Ferreira do Zêzere: Populares pressionam autarquia para resolver maus cheiros

Cerca de 20 populares deslocaram-se à reunião de câmara de Ferreira do Zêzere realizada na tarde desta quinta-feira, 25 de agosto, para questionarem a autarquia porque motivo ainda não lhes foi entregue a documentação relativa à empresa BioCompost – Compostos Orgânicos, Lda, situada na freguesia de Pias/Areias.

Pedem toda a correspondência trocada entre a Câmara e as diversas entidades no sentido de saberem o que foi feito em termos de denúncias relativas aos maus cheiros exalados por esta unidade industrial, cujo edifício foi licenciado pela autarquia. De acordo com o que o mediotejo.net já relatou, há pelo menos dois anos que a população se queixa dos maus cheiros, tendo na reunião de 29 de julho marcado presença cerca de 50 populares como forma de manifestação.

IMG_8423
Municipe Vítor Mendes falou pelo colectivo. Foto: mediotejo.net

Alegam, pela voz do munícipe Vítor Mendes, que já passaram 28 dias desde que apresentaram o requerimento considerando que existe um “ato premeditado no não fornecimento dos documentos em causa, no sentido de esconderem as suas próprias responsabilidades”.

PUB

O presidente da autarquia, Jacinto Lopes (PSD) refere que esta documentação só pode ser entregue após a aprovação da ata da reunião anterior – o que aconteceu neste dia – mas que mesmo assim já reuniram várias partes do processo, aguardando-se o regresso do chefe de Divisão de férias para organizar o mesmo e lhes ser entregue. “Em princípio no dia 5 de setembro”, referiu.

IMG_8433
Jacinto Lopes, presidente da autarquia, explicou que processo tem que ser organizado antes de ser entregue aos munícipes. Foto: mediotejo.net

A discussão entre os munícipes e o executivo camarário prolongou-se por cerca de uma hora. Os populares não entendem porque razão a câmara faltou a uma reunião de vistoria que teve lugar em abril deste ano. Jacinto Lopes explicou que soube, à posteriori, que o veterinário municipal não quis comparecer para se desmarcar de posição assumida por essa vistoria que refere que “os maus cheiros existem mas não são prejudiciais a uma população que habita a cerca de dois quilómetros”. Algo que os munícipes contestam referindo que as habitações se situam a 400, 500 metros da fábrica. Para além do cheiro, Vítor Mendes refere que se preocupam com o facto dos solos poderem estar a ser contaminados, existindo muitas pessoas com furos de água em terrenos nas proximidades.

PUB

“Nós votamos na câmara precisamos que estejam do nosso lado,a defender os nossos interesses”, retorquiu o munícipe Alberto do Vale, visivelmente exaltado. O presidente da Câmara refere que as análises à qualidade do ar que estão previstas são mais fáceis de fazer do que as análises ao solo. “A Câmara não tem estado parada neste processo. Apenas não andamos a propagandear o que temos feito”, disse, dando como exemplo o ofício que a autarquia ferreirense enviou à Direcção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo em outubro do ano passado por causa da questão dos maus cheiros.

IMG_8425
Munícipe Alberto do Vale considera que câmara deve estar do lado dos populares. Foto mediotejo.net

“São esses documentos aos quais gostaríamos de ter acesso pois desconhecíamos isso”, disseram os populares. O vice-presidente da autarquia, Paulo Alcobia Neves, frisou que a câmara “não tem qualquer responsabilidade neste processo” dado que não licenciou a atividade, tendo apenas tratado do licenciamento do edifício. Jacinto Lopes sublinhou que não pode fazer atos que competem a outras entidades nem se sobrepor à lei mas os vereadores da oposição consideram que a Câmara é “moralmente” responsável por esta questão e que devia pressionar as entidades com vista à resolução do assunto.

Depois de terem apresentado um novo requerimento a pedir cópia de toda a documentação escrita existente entre a Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere, todas as entidades oficiais e também a empresa BioCompost, os munícipes abandonaram a reunião após lhe ser prometido pelo presidente da câmara que a mesma – da qual constam 19 despachos – lhes seria entregue até 5 de setembro.

 

PUB

4 COMENTÁRIOS

  1. Considero que a reportagem relativa à reunião pública da C. M. F. Z. está tratada com rigor e isenção, o que demonstra profissionalismo. O País e a População de Areias e Pias só tem a ganhar com a verdade dos acontecimentos. Ficamos gratos por isso.

  2. É uma vergonha. Existem habitações a menos de 500 metros onde os cheiros se tornam insuportáveis e as moscas abundam como se de uma praga se tratasse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here