Fátima | Visitantes reduziram em 2018 mas superaram expectativas do Santuário

Depois dos números recorde de 2017, com um registo de 9,4 milhões de visitantes – celebrou-se o centenário das aparições com a presença do Papa Francisco -, os números de 2018 do Santuário de Fátima registam uma contração já esperada, para 7 milhões. Este valor coloca o panorama de visitas à cidade religiosa ao nível do registado em 2012, onde tocou os 6,8 milhões, que, ainda assim, já era superior à média dos anos anteriores e seguintes (5 a 6 milhões). No tradicional Encontro de Hoteleiros promovido pelo Santuário de Fátima esta quinta-feira, 7 de fevereiro, a instituição mostrou-se satisfeita com o balanço pós-centenário.

PUB

Nas peregrinações organizadas, registaram-se 2.785 grupos estrangeiros, num total de 132.839 peregrinos. Neste núcleo, destacam-se grupos de 18 países da América, de 16 países de África, 26 países da Europa, 17 países da Ásia e dois países da Oceânia.

Em particular da Ásia, continente que tem registado um crescimento contínuo no número de peregrinos, contabilizaram-se 481 grupos, onde se destaca a presença de peregrinações organizadas da Coreia do Sul (125), Filipinas (93), Índia (61), Indonésia (48) e China (31).

De grupos portugueses, foram contabilizados 1.602, num total de 546.738 participantes em peregrinações organizadas.

Os espaços do Santuário mais visitados foram a Capelinha das Aparições (2,9 milhões), Recinto de Oração (2,4 milhões), Basílica da Santíssima Trindade (1,1 milhões) e Basílica da Nossa Senhora do Rosário de Fátima (280 mil). A Casa da Irmã Lúcia contou com 347 mil visitantes em 2018, enquanto a exposição temporária “As Cores do Sol” registou 225 mil.

PUB

Estes números, conforme foi destacado na apresentação aos hoteleiros, são significativamente inferiores aos de 2017, mas colocam ainda assim as visitas ligeiramente acima da média dos valores tradicionais dos últimos 20 anos. “Não houve uma queda abrupta, situámos-nos ao nível dos melhores anos antes do centenário”, constatou o Reitor, Padre Carlos Cabecinhas.

A mesma satisfação foi deixada pelo bispo de Leiria-Fátima, Cardeal António Marto, que ainda assim se afirmou surpreendido por se ter conseguido atingir a linha dos 7 milhões. “Pensei que não chegaríamos lá”, admitiu.

“Fátima é do mundo inteiro”, afirmou o clérigo, manifestando a expetativas que as Jornadas Mundiais de Juventude de 2022, em Lisboa, tragam a Fátima milhares de jovens. “É uma alegria, uma graça, mas também uma responsabilidade”, referiu. “Somos todos responsáveis por tornar Fátima mais acolhedora”.

c/LUSA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here