundo, sem solução joga atrasado, onde aparece livre de marcação Gui, a rematar cruzado sem hipótese para o guardião visitante.

O Tramagal sentiu o golo, não se consegui recompor rapidamente do golpe e passados três minutos voltou a sofrer. Jogada construída da direita por Gui, que cruza para o coração da área, onde estava Anderson a desviar com um toque subtil para o interior da baliza tramagalense, fazendo a reviravolta no marcador.

O Tramagal operou algumas substituições mas o resultado não lhe seria favorável. Foto: Facebook TSU

A partir daqui assistiu-se a um jogo mais repartido. O sinal mais continuo a pertencer aos da casa, mas o Tramagal voltou a reaparecer no meio campo contrário, conseguindo mesmo chegar até à baliza de Zé Miguel (o elo mais fraco da equipa da casa). Até que, quando os comandados de Júlio Batista enchiam o peito e ganhavam fôlego, para atacar o resultado, surge o terceiro revés.

Minuto 75 de jogo, João Torre interrompe o jogo para assinalar falta a favor dos caseiros. Rui Costa descontente com a decisão do árbitro pontapeia a bola para longe, vendo em consequência, pela segunda vez, o cartão amarelo, sendo expulso da partida (já o primeiro amarelo tinha sido mostrado por protestos). Ato menos pensado de um jogador importante na manobra da equipa e que se estava a cotar como um dos melhores em campo.

Nos restantes 24 minutos de partida (20 +4), foi assistir a um controlo do ritmo do jogo por parte da equipa da casa, tendo o Tramagal respondido, na medida do que uma equipa reduzida a dez e já desgastada fisicamente, poderia fazer. A quatro minutos do fim, “o suspeito do costume”, Gui, tira cruzamento da direita para o coração da área azul, João Félix estica-se para evitar que a bola chegue a Soma, mas o esférico passou mesmo e só acabou no fundo da sua baliza. Estava feito o resultado da partida.

O Alcanenense venceu e mantém o 1º lugar, o Tramagal, apesar da derrota, segue na 2ª posição da tabela. Foto: Facebook TSU

Vitória certa da equipa de Alcanena, que neste jogo mostrou mais argumentos (técnicos e físicos) que o adversário. Demonstraram algum nervosismo e ansiedade na primeira parte, talvez fruto dos dois empates anteriores, querendo fazer tudo muito rápido. O Tramagal foi um digno vencido, nunca virando a cara à luta. Ainda com Pisco em campo, já era alvo da pressão dos homens da casa, mas quando perdeu a “mota” do lado direito, perdeu também muito da acutilância ofensiva que ia demonstrando. A “Borboleta” mostrou que num dia com a equipa toda disponível, com mais cabeça e sem tantos reveses, tem condições para bater o pé ao adversário.

Trio de arbitragem com trabalho sem ter lances capitais para ajuizar, não tendo influência no resultado do jogo. Soube segurar os ímpetos quando os jogadores quiseram “por o pé em ramo verde”, contudo, no nosso entender, a nível disciplinar perdeu-se um pouco no critério, deixando passar em claro alguns lances com entradas mais ríspidas. Ilustrativo disso mesmo, o lance em que Sudesh, por trás, “arranca pela raiz” um jogador tramagalense. Não houve qualquer intuito de jogar a bola e a sanção foi apenas um amarelo.

FICHA DE JOGO:

Estádio Joaquim Maria Baptista em Alcanena

Árbitro: João Torre

Assistente 1: Edgar Oliveira ; Assistente 2: Tiago Carvalho

Atlético Clube Alcanenense

Zé Miguel, Chico, Rudy, Ivandro, Peu (Nelson), Faia, Soma (Pardal), Gui, Anderson (Mário), Sudesh e Buba

Suplentes: Zé Guilherme, Nelson, Tiago Vieira, Mário, Dário, Pardal e Gonçalves

Treinador: Pedro Vieira

Tramagal Sport União

João Félix, Gonçalo Fernandes, André Miguel, Nalha, Rui Leal, Rui Costa, Rui Matos, Pisco (Diogo Calado), Roma, Grilo (Pedro Brás) e Singéis (Luís Espadinha)

Suplentes: João Serafim, Ricardo Félix, Luis Espadinha, Diogo Calado, Pisco Junior, Pedro Brás e Eufrásio

Treinador: Júlio Batista

Marcadores: Gui (58’), Anderson (61’) e Soma (86’) : Rui Costa (15’)

Disciplina (cartão amarelo): Soma (47’), Peu (68’) e Sudesh (73’) : Pisco (30’), Gonçalo Fernandes (45’+2), Rui Costa (60’ e 75’) e Roma (77’)

No final ouvimos as declarações dos treinadores:

Treinador do Alcanenense, Pedro Gil.
Júlio Batista, treinador TSU. Foto: mediotejo.net

 

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here