Futebol | Abrantes e Benfica apresentou-se com vitória suada diante do Alcanenense (C/ fotogaleria e áudio)

Muitas dificuldades para ultrapassar a defensiva alcanenense.

SPORT ABRANTES E BENFICA 1 – ATLÉTICO CLUBE ALCANENENSE 0
Jogo de Apresentação
Estádio Municipal de Abrantes
07-09-2019

PUB

A uma semana do arranque do Campeonato Distrital da 1ª Divisão da Associação de Futebol de Santarém, o Sport Abrantes e Benfica agendou para o final da tarde de sábado, dia 07 de setembro, o seu jogo de apresentação aos sócios e adeptos. A equipa convidada, o Atlético Clube Alcanenense, vai militar no escalão secundário mas apresentou um misto de jogadores experientes e muita juventude com qualidade a augurar uma boa época.

Abrantes e Benfica apresentou-se aos sócios e adeptos.

O técnico abrantino, Paulo Seninho, apresentou um onze com um desenho já muito perto daquele com que irá entrar no jogo inaugural do campeonato da 1ª divisão distrital, frente ao União de Almeirim. Com Rui Sousa a recuperar de intervenção cirúrgica ensaiou soluções para o lado direito da intermediária.

Seninho à procura da equipa tipo para enfrentar o campeonato.

As equipas, em estudo mútuo, entraram no jogo numa estranha apatia, talvez devido ao calor que se fazia sentir. A jogarem muito a meio campo as defesa iam chegando para o fraco pendor atacante. Ainda assim, o primeiro sinal de perigo surgiu através dos homens de Alcanena. Aos três minutos, na transformação de um livre direto, a bola embateu na barreira e saiu pela linha de fundo perto da baliza de Joel.

Passaram longos minutos para a bola voltar a rondar as balizas. Paulito foi até à linha de fundo, cruzou para Marcos Patrício que rematou de pronto. A bola saiu prensada num defensor e acabou nas mão de Tony Billeri, o guarda redes norte americano do Alcanenense. O cronómetro assinalava os 17 minutos.

PUB
Norte americano Toni Billeri manteve a sua baliza inviolada no primeiro tempo.

Com as equipas preocupadas em defender bem e a elaborarem transições seguras a partir de zonas recuadas, a lentidão tornava o jogo fastidioso e conduziu a um número anormal de erros no passe. Esta toada morna ia sendo interrompida a espaços.

Aos 23 minutos Manuel Vitor testou a meia distância mas Toni Billeri estava atento e defendeu com facilidade. A resposta veio logo de seguida com Buba a imitar o seu adversário. O remate, de muito longe, saiu pela linha de fundo.

Jogou-se longe das balizas.

Aos 26 minutos, Mateus, um jogador com bons pés, teve uma iniciativa individual e já na área abrantina tirou adversários do caminho mas pecou na hora do remate. Passou muito longe da baliza à guarda de Joel. Com o descanso a aproximar-se a passos largos a equipa de Alcanena subiu no terreno e criou embaraços aos comandados de Paulo Seninho.

Aos 39 minutos, Guilherme, na transformação de um livre direto, enviou a bola ao ângulo superior direito da baliza abrantina. Joel, num voo magistral, defendeu com uma palmada para canto. Soberbo!

Joel teve de se aplicar para parar livre de Guilherme.

Três minutos depois, Guilherme consegue responder de cabeça a um cruzamento bem medido do lado direito mas não conseguiu alvejar a baliza da equipa encarnada, na circunstância a jogar de branco.

Pouco depois António Henriques apitou para o intervalo. O nulo, a meio do jogo, ajustava-se ao futebol pouco produtivo dos dois conjuntos.

Nulo ao intervalo era aceitável.

No recomeço os técnicos aproveitaram para proceder a algumas alterações e até a equipa de arbitragem trocou de árbitro! As mexidas operadas por Pedro Gil surtiram efeito e o Alcanena entrou muito bem no segundo tempo.

