Futebol | Abrantes goleia na Ortiga em dia de S.Marcos… Patrício (C/fotos e audio)

Bexiga em luta com João Vitor. Foto: mediotejo.net

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA 2 – SPORT ABRANTES E BENFICA 6
Campeonato da 2ª Divisão da AF Santarém- Séria A- 18ª jornada
Campo do Moinho de Vento
Ortiga
10-03-2019

PUB
Campo de Jogos Moinho de Vento em Ortiga.

Numa tarde com sol forte e algum vento, o bonito cenário do Campo do Moinho de Vento, em Ortiga, com a Barragem como pano de fundo, compôs-se de público para receber o líder imbatível desta série A, da segunda divisão distrital. Com os apuramentos já definidos, os da casa alimentavam  a secreta esperança de serem os únicos a baterem o Abrantes e Benfica nesta fase do campeonato, até porque Paulo Seninho apresentou uma equipa recheada de jogadores menos utilizados.

Paulo Seninho geriu o plantel e goleou.

Começou muito forte a equipa da casa e logo no segundo minuto de jogo Falua, muito interventivo, rematou ao lado. Estava dado o mote para uma Ortiga de ataque. Aos sete minutos um venenoso cruzamento de Barão levou o esférico a embater na trave da baliza à guarda de Pascoal. A equipa de Abrantes tinha dificuldades em adaptar-se ao pelado e a condução de bola tornava-se difícil.

Num lançamento em profundidade pelo lado esquerdo, aos nove minutos, Falua rematou ao lado com grande perigo. No minuto seguinte um cruzamento bem medido vindo do lado esquerdo do ataque da Ortiga encontrou Pauleta que cabeceou para o poste. Era a segunda bola nos ferros em dez minutos…

Equipa de Zé Carlos entrou muito bem no jogo e em dez minutos enviou duas bolas ao “ferro”.

A equipa de Paulo Seninho pareceu libertar-se do espartilho ofensivo e passou a equilibrar a partida, passando a jogar-se mais sobre o meio canto. Aos 20 minutos, numa sequência de cantos para os “encarnados”, Hélio Ocante desviou para o segundo poste e Marcos Patrício teve soberana oportunidade para marcar. O esférico esbarrou com estrondo na trave. Passados dois minutos o mesmo Marcos Patrício embalou pelo lado direito e ninguém o conseguiu travar. Com um colocado remate abriu o marcador e um recital de golos.

PUB
Marcos Patrício abriu (e fechou) a contagem.

Ainda os abrantinos se instalavam no comando do jogo, aos 25 minutos, já a Ortiga via o árbitro assinalar grande penalidade a seu favor, numa decisão muito contestada. Da marca dos onze metros Falua não desperdiçou, empatando a partida. Ainda os adeptos da casa festejavam quando um atraso deficiente da defesa abrantina para o guarda redes Pascoal permitiu a intromissão de Falua que bisou na partida.

Falua, com dois golos, virou o jogo a favor da Ortiga.

O Abrantes e Benfica, desconfortável com o resultado, passou a jogar de forma mais incisiva e conquistou um livre à passagem do minuto 32. Wilson bateu de forma irrepreensível e só uma defesa enorme de Márcio Martins impediu novo empate.
Surgiu no minuto seguinte. As “águias” de Abrantes entraram na área da equipa da casa com várias unidades, jogaram ao primeiro toque e deixaram para Marcos Patrício fuzilar e bisar no encontro.

Boa combinação permitiu ao Abrantes igualar antes do intervalo.

Foi o melhor período do jogo com lances repartidos pelas equipas. Ninguém se conformava com este empate e ambos os conjunto queriam mais. Aos 35 minutos a Ortiga beneficiou de um canto, batido por Barão, que esbarrou na barreira e obrigou à marcação de um pontapé de canto. Na jogada seguinte uma bola dividida de cabeça levou a enorme contestação. Pediu-se grande penalidade sobre Marcos Patrício mas Anthony Silva bem posicionado mandou jogar.

O final do primeiro tempo chegou com o Abrantes a beneficiar de um canto. Marcos Patrício cabeceou para boa defesa de Márcio Martins. Na recarga o avançado abrantino disparou para fora. Resultado acertado ao intervalo por aquilo que valeu o rendimento de ambos os conjuntos.

Equilíbrio justifica empate ao intervalo

Insatisfeito com o resultado e com um banco de “luxo”, Paulo Seninho lançou Barrocas e Bexiga no jogo. Zé Carlos deixou o “tocado” Ducho no balneário e apostou em João Matos.
Com os jogadores de ambos os conjuntos a apresentarem algum vigor físico, o jogo reiniciou-se em toada de equilíbrio, muito a meio campo, sem jogadas de perigo e com algumas picardias.

Foi necessário esperar 19 minutos no segundo tempo para a emoção voltar ao Campo do Moinho de Vento. Na marcação de um canto Marcos Patrício fez o seu “hat-trick” e voltou a colocar a sua equipa na frente.

Marcos Patrício (à esq.) fez história ao apontar cinco golos.

No minuto seguinte Barrocas disparou um forte remate em boa posição. Márcio Martins não lhe permitiu aumentar a contagem. A equipa da Liga de Ortiga não atirava a “toalha ao chão” e João Matos conseguiu surgir isolado na cara de Pauleta. Contudo, o lance já havia sido interrompido por posição irregular. Respondeu o Abrantes com remate forte de Rafa Silva mas para fora. Estava interessante de seguir esta partida em Ortiga…

Aos 67 minutos, na sequência de uma reposição lateral para a equipa da casa, levou a um alívio da defensiva abrantina para a zona de tiro onde apareceu Casa a rematar forte mas por cima.

Muito trabalho para o guarda redes Márcio Martins.

Ainda sonhavam os da casa com um resultado positivo e um livre batido por Pauleta, 69 minutos, ficou na barreira. No minuto seguinte foi a vez de Pedro Afonso rematar ao lado mas muito perto do poste da baliza de Pascoal. Pouco depois repetiu o gesto e a bola voltou a sair pela linha de fundo. A resposta abrantina não demorou e numa rápida transição Bexiga serviu “de bandeja” Miguel Silva que aumentou o “score”.

Ortiga deu boa réplica.

Esgotados física e animicamente os jogadores da casa acusaram o golo e o que restava para jogar serviu para Marcos Patrício fazer história no campeonato. Aos 85 minutos, num bonito gesto técnico, de calcanhar, fez o quinto da sua equipa. Já nos descontos Wilson foi à linha de fundo cruzar, o guarda redes Márcio Martins associou-se à festa de Marcos Patrício. Ao largar a bola proporcionou ao atacante a sempre desejada “mão cheia” de golo.

Muita luta no meio campo enquanto houve forças.

Pouco depois o árbitro Anthony Silva apitou pela derradeira vez no encontro selando uma goleada do Sport Abrantes e Benfica, demasiado penalizadora para o labor dos jogadores da Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga. Falua, com dois golos, também foi um jogador em foco.

A arbitragem deste jovem árbitro provocou queixas dos dois lados. Não esteve sempre bem mas os jogadores também não ajudaram. Irá ter o seu tempo de crescimento e, mais maduro, poderá ser mais um valor da arbitragem do distrito.

Marcos Patrício foi o “homem do jogo”.

FICHA DO JOGO:

LIGA REGIONAL DE MELHORAMENTOS DE ORTIGA:
Márcio Mendes, Miguel Lourenço, Falua, Joca, Pedro Afonso, Casa, Pauleta, Joel Marcão, Barão, João Vitor e Ducho (João Matos).
Suplentes não utilizados: Leandro e Vasco Dias.
Treinador: José Carlos Lourenço.

Liga Regional de Melhoramentos de Ortiga.

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Pascoal, Ricky, Mika, Manuel Vitor, Rafael Serrano, Francisco Grácio, Wilson, Fábio Rodrigues (Bexiga), Rafa Silva (Miguel Silva), Marcos Patrício (Basílio) e Hélio Ocante (Barrocas).
Suplentes não utilizados: Joel, Diogo Rocha e Diogo Mateus.
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

GOLOS: Falua (2) (Ortiga), Marcos Patrício (5) e Miguel Silva (SA Benfica).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Anthony Silva, Afonso Claudino e Pedro Santos.

Equipa de arbitragem: Anthony Silva, Afonso Claudino e Pedro Santos com os capitães.

No final fomos ouvir as opiniões dos responsáveis técnicos de ambas as equipas:

José Carlos Lourenço-Treinador da Ortiga.

 

Seninho, treinador Sport Abrantes e Benfica (foto: mediotejo.net)

*Com David Belém Pereira (fotos).

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here