Logo aos 50 minutos, um livre bem batido obrigou a defensiva abrantina a cortar para canto. No minuto seguinte uma reposição para a área dos encarnados, deficientemente abordada por um defensor, deixou Mateus na cara de Canais, agora na baliza abrantina. Rematou por cima.

Grande recomeço para os alcanenenses.

Mateus era uma dor de cabeça para os defensores da equipa da casa. Aos 55 minutos executou um vistoso pontapé de bicicleta na área para defesa de Canais. O mesmo Mateus, à passagem da hora de jogo, entrou na área em velocidade e rematou cruzado. Passou perto do poste da baliza abrantina.

No minuto seguinte o Benfica de Abrantes reapareceu no jogo, fruto das alterações operadas por Paulo Seninho. Rafa Silva ganhou uma disputa no meio campo, lançou Manuel Vitor para remate pronto, defendido por José Miguel, “keeper” alcanenense no segundo tempo.

Manuel Vitor podia ter marcado.

Aos 63 minutos a partida podia ter ficado sentenciada. A partir da sua defensiva, o capitão Toni lançou Zé Pedro que deixou em Rafa. Este cruzou à procura de Hélio Ocante no coração da área e na altura da receção foi derrubado por um defesa levando a bola para a marca de grande penalidade. Daí, Hélio Ocante permitiu a defesa, com um pé, do jovem guarda redes José Miguel.

No minuto seguinte Daniel assistiu Hélio Ocante que ainda introduziu o esférico na baliza dos “auri-negros” mas o lance estava anulado por posição irregular do avançado de Abrantes.

Hélio Ocante falhou penalidade e marcou golo anulado.

Após o bom momento da equipa benfiquista veio a resposta da equipa de Pedro Gil. Aos 68 minutos, um livre cobrado por Guilherme colocou Canais à prova. No lance seguinte Diego isolou-se na área abrantina mas permitiu o corte “in extremis”. Respondeu Zé Pedro, aos 78 minutos, com uma cabeçada por cima da trave.

Médios tentam municiar os atacantes.

Caminhava-se a passos largos para o final, e quando faltavam dois minutos no tempo regulamentar Zé Pedro, “tirou um coelho da cartola”. Descaído pelo lado direito, ainda longe da baliza de José Miguel, disparou de trivela, a bola fez um arco perfeito, a fugir do guarda redes e entrou no ângulo superior da baliza. Grande execução de Zé Pedro!

Roldão ainda ameaçou, de cabeça, a baliza do Alcanenense, em cima dos 90 minutos e pouco depois o árbitro deu o jogo por terminado.

Avançados pouco produtivos.

Resultado escasso premiando o acerto defensivo e penalizando os ataques. Ainda há muita coisa para afinar antes do início dos campeonatos. O Alcanenense deixou uma excelente imagem. Vai ter de se contar com a equipa de Pedro Gil na série A da 2ª divisão.

Alcanenense deu boa réplica ao Sport Abrantes e Benfica.

FICHA DE JOGO:

SPORT ABRANTES E BENFICA:
Joel, Miguel Catarino, Tony, Basílio, Rocha, Diogo Mateus, Manuel Vitor, Barrocas, Paulito, Marcos Patrício e Hélio Ocante.
Suplentes: Canais, Rafa Silva, Daniel, Roldão, Loureiro, Renan, Zé Pedro, Damas e Miky.
Treinador: Paulo Seninho.

Sport Abrantes e Benfica.

ATLÉTICO CLUBE ALCANENENSE:
Tony Billeri, Guilherme, Dário, Sudesh, Rudy, Fininho, Faia, Buba, Adilson, Mateus e Anderson.
Suplentes: José Miguel, Peu, João Vitor, Diego, Guilherme Teixeira, Rafa e Wagner.
Treinador: Pedro Gil.

Atlético Clube Alcanenense.

GOLO:
Zé Pedro (Abrantes)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
António Henriques, Marcelo Gomes e Leo Alves.

No final fomos ouvir os técnicos de ambas as equipas:

Paulo Seninho-Treinador do Sport Abrantes e Benfica.

 

Pedro Gil-Treinador do Alcanenense.

FOTOGALERIA:

Com David Belém Pereira (fotos e áudio)

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